Resenha: ‘Pule, Kim Joo So – Gaby Brandalise’ 

Oiii oi gente. Depois de um tempinho sumida, cá estou eu trazendo um livro que me surpreendeu demais, apesar de ser bem curtinho. Pule, Kim Jo So foi publicado pela Editora Verus ano passado e é uma história inspirada em doramas coreanos. Calma que já falo mais sobre isso. Primeiro, confere a sinopse.

O que você faria se precisasse escapar da sua própria vida? Um história inspirada em dramas coreanos. Marina vive em Curitiba, atormentada pelas agressões do ex-namorado. So vive em Seul, preso a uma culpa da qual não consegue se livrar. Em mundos tão distantes, mas carregando dores parecidas, a história dos dois vai se cruzar e fazer com que eles finalmente tomem o controle da própria vida, encontrando o ponto de virada que sempre buscaram. Pule, Kim Joo So é uma história ágil e original, que vai surpreender e divertir da primeira à última linha.

Marina está cansada da vida que leva. Logo de cara já a conhecemos apanhando do ex-namorado que não aceita o fim do relacionamento. Ele vem, bêbado, bate nela o quanto quer e depois cai desmaiado. Ao longo dos meses, ela aprendeu a se defender para tentar amenizar os ferimentos a cada vinda do cara escroto. Ela não tem ninguém a quem recorrer, nem mesmo a polícia, já que seu ex-namorado é um ex-policial e os amigos dele a ameaçam se ela prestar queixa. Preciso nem dizer como isso é frustrante de se ler.

Além desse sofrimento que parece que não terá fim, Marina ainda tem que lidar com o fato da irmã gêmea ter dado um golpe nela e fugido, deixando-a endividada. Ela tenta se virar como pode. Marina é jornalista em uma empresa que gerencia o aeroporto de Curitiba e é lá onde ela conhece So, um jovem bem bonito apesar de estar todo machucado em um banheiro feminino. So é um sul coreano e não tem ideia de como chegou ali. Marina resolve ajudá-lo mesmo não entendendo uma palavra do que ele diz. Ele só parece aterrorizado, e ela tem o impulso de tirar ele de lá e levá-lo para sua casa.

Mesmo com a falta de comunicação verbal, Marina e So aos poucos vão se entendendo. Na maioria das vezes com a ajuda da tecnologia, é claro. So até presencia alguns momentos de Marina com seu ex-namorado e a ajuda, o que os aproxima ainda mais. É bonito de ver uma relação sendo construída mesmo com a dificuldade de comunicação.

“Foi a ingenuidade no rosto dele que a lembrou por que tinha decidido ajudá-lo. E, de novo, Marina pediu que ele a seguisse. Ele fez uma reverência, no costume dos orientais, e os dois correram até o carro.”

Até que algo muito inusitado acontece com eles, mudando o clima da história para algo mais fantasioso. Isso faz com que Marina conheça So realmente. De onde ele vem e o porquê de certas coisas, como por exemplo ele não conseguir tocá-la. Confesso que em alguns momentos a partir desse ponto eu voltei algumas vezes certos trechos pra ter certeza que eu estava lendo certo rs.

So e Marina vão parar na Coréia do Sul e então temos a adição de novos personagens que tem uma importância enorme na história. Lee Tan é um roteirista de doramas coreanos e que tem uma grande influência na história de So. Ji-Hye é amiga de Tan e que aparece nos momentos certos. E Irene, que também é importante e vocês irão entender o motivo quando lerem. Eu gostei bastante desses personagens secundários e a história deles me arrancou um par de lágrimas. Marina e So então vão descobrindo como tomar as rédeas de suas vidas e serem ouvidos mesmo quando parece não haver saída e as coisas parecerem irreais.

“- Agora que a gente consegue conversar, você decidiu que não vai mais acreditar em mim ? _ Na voz dele, havia um misto de tristeza e desejo.”

Esse livro foi uma grata surpresa para mim. Veja bem, logo que ele foi lançado, eu surtei um pouco ~talvez muito rs~ com ele. A primeira coisa que me chamou a atenção foi a fonte de inspiração da autora em doramas coreanos. Quem me conhece sabe que eu AMO doramas coreanos e fiquei muito curiosa para descobrir que tipo de história seria. E posso dizer que não foi nada do que eu imaginei. A Gaby me pegou totalmente desprevenida e me deu uma surra de uma trama bem escrita. Pra quem é fã de k-dramas também vai se apaixonar pelo conjunto todo da obra.

Temos essa conexão de Brasil e Coréia que todo fã brasileiro sonha em ver nos doramas, não é mesmo dorameiros? rs. Temos algumas palavrinhas em coreano aparecendo aqui e ali que me deu uma emoçãozinha por reconhecê-las, além de frases de doramas amados em cada início de capítulo. Eu assisti a maioria dos doramas que a autora cita e fiquei mega feliz. Além disso essas frases tem tudo a ver com o capítulo referente e vem quase como uma mensagem subliminar.

Mas aí você que não gosta de doramas ou nunca viu nada sobre isso questiona “então esse livro é só pra quem curte essas coisas?” E a resposta é não. Pode ler sem medo que esse livro é pra você também. A história é super rápida e te prende do começo ao fim. A cada capítulo eu ficava mais e mais ansiosa para entender o que estava acontecendo.
Eu gostei bastante desse livro. So cresceu muito durante a leitura em busca da sua própria voz. Marina é um enigma no começo por eu querer dar uma sacudida nela para tentar mudar sua situação mas aos poucos vamos descobrindo mais dela também. Quando tudo na história fez sentido para mim e eu terminei a leitura, fiquei um tempo parada contemplando o que tinha acabado de ler. Foi surpreendente da melhor forma. Eu temo estar sendo repetitiva aqui mas é a verdade rs.

Em determinado momento da história, eu me peguei pensando em uma coisa que eu sempre vejo algumas autoras comentando que é o de como o personagem parece que ganha vida e começa a querer mandar na história toda. É como se ele tomasse o controle e depois de um grande bate-papo com o autor, o personagem acaba ganhando. Fez muito sentido isso pra mim neste livro e eu me peguei rindo sozinha e admirada rs. Quem já leu/ vai ler, vai me entender aqui.

“Os olhos de So viraram espelhos, a dor vindo à superfície, refletindo com intensidade o sofrimento de quem tolerou por tanto tempo o tormento, amordaçado, enjaulado em comportamentos que não eram seus, agonizando com sorrisos que eram desenhados em seu rosto, escondendo seu semblante desesperado.”

O livro é contado em terceira pessoa, e assim conseguimos ter uma ampla visão de toda a trama com todos os sentimentos dos personagens expostos. São 205 páginas, amareladas e com tamanho de fonte e espaçamento muito confortáveis para a leitura. Sem falar nesta capa linda demais. Eu conhecia a autora por causa do canal dela no Youtube, mas depois desse livro eu vou passar a segui-la com certeza.

Pule, Kim Joo So me deixou confusa no começo, mas me arrebatou totalmente no final. Nada é entregue ao leitor facilmente, tornando tudo ainda mais interessante. O foco não é o romance, apesar de ter me apaixonado por eles, mas sim a busca em ser ouvido e ter o controle da própria vida. É aprender que quanto mais a gente tenta fugir da dor ou qualquer sentimento que reprimimos, uma hora ou outra isso vai voltar e você terá que lidar com isso. Um livro divertido, envolvente e dramático. Eu indico muito essa leitura e deixo minhas 5 Angelicas pra provar o quanto gostei.
CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

11 comentários em “Resenha: ‘Pule, Kim Joo So – Gaby Brandalise’ 

  1. Amei a resenha muito rica de detalhes. Fiquei com muita vontade de ler esse livro pois fala de algo tão atual não é mesmo? Fiquei bem feliz por conta de um livro trazer algo tão atual e que precisa ser falado.
    Um beijo

    Curtir

  2. Olá, tudo bem?

    Vi muitas pessoas falando deste livro assim que lançou, principalmente os fãs de Doramas como você. Não sabia muito da história, mas já fiquei bem curiosa para lê-la. O fato da personagem ter esse relacionamento abusivo já me deixa instigada. Parece ser uma boa obra, com suas mesclas de realidade e aquela pitada de fantasia. Com certeza vai para a lista. Bela resenha, como sempre!

    beijos!

    Curtir

  3. Que resenha mais top. Eu ainda não li este livro, comprei um exemplar para presentear uma adolescente apaixonada por k-pop meio sem saber se iria agradar. Ela disse que amou e desde então eu to muito afim de ler ele apesar de não saber nada da cultura.
    Depois da sua resenha fiquei ate mais animada pois tinha receio de ser algo bem direcionada para quem curte.
    Beijos

    Curtir

  4. Oi, Tudo bom?
    Já ouvi algumas pessoas falarem desse livro e parece ser uma narrativa bem interessante embora eu ainda não li. Fique bem animada para ler com sua resenha, pois parece que sua opinião foi bem positiva.
    Beijos

    Curtir

  5. Olá! Morro de vontade de ler este livro. Apesar de não assistir doramas eu amo a cultura coreana (músicas, estilo, sistema, idioma, etc). Parece ser uma história ótima!
    amei o post, parabéns 🙂

    by: atravesdaescrita.blogspot.com

    Curtir

  6. Oi meninas, tudo bem? Que enredo incrível. Nunca tinha lido nenhuma obra coreana, ou mesmo inspirada. Assisti alguns filmes mas acredito não ser a mesma coisa não é mesmo? (risos). Acho legal quando o foco principal da história não é o romance e sim o aprendizado que o autor tenta transmitir. Quando ele mostra o crescimento, amadurecimento e evolução dos personagens. Além de percebermos que é uma história muito próxima da realidade e que qualquer um poderia facilmente passar por isso. Ótima indicação e resenha. Beijos da corujinha, Érika =^.^=

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi oi. Tudo bem e com você ?

      Eu sou a louca dos k-dramas (séries/novelas coreanas) e eu posso dizer que me senti assistindo a um com esse livro. E sim, o enredo é incrível. Se chegar a ler (e espero que sim) me conte o que achou 💜

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s