Resenha ‘Geekerela – Ashley Poston’

Oi ooooi gente! Hoje eu trouxe a resenha de um livro que é uma releitura moderna de Cinderela. Lançado em junho de 2017, pela Editora Intrínseca, eu venho tentando ler desde então. Eu sempre fui apaixonada por contos de fadas, mas quando eles vem modernizados, dá um charme a mais. Depois de alguns filmes nessa pegada, tava com uma super expectativa para esse livro. Antes de falar mais, vamos a sinopse…

Um divertido romance que traz a clássica história de Cinderela para os dias de hoje.
Quando Elle Wittimer, nerd de carteirinha, descobre que sua série favorita vai ganhar uma refilmagem hollywoodiana, ela fica dividida. Antes de seu pai morrer, ele transmitiu à filha sua paixão pelo clássico de ficção científica, e agora ela não quer que suas lembranças sejam arruinadas por astros pop e fãs que nunca tinham ouvido falar da série. Mas a produção do filme anunciou um concurso de cosplay numa famosa convenção valendo um convite para um baile com o ator principal, e Elle não consegue resistir. Na Abóbora Mágica, o food truck vegano onde trabalha, ela encontra a ajuda de uma amiga cheia de talentos para moda que vai criar o traje perfeito para a ocasião. Afinal, o concurso é a chance de Elle se livrar das tarefas domésticas impostas pela terrível madrasta e das irmãs postiças malvadas.
Já Darien Freeman, o astro adolescente escalado para ser o protagonista do filme, não está nada ansioso para o evento, embora o papel seja seu grande sonho. Visto como só mais um rostinho bonito, o próprio Darien também está começando a achar que se tornou uma farsa. Até que, no baile, ele conhece uma menina que vai provar o contrário.
Esta releitura de Cinderela transporta para o universo nerd os principais elementos do clássico conto de fadas, fazendo uma verdadeira homenagem a todos aqueles que sabem o que é ser fã e se dedicar de coração àquilo que amam.

Elle perdeu a mãe muito cedo e anos depois, seu pai também acabou falecendo. Mas, a deixou sobre a responsabilidade de Catharine e em companhia de suas duas filhas, Chloe e Calliope. Elle acaba sendo a faz tudo na casa e ainda trabalha, enquanto as outras duas curtem clubes, aulas de tênis e tudo mais. Mas existe algo que nunca ninguém vai tirar d Elle. Seu amor por Starfield, um seriado intergalático que ela assistia com o pai e que agora irá ganhar uma nova versão.

424.JPG

Seu amor por Starfield é tão grande, que Elle já escreveu fanfics e hoje mantém um blog para comentar sobre o tema. Além disso, ela é filha do fundador da Excelsicon, que é em homenagem a série e seus pais faziam cosplay dos personagens principais: Carmindor e Princesa Amara.

Meu pai me ensinou, muito tempo atrás, que é preciso mais que uma fantasia bem feita para merecer a insígnia da Federação. É preciso coragem e perseverança. É preciso ter todas aquelas coisas boas que ainda sinto no velho cosplay do meu pai. Todas as coisas que o vestido de galáxia da minha mãe guarda.

Darrien é o ator que irá assumir o papel de Carmindor no novo filme sobre a série. O problema é que ele é muito julgado por ser um “rostinho bonito” e que se envolveu em polêmicas. E a situação piora, porque os fãs de Starfield não acreditam que ele conheça o papel, sendo assim, acham que ele não merece. Só que ele é extremamente fã do seriado antigo, mas por ordens precisa manter isso escondido de todos.

Ele tem um certo trauma de pessoas que o usaram no passado e hoje só tem uma amiga verdadeira, Gail, que é assistente do seu empresário. Por conta disso, Darrien evita ir em convenções de fãs. Mas, ele é obrigado a ir a Excelsicon e será dessa forma que seu caminho cruzará com o de Elle.

Só quero ser bom. Quero honrar os pistoleiros estelares. Quero manter os pés no chão e passar por isso na maior tranquilidade, sendo o Darrien Freeman que o mundo pensa que sou, mas não é isso que meu coração de fã quer.

Elle ainda usa o celular que era do pai e Darrien manda uma mensagem para esse número para ver se consegue se livrar da convenção. Apesar do engano, eles continuam trocando mensagens e vão criando laços entre si. Só que tudo isso sem revelar suas verdadeiras identidades. Ele, o ator principal de Starfield e ela, a maior crítica do trabalho de Darrien. Ambos vão se ajudando a superar os problemas do dia a dia, os sofrimentos e começam a compartilhar incentivos.

Quando Elle decide que esse ano ela não só irá para a Excelsicon, como também irá participar do concurso de cosplay é que ela vai enxergar que tem uma grande amiga ao seu lado, Hera. Elas trabalham juntos no A Abóbora Mágica e será Hera que ajuda Elle com sua roupa, com a ida ao evento e todo apoio moral que ela pode precisar. Só que Elle tem Chloe no seu caminho, que quer ganhar o concurso para poder ser famosa na internet e ela vai tentar acabar com toda e qualquer chance que Elle possa ter de chegar a convenção.

– Eu também sempre achei que não era ninguém. Mas nós dois estamos errados. Nós somos quem quisermos ser. Qualquer um pode ser o que quiser.

Eu não quero falar muito sobre a história, porque é realmente uma releitura do clássico da Cinderela, de forma moderna, mas com diversos toques da cultura geek. Então vou deixar para vocês descobrirem como será o encontro entre Elle e Darrien, além de como será quando eles descobrirem quem realmente são um para o outro. 

425

Falando dos personagens, Elle é uma menina que nós temos muita facilidade de identificação. Ela é humana, marcada pela perda tão prematura dos pais, que sofre com o abuso psicológico da madrasta, mas que ainda tem seu lado encantador, o jeito geek apaixonada, que defende as coisas que ama com unhas e dentes e que tem um blog para escrever sobre isso. Seu pai foi quem apresentou a série para ela e seu amor é uma forma de ligação com o homem que perdeu, que tem medo de perder a identificação com tudo o que acreditou a vida toda e sua coragem surge da vontade de sempre ter essa marca em sua vida. O livro vai alternar as narrações entre Elle e Darrien.

– […] Esse seriado já me ensinou tantas coisas. Sobre amizade, lealdade. Já me ensinou a ter senso crítico e analisar todos os lados de uma história. Me ajudou a…

Já Darrien é o famoso que pode ter tudo aos pés, mas ainda é inseguro. Ele tem um pai relapso como empresário, que só quer saber de ganhar dinheiro, seus únicos amigos verdeiros são Gail e Lonny, seu segurança e, agora, Elle. Através dele podemos ver que nem tudo são flores para os artistas. Eles são (pré) julgados, são forçados a se meterem em relacionamentos por marketing, precisam esconder suas reais preferências. Darrien é um menino que tem uma vida que muitos queriam, mas não pode vivê-la como ele quer.

Engraçado que Elle odeia o Darrien, ele se sente atacado pelas coisas que ela escreve em seu blog. Ambos tem mundos tão distintos, mas por causa de um toque do destino eles se conhecem e se identificam tanto. Seja pelo amor que tem pela série, pelos conselhos que passam a trocar ou pelo amor que começa a brotar. E só nos restas torcer e esperar pelo momento que eles irão descobrir quem são e se encontrarão.

– […] Você não é o Carmindor. É a Amara. E sabe por quê? Porque você só tinha uma história secundária, mas conseguiu sobreviver a ela. E é humilde e corajosa. – Ela se agacha novamente e bota a mão nos meus ombros. – Elle, no último capítulo, para mim a Amara não acabou com tudo. Ela salvou o universo.

Dos secundários, o destaque é toda da Hera. Ela é excêntrica, com cabelo verde, que faz suas próprias roupas, que tem um sarcasmo latente e respostas afiadas. Quando ela se disponibiliza a ajudar Elle em seu cosplay, elas vão percebendo muitas coisas em comum e começam a se divertir juntas. Inclusive roubam um cachorrinho que seria mandado embora de casa e isso rende muitas risadas, porque Franco, o cachorro salsichinha, apronta todas. Hera vai provar, mais de uma vez, que ela é a melhor amiga que Elle poderia ter.

426.JPG

Se temos uma outra personagem surpresa nesse livro, é Calliope. Cal, é uma da irmãs de Elle manda sinais confusos para o leitor durante boa parte do livro, mas no final, ela nos reserva uma grata surpresa, um desenvolvimento muito bom e nos desperta carinho e empatia. Ela vive nas sombras da mãe, Catherine, e da irmã, Chloe. Para as duas não tem desculpa e podemos ver até o fim como são pessoas más.

– Minha nossa – comenta ela -, estou no paraíso dos nerds.
– Ah, minha jovem Padawan – respondo, acenando para o resto do salão -, tudo aquilo que a luz toca é o nosso reino. Vamos explorar.

A escrita da Ashley é muito boa, gostosa e cativante. Ela nos trás mesmo a sensação de envolvimento com a cultura geek, as referências… Desde citações de livros como Harry Potter, O Senhor dos Anéis e Star Wars, até a parte da convenção e seus cosplayers, ela passa verdade e conhecimento sobre o que está escrevendo. Ela ainda trás uma história que fala sobre auto estima, coragem para perseguir os sonhos e o legado que alguma coisa pode marcar na nossa vida. É um yound adult que todos podem ler e se encantar.

A diagramação da Intrínseca é um dos trabalhos mais lindos que já vi! Desde a capa, contra capa, orelhas e as divisões das três partes que o livro é dividido. Todos os detalhes sobre a história estão li representados. Quanto a parte da leitura, as folhas são amareladas, com letras e espaçamentos confortáveis para a leitura.

Com um romance de conto de fadas modernos, muita referência geek e amizades incríveis, Geekerela não só ganhou meu coração, como também ganhou as cinco Angélicas. CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

 

 

12 comentários em “Resenha ‘Geekerela – Ashley Poston’

  1. Sou louca para ler esse livro! Acho a capa dele maravilhosa, sem falar nessa edição e diagramação que está impecável! To completamente apaixonada ❤

    Curtir

  2. Que lindo esse conto ele realmente deve ser lindo adoro cinderela e adorei saber que esse livro é inspirado nesse conto.
    Bem moderno e cheio de encantos, já está anotado para minhas próximas compras de livros.

    Curtir

  3. Aaaaaah 🤤💙 já quero ler, confesso que não gosto do conto mesmo como ele é, gosto mais quando tem alguma modernização, tipo o da Chapeuzinho vermelho (moderno) 😂💙 amo muito o livro! E esse da Cinderela deve ser ótimo! 💙

    Curtir

  4. Oi Raíssa, tudo bem?

    Estou louca para ler esse livro desde que foi lançado e sua resenha apenas aumentou esta vontade, pois está simplesmente espetacular. Eu adoro releituras de clássicos, pois é sempre interessante ver como conseguem colocar modernidade e conseguir fazer um excelente trabalho. A capa é realmente muito bonita, assim como todos os outros detalhes que você trouxe. Amei!

    Beijos!

    Curtir

  5. Olá, tudo bem? Desde o lançamento estou louca para ler esse livro, mas acabei não conseguindo comprar até agora.
    A sua resenha está bem completa e me deixou mais curiosa do que antes, gente que design lindo!
    Amei ♥

    Curtir

  6. Me pareceu ser um livro divertido de se ler. Mesmo eu não gostando muito dessa pega de releitura, as referências geeks acabam me chamando atenção.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s