Resenha ‘Felizes Para Sempre – Nora Roberts’

Oi ooooi gente! Chegamos ao fim de mais uma série! Hoje trago o último livro de o Quarteto de Noivas e é com dor no coração que eu me despeço dessa turma super especial, que vivem de realizar sonhos e que me acompanharam na reta final do meu. Mas antes de falar sobre a Parker, vamos a sinopse do livro…

Em Felizes para sempre , último livro da série Quarteto de Noivas, você vai descobrir que o amor não avisa que está a caminho e, quando chega, vira seu mundo de cabeça para baixo.
Parker Brown sabe que subir ao altar é um dos momentos mais extraordinários na vida de um casal. Por isso ela administra a Votos – a bem-sucedida empresa de organização de casamentos que fundou com suas três melhores amigas – com pulso firme e muita dedicação.
Seu dia de trabalho começa cedo – às vezes de madrugada, quando alguma noiva ansiosa lhe telefona aos prantos. Mas ela não se importa. Cada vez que ajuda uma mulher a escolher o vestido perfeito para o grande dia ou vê o sorriso nervoso e feliz de um noivo no altar, ela sente que está dando sua contribuição para uma história igual à de seus pais.
Porém a rica, linda e inteligente Parker também quer ser feliz no amor. Só que, em vez do intelectual sensível que sempre esteve em seus planos, parece que o destino lhe reservou uma surpresa.
Malcolm Kavanaugh é um mecânico de automóveis e ex-dublê de filmes de ação. Amigo do irmão de Parker, ele não tem vergonha de elogiar as belas pernas da moça e, com suas mãos ásperas, faz com que a empresária certinha e controladora simplesmente perca o chão.
Agora eles vão descobrir que, mesmo com suas diferenças, podem completar um ao outro. E quem disse que o príncipe encantado não pode chegar numa Harley-Davidson?

Mantendo a tradição, temos mais um prólogo entre as quatro amigas. Dessa vez, em um momento de dor, mas ao mesmo tempo de realização para elas. Ele se passa um pouco depois do acidente que matou os pais de Parker, fazendo todas as meninas voltarem para casa. E mesmo nesse momento, Parker consegue idealizar a Votos. Mac – resenha dela AQUI -, Emma – resenha dela AQUI -, Laurel – resenha dela AQUI -, percebem que o que Parker está propondo é algo que irá mudar a vida delas.

– A minha proposta é abrirmos um negócio juntas. Nós quatro, mas cada uma trabalhando no seu ramo, de acordo com a sua área de interesse, sua especialidade, porém juntando todas elas debaixo de uma mesmo guarda-chuva, digamos assim.

Finalmente, poderemos conhecer melhor a tão perfeccionista Parker e ela não me decepcionou. Como ela vinha sendo o destaque de todos os livros, na minha opinião, meu medo era chegar no dela e sem sem graça. Mas não é assim. É engraçado ver o quanto a Parker é tão dedicada, que chega a torcer por alguma ligação que a distraía. O quanto ela é linha dura, a ponto das amigas dela dizerem que ela tem uma “cara” especial para espantar homens. Mas ao mesmo tempo, ela ser sonhadora e querer o seu “felizes para sempre”

277.JPG

Seu par fica por contar de Malcom, o amigo de Del que entrou para a turma lá no livro de Emma, que conhecemos melhor no livro de Laurel e que já vinha dando cada vez mais indícios que estava de olho na “Pernas”, como ela, carinhosamente, chama Parker. Mal é mecânico e ele parece ser muito bom no que faz. Ele voltou para a cidade após sofrer um acidente, quando ainda era dublê em Hollywood.

Tinha sido aquele fogo baixo e latente que ela continha sob sua aparência fria que o prendera desde o início. Agora que Parker tinha chegado ao ponto de fervura, ele estava feliz por sentir aquela chama queimá-lo até os ossos. 

Quando Parker beijou Mal pela primeira vez, no livro passado, foi apenas para afrontar Del, já que ele havia armado para que eles tivessem um encontro, já que todas as outras amigas teriam um par para o Quatro de Julho. Só que isso mexeu tanto com ela – embora ela não goste muito de admitir -, quanto com Mal. E se tem uma coisa que aprendemos sobre os dois é: eles não desistem!

Parker não quer se render, primeiro porque ela não acha que está no momento para se envolver com alguém e porque ela não acha que Mal combine com ela. Ele não tem nada a ver com os caras que ela saiu no passado, mas isso não quer dizer nada, já que a atração rola e não é pouca.

– Deve existir algo nos carros e nos casamentos que faz as mulheres quererem tirar a roupa de baixo – disse Malcom, abrindo a porta de seu Corvette para ela. Sorrindo, acrescentou. – Portando, não faça cerimônia. 

Apesar de não tratar o Mal de um jeito ruim, Parker é sempre muito centrada quando está na presença dele, é educada, simpática, mas sempre tentar cortar quando ele dá em cima dela. Tudo muda quando, no início desse livro, ela sofre um pequeno acidente de carro e é Mal que vai a seu socorro. Como estava atrasada para uma reunião, ela aceita a carona de moto que ele oferece e isso balança mais um pouco suas estruturas.

Temos mais uma aposta entre os amigos. Dessa vez, é apenas entre os meninos e gira em torno se Parker irá topar sair novamente com Mal. Enquanto Del e Jack apostam que não, Mal e Carter apostam em sim. E olha, não só Parker topa, como Mal conta pra ela da aposta e ela diz que quer ficar com a parte de Del, como castigo.

Não era de espantar que ele nunca tivesse se encantado por ninguém como se encantara por ela. Nem de longe existia outra mulher como ela. 

Falando em Del, quero declamar meu amor por ele. Desde o primeiro livro ele vem ganhando meu coração, principalmente no livro da sua história de amor. Mas agora, temos o livro da sua irmãzinha mais nova e podemos ver o quanto ele deseja que ela seja feliz, depois da grande tristeza que eles passaram. Claro que não seria Del se ele não tivesse uma crise de irmão mais velho. Só que nem Mal, nem Parker dão muita ideia pra ele, e isso torna tudo mais engraçado! Ele fica xingando de indignação, dá seus avisos, mas aceita tudo, mesmo surpreso.

– […] Por acaso já lhe fiz algum interrogatório sobre as mulheres que você namora, ou namorou antes de Laurel? E se disser que é diferente, quem vai lhe dar um soco sou eu.

– Estou tentando encontrar uma frase que só faça uma leva alusão ao “é diferente”.

278.JPG

E já que falei de Del, por que não falar, novamente, das minhas meninas, certo?! Mais uma vez, fica provado o quanto elas se conhecem. Conhecem as manias, o modo de esconder os fatos uma das outras, seus jeitos nervosos, suas inseguranças. Do modo que elas torcem pela felicidade uma da outra, planejam seus casamentos, seus sonhos e gostam de ficar juntas, sem nenhum homem por perto. Elas são melhores amigas e isso nunca, por nada no mundo, irá mudar.

– Antes de mais nada, queria dizer que amo muito vocês, sempre amei e sempre vou amar. Passamos por muitas coisas juntas, boas e más. E nos piores momentos, sabia que podia contar com vocês. 

– Todas nós podemos contar umas com as outras. 

Outro destaque é a mãe de Mal. Já havíamos conhecido ela no livro da Emma, mas aqui que passamos momentos com ela. E Kay é muito divertida. Ela mandando no filho e dando tapinhas nele é hiper divertido. Assim como as conversas carinhosas entre ela e Parker.

Parker vai sendo cativada pelo jeito meio “ogro” de ser do Mal, ao mesmo tempo que vai conhecendo outro lado dele. O problema é que Mal gosta de guardar segredos do seu passado e isso magoa Parker, que quer dividir tudo com ele, mesmo coisas dolorosas. Até o momento que Mal se dá conta de que precisa se abrir, nem que seja um pouco, as coisas podem ser complicadas entre eles.

Isso, pensou, alimentava todos os seus sonhos, seus objetivos, suas ambições. Amar, ser amada, compartilhar, construir algo forte e duradouro baseado no amor e no companheirismo. 

Parker é a minha preferida e estou muito feliz com o livro dela. Ela continua sendo especial, a amiga perfeita e a pessoa que eu gostaria de ser. Fico feliz dela ter tantas pessoas em sua volta, depois do baque que sofreu com a perda de seus pais. Eu já havia gostado de Mal no livro da Laurel, mas foi ótimo conhecê-lo melhor. Ele tem um ótimo senso de humor, é atencioso e surpreendente.

E ah, esse livro tem um epílogo e eu não consigo pensar num encerramento melhor para série. Nora conseguiu me tirar lágrimas com o momento mais do que especial que deu para as quatro amigas. Deu um toque todo especial na vida delas e foi mais um prova perfeita de amizade.

As suas meninas, pensou a Sra. Grandy. Todas felizes, apaixonadas e espetaculares. 

Às minhas meninas, pensou ela, erguendo sua taça num brinde solitário. Às noivas da Votos e seus finais felizes. 

Eu devorei essa série, acreditem! Pode parecer que eu demorei, por sair uma resenha por semana, mas não levei 15 dias para ler os quatro livros. Não tenho palavras suficientes para expressar o amor que foi por esses livros e o quanto essa vibe amor e casamento me fez bem nesse momento. Felizes Para Sempre leva as cinco Angélicas e eu já já terei o começo do meu “final feliz” também ❤

CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

13 comentários em “Resenha ‘Felizes Para Sempre – Nora Roberts’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s