Resenha: ‘Uma Estranha em Casa – Shari Lapena’

Oi gente!! Desde que eu fui no Mochilão da Record e este livro foi apresentado no evento que eu fiquei interessada em ler. Peguei pra ler na última semana e não consegui parar enquanto não terminei. Uma Estranha em Casa é um dos lançamentos deste ano da Editora Record e eu fiquei bastante surpreendida pelo enredo. Antes de falar mais sobre ele, confiram a sinopse…

“Karen Krupp acorda no hospital, sem ter a menor ideia de como foi parar nele. Tom, seu marido, diz que a porta estava destrancada quando ele entrou em casa, as luzes acesas, e que a esposa provavelmente saiu às pressas quando estava preparando o jantar, pelo que ele viu na cozinha. Karen perdeu o controle do carro enquanto dirigia a toda a velocidade e bateu de frente num poste. O mais estranho: o acidente aconteceu num dos bairros mais perigosos da cidade. A polícia suspeita de que Karen esteja envolvida em algo obscuro, mas Tom tem certeza de que não. Ele está casado com ela há dois anos, conhece muito bem a mulher. Será mesmo? Vai perguntar tudo a Karen quando chegar ao hospital, depois de dizer que a ama e que está feliz por ela ter sobrevivido, é claro. Mas Tom não obtém resposta nenhuma… porque ela não se lembra de absolutamente nada.”

20180813_172252

Karen Krupp é a típica dona de casa de classe média. Não há nada nela, nem no marido, Tom, que levante suspeitas de que ela poderia ter um segredo. Então porque Karen estava dirigindo em alta velocidade do outro lado da cidade, numa região super perigosa? Karen estava correndo tanto que acabou batendo com o carro e indo parar no hospital. Quando Tom chega em casa acha muito estranho que a esposa não esteja lá e que aparentemente tenha saído correndo de casa.

Tom começa a ligar  para todas as amigas de Karen, afinal só uma emergência tiraria a esposa de casa dessa forma. Quando ninguém consegue dar nenhuma notícia, Tom liga para a polícia. Logo depois dois polícias chegam à residência dos Krupp para informar que Karen sofreu um acidente e que está no hospital. Tom fica desesperado e vai correndo para lá junto com os policiais. Ele fica totalmente assustado quando sabe onde Karen estava no momento do acidente, pois eles não conhecem ninguém naquele lugar.

Quando Tom chega ao hospital descobre que Karen não se lembra de nada desde o momento em que estava fazendo o jantar até a hora que acordou no hospital. O médico avisa que por causa da concussão, Karen está com amnésia temporária, mas que ao longo dos dias ela poderá ir voltando aos poucos. A polícia acha essa amnésia de Karen muito suspeita, mas não podem fazer nada sobre isso. Ela recebe alta do hospital e passa a se preparar para responder na justiça por direção perigosa.

“É quase como antes. Mas não é nada como antes.”

Em paralelo a isso temos uma investigação de homicídio. O detetive Rasbach quer descobrir quem é a vítima e quem teria motivos para ter matado o homem. Aparentemente foi um assalto seguido de morte, mas ele não quer deixar nenhuma pista passar. E é assim que ele chega ao acidente de Karen e resolve investigar se por acaso ela viu algo naquela noite e por isso estava dirigindo tão imprudentemente.

Quando os Krupps recebem a visita do detetive Rasbach, Karen se dá conta que está mais encrencada do que apenas uma infração de trânsito. Foi encontrado na cena do crime um par de luvas rosas com marcas de pneus que batem com as do carro de Karen. Quando o detetive pergunta à Karen o que ela estava fazendo próximo de uma cena de crime ou se as luvas eram dela, Karen continua a afirmar que não se lembra de nada.

Tom fica louco com a possibilidade de Karen ser indiciada por homicídio além do fato de achar que não conhece realmente a esposa. Ele acaba ficando mais desconfiado quando a vizinha, Brigid, conta para ele que viu quando Karen saiu eufórica de casa e ainda levanta a questão de não conhecerem ninguém que já foi próximo de Karen antes dela conhecer Tom.

“Ela não sabe o que aconteceu na noite passada. Mas sabe que o que quer que tenha sido, foi apavorante e ainda a ameaça.”

Durante toda a investigação, nós vamos descobrindo pequenas pistas, tanto daquela noite onde a vida perfeita dos Krupp mudou, como do passado de Karen. Conforme vamos descobrindo, percebemos como Tom realmente não conhece a mulher com quem se casou. Ela tem tantos segredos que até os detetives não acreditam na perda de memória dela. Felizmente alguns segredos são revelados mais rapidamente e a gente começa a questionar quem são os nossos protagonistas.

Tudo isso que está acontecendo na vida dos Krupp acaba prejudicando a relação que eles tinham como casal, pois Tom se pega desconfiando de Karen o tempo todo. Eles eram o tipo careta de casal, nunca quebravam as regras e agora Tom tem que mentir por Karen. Ele não gosta de mentiras, então não sabe fazer muito bem. É nesse momento que ele percebe como Karen mente para a polícia sem nunca se abalar. Se ela pode mentir assim para as autoridades, então não seria fácil enganá-lo também? Tom fica louco com todas as dúvidas.

“O que é o amor, afinal de contas, senão uma grande ilusão? Nós nos apaixonamos por um ideal, não pela realidade.”

A narrativa é feita em terceira pessoa, só que temos os pontos de vistas dos principais protagonistas e assim podemos acompanhar a linha de raciocínio de cada um deles. Temos Tom surtando pela possibilidade da esposa ser uma assassina. Karen, que até o último capítulo teve segredos para revelar. A vizinha Brigid, melhor amiga de Karen e que passa seus dias observando seus vizinhos e que ao longo da história vemos que ela tem um papel muito importante na narrativa. E também temos o detetive Rasbach querendo a todo custo saber quem é Karen Krupp e porque ela estava fugindo de uma cena de crime?

Uma Estranha em Casa é o segundo livro da autora Shari Lapena a ser publicado no Brasil. Eu li em ebook, mas acho a edição física muito bonita e com certeza vou comprar em breve. A começar pela capa misteriosa. A diagramação do ebook é bem simples, não tem início de capítulo elaborado e nem o nome quem está narrando no momento. O livro tem capítulos curtos e podemos ter vários pontos de vista dentro de um mesmo capítulo. Por serem curtos, a leitura é fluída e quando nos damos conta já estamos lendo a nota da autora.

20180813_172833

O destaque dessa história são as duas mulheres: Karen e Brigid. Inicialmente duas vizinhas que se dão muito bem ao ponto de serem melhores amigas, mas que ao longo da história vamos descobrindo que não era bem assim. Mistérios vão sendo revelados das duas mulheres e nos pegamos querendo saber quem é a mocinha e quem é a vilã. Eu não gostei de Tom. Eu entendo que para um cara super certinho foi bem difícil se vê numa trama policial, mas a insegurança dele muitas das vezes me irritou. Ele surta na maioria do tempo, pois tudo aquilo parece surreal para ele, tanto que as as vezes se ele fica satisfeito de ver Karen sofrendo. Afinal tudo isso é culpa dela.

“Tom a observa voltar para o carro. Ela está chateada, mas ele não se importa. Isso até lhe dá uma espécie de satisfação perversa. Afinal, é tudo culpa dela.”

Apesar da maioria dos segredos serem revelados lá pela metade do livro, Shari guardou um plot twist para o final e para ser bem sincera eu não esperava. Eu fui bem trouxa numas situações e fiquei com cara de “isso não está acontecendo.” Eu me senti manipulada pela Shari porque como tivemos tantas revelações no decorrer da história, eu não esperava por um final daqueles onde você ainda se pega pensando quem realmente é o vilão dessa história. Aí vocês me perguntam, mas e o homem assassinado? Quem era ele? Quem o matou? O mistério sobre quem é o homem é revelado na metade do livro, mas quem o matou já é um mistérios que eu não poderia contar, pois revelaria coisas demais. Tipo um mega spoiler, então leiam o livro rs

Uma Estranha em Casa é um thriller policial bem gostoso de ler, tem narrativa envolvente, vai direto ao ponto sem ficar descrevendo tantas coisas e acredito que seja um ótimo livro para quem está se arriscando no gênero assim como eu. Ainda que para muita gente tenha sido previsível, pra mim foi um bom livro e uma leitura bem rápida. Não tenho reclamações quanto a isso. O final me deixou com uma pulguinha atrás da orelha com se tivesse uma possibilidade de continuação, então já fiquei na expectativa. Enfim, deixou 4 Angélicas.  CLASSIFICAÇÃO 4 ANGÉLICAS

 

 

 

11 comentários em “Resenha: ‘Uma Estranha em Casa – Shari Lapena’

  1. Nooossa.. Parece bem legal. Taí um livro que eu leria em inglês, pois preciso ler um livro assim, em terceira pessoa em inglês. Estou me aventurando no gênero também, porém meu livro será um pouco menos thriller e pouco mais romance investigativo. Espero vê-lo por aqui quando lançá-lo. Um abraço \o
    Rapeize Dinâmica

    Curtir

  2. Caramba, esse livro parece ser muuuitooo Bom! Há tempos não leio uma história de mistério e segredos como essa, e a sua resenha além de não ter dado nenhum spoiler, consegue aguçar e muito a vontade de quem a lê! Adorei!

    Curtir

  3. sabe, essa premisa mas faz pensar em um filme eu vi a muito tempo.
    A pessoa que estava na casa nao era quem o protagonista pensava ser.
    Enfim, o livro parace ser bem maneiro.
    Se achar por aqui vou dar uma olhada.

    Curtir

  4. Gosto muito deste tipo de livro, pois prende a atenção, ficamos em duvida de quem é o vilão e quem é o mocinho, rs, este tipo de triller sempre traz a suspeita de quem é bonzinho, pode no final ser o vilão. Anotarei o nome para ler, beijos

    Curtir

  5. Olá!
    Lendo sua resenha, fiquei com duas dúvidas:
    1) Até que ponto Tom desconhece as coisas.
    2) Se o livro cai no velho clichê das duas mulheres muito amigas que, na verdade, têm uma amizade falsa. Se esse for o caso, que decepção.
    Gosto muito de thriller policiais, sou apaixonada por Harlan Coben. Creio que seja difícil algum superar os livros dele, mas quem sabe eu não dou uma chance?
    Abraços! 🙂

    Curtir

  6. Olá!
    Adoro um thriller ejá tem tempo que não leio um bom, esse livro vem sendo bem comentado, e não vejo a hora de poder conferir esses mistérios e segredos. Não sou muito fã de livros narrados em terceira pessoa, geralmente eu me perco, mas mesmo assim fico super interessada e espero poder conferir em breve!

    beijos

    Curtir

  7. Olá
    Gente eu amo tramas policiais que débito desde a quarta série, gosto de livros assim, cheio de mistérios e que enche nossa cabeça de duvidas

    Curtir

  8. Oi Dri,

    Acho tão legal essa sua nova fase de leitura. Eu ainda não consigo ler suspense, aquela velha história do assassino pular do livro, mas confesso que fiquei intrigada pelos segredos vida Karen e não sei se tô certa, mas tive muita pena de Tom, que sequer conhecia a mulher.
    Parabéns pela resenha.
    Bjs

    Curtir

  9. Eu também participei do mochilao aqui na minha cidade e lembro de ter ficado curiosa com a trama. Mas confesso a que sua resenha aguçou muito mais minha curiosidade que o encontro da Record. Adoro estas tramas que te fazem pensar e tentar desvendar os mistérios. São ótimas para leitura coletiva. Beijos

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s