A Hora do Chá ‘Cilada para um Marquês – Sarah MacLean’

Oi ooooi gente! Estou de volta a nossa querida coluna semanal, onde podemos trazer algumas das nossas paixões de época. Dessa vez, eu venho falar do primeiro livro da série Escândalos e Canalhas, da Sarah Mclea, que vem sendo lançados pela Editora Gutenberg. Preciso começar dizendo que uma das coisas mais legais nesse livro é que são inspirados nas revistas de fofoca! Mas vou falar mais sobre isso lá embaixo. Antes disso, confiram a sinopse…

Sophie Talbot é conhecida pela Sociedade como uma das Irmãs Perigosas – mulheres Talbot que fazem de tudo para se arranjar com algum aristocrata. O apelido chega a ser engraçado, pois se existe algo que Sophie abomina é a aristocracia. Mas parece que mesmo não sendo uma irmã tão perigosa assim, o perigo a persegue por todos os lugares. Quando a mais “desinteressante” das irmãs Talbot se torna o centro de um escândalo, ela decide que chegou a hora de partir de Londres e voltar para o interior, onde vivia antes de seu pai conquistar um título. Em Mossband, ela pretende abrir sua própria livraria e encontrar Robbie, um jovem que não vê há mais de uma década, mas que jura estar esperando por ela. No entanto, ao fugir de Londres, seu destino cruza com o de Rei, o Marquês de Eversley e futuro Duque de Lyne, um homem com a fama de dissolver noivados e arruinar as damas da Sociedade. Rei está a caminho de Cumbria para visitar o odioso pai à beira da morte e tomar posse de seu ducado. Tudo o que ele menos precisava era de uma Irmã Perigosa em seu encalço. O Marquês de Eversley está convicto de que Lady Sophie Talbot invadiu sua carruagem para forçá-lo a se casar com ela e conquistar um título de futura duquesa. Já Sophie tenta provar que não se casaria com ele nem que fosse o último homem da cristandade. Mas e quando o perigo tem olhos verdes, cabelos claros e a língua afiada? Essa viagem será mais longa do que eles imaginavam.

Nossa mocinha é Sophie Talbot, a mais nova das Irmãs Perigosas. As irmãs Talbot ganharam esse apelido, pois fazem de tudo para conquistarem homens ricos e da aristocracia, como Seraphina, a irmã mais velha, já conseguiu. A questão, é que esse fato está muuuuito longe de ser o que Sophie deseja de verdade. Ela apenas deseja poder ser ela mesma, voltar para a cidadezinha que nasceu e poder reencontrar o jovem com quem queria se casar tantos anos antes.

457.JPG

Só que seu pai agora é um Conde, suas irmãs querem bons casamentos, então Sophie precisa frequentar as festas e morar em Londres. Mas, quando a jovem Talbot se encontra no meio de um grande escândalo, quando vai defender a honra de sua irmã mais velha, ela percebe que os lordes e as ladies irão lhe dar as costas e esse é o sinal para ir atrás do que tanto quer.

“Irmãs Perigosas” era o segundo apelido. O rótulo era carregado por suas três irmãs mais velhas e solteiras, cada uma delas envolvida em um caso de amor extravagante, com pretendentes igualmente extravagantes – esses casos ficavam nos limites do escandaloso e permaneciam em risco constante de não se concretizarem.

Quando se prepara para deixar a festa, ela esbarra com Rei, também conhecido como Marquês de Eversley, fugindo de mais uma cena flagrante, pulando pela janela e tentando fugir. Então, ela decide pedir ajuda aquele famoso canalha. Só que Rei conhece a fama das Irmãs Perigosas e acredita piamente que ela esta ali para amarrá-lo em um casamento, então nega a carona que ela pede.

O fato é que Sophie não desiste fácil das coisas, então decide trocar de roupa com o criado do Marquês de Eversley e subir na traseira da carruagem. Só que a mocinha não esperava que a sua carona se destinava a Cúmbria e ela estava muito longe de onde queria, de fato, estar. Ela permanece no personagem até se reencontrar com Rei em uma estalagem e ele reconhecê-la. Assim, começa uma nova troca de acusações de que ela está atrás dele e ela afirmando que só quer ir para sua antiga cidade.

E foi naquele momento que Sophie não conseguiu mais suportar aquele mundo de regras, hierarquia e desdém. Aquele mundo no qual ela não tinha nascido. O mundo que ela não escolheu. O mundo que ela odiava.

Enquanto tenta provar a Rei que não quer depender dele, Sophie vai se meter na primeira das várias confusões que estão por vir e acaba ferida. O homem, que descobre o que houve, vai até ela e a socorre. E, vai ser nesse período, que ambos vão começar a desenvolver uma amizade, uma atração e ter vários de seus momentos cômicos.

O marquês aceita levar a dama até onde quer, para que ela possa realizar o sonho de abrir sua livraria e casar com o filho do padeiro. O problema é que quando ela chega onde queria, descobre que alguns de seus sonhos não podem se tornar realidade. Mas seus desejos, esses sim Rei pode e vai ajudá-la.

E, Rei vai fazer um trato com Sophie. Ele lhe dará a sua tão sonhada livraria e ela vai junto com ele ao encontro do pai que tanto odeia, por algo que fez no passado. Seu intuito é que o mais velho acredite que seu filho irá se casar com uma das Irmãs Perigosas. Mas, o verdadeiro perigo é quando sentimentos começam a brotar quando menos se quer, quando menos se espera. Quando tudo o que um quer é que a linhagem morra consigo e a outra deseja se entregar, nem que seja uma vez, antes de viver só. E, mais perigoso ainda, é quando os sentimentos começam a clarear, a guarda baixar, mas traições podem acontecer.

“Mulheres são conhecidas por sua capacidade de suportar a dor”, foi a resposta dela.
“Humm… E pensar que você são consideradas o sexo frágil.”
Ela olhou atravessado para ele.
“Um rótulo sem dúvida atribuído por um homem que nunca testemunho um parto.”

Vou parando por aqui, porque é incrível ver tudo o que esses dois passam e as boas risadas que eles irão trazer. Mas, quero falar, claro, dos personagens. Sophie é uma das melhores mocinhas que já cruzei. Ela mostra a que veio desde o primeiro instante. Ela não consegue ver, mas é forte demais. Sua força brota de dentro de seus sonhos e sua vontade de ser mais do que a sociedade julga ser bom e importante. Fora que ela tem um humor incrível e um coração enorme. É impossível não se identificar com alguma coisa dela, principalmente com seu sonho de abrir uma livraria! E então, tem seu lado inseguro, que todos temos. O lado que acredita que não vai conquistar o amor, mesmo que ele esteja mais perto do que ela imagina. Mas, não tem medo de se entregar, se jogar nas situações.

Rei… ah Rei! Como não suspirar? De cara, podemos pensar que estamos de frente com mais um canalha, principalmente nos livros de época, mas ele tem muito mais camadas do que podemos imaginar e segredos para nos contar. Ele foi marcado no passado por algo que o mudou drasticamente e o fez ser o cara com fama de acabar com noivados, que gosta de fazer corridas de cambriolés com seus amigos. Ele também tem sua alta dose de humor, seu jeito preocupado, ainda que relaxado. Ainda que cometa erros, ainda mais no auge da cabeça quente, o Marquês de Eversley sabe como nos (re)conquistar.

A raiva tomou conta dela, daquela mulher estranha e surpreendente. Ela estava diante dele, molhada e ferida, e ainda assim era uma guerreira.
Ele a queria. E isso era perigoso demais. Para eles dois. Ele estava ali para mantê-la viva. E só.

Além dos principais, preciso destacar as outras Irmãs Perigosas. Elas são um perigo, de fato! Mas de diversão, loucura e muitas aprontações haha. Elas, certamente, agitam o local onde estão e não tem muitas papas na língua. Por sinal, não se fazer de rogadas e assumem os apelidos que dão a elas, sem se importar com o resto da sociedade.

Vocês não imaginam o quanto eu amei essa história. Há tempos queria ler os livros da Sarah MacLean, que sempre falavam tão bem e ganhei os dois primeiros livros de Escândalos e Canalhas. E me apaixonei nas primeiras linhas. A escrita dela é super gostosa e fluída, te envolvendo em tudo o que os personagens estão vivendo. Suas aventuras, suas risadas, suas descobertas, seus erros e amores. Amo quando devoro uma história, quando me apaixono pelos personagens, quanto sinto vontade de estar vivendo cada segundinho, quanto me sinto cativada até pelos sorrisos que imagino eles trocando. E gosto de conhecer uma autora nova e ela me conquistar a ponto de já estar “QUERO TODOS OS SEUS LIVROS”. A narrativa é em terceira pessoa, como acontece na maioria dos romances de época e que não teria como ser melhor.

“Felicidade! É esse o cheiro dos livros. Felicidade. Por isso eu sempre quis ter uma livraria. Existe vida melhor do que vender felicidade?”

Além de imaginar um livro para cada secundário hahaha. E isso acontecer e temos o próximo livro que vem falar de uma amigo de Rei! Mas, isso é papo para a próxima semana rs.

458.JPG

A diagramação é daquelas “simples, mas linda”. Como disse lá em cima, a autora se inspirou em revistas de fofoca, entãão, cada abertura de capítulo parece uma manchete de jornal de fofoca. É como se existisse mesmo um periódico de fofoca, com o nome ‘Escândalos e Canalhas’, nos contanto as peripécias dos nossos mocinhos, dando nomes dignos de babados. No final, a autora ainda trás uma nota, para contar mais sobre sua inspiração para o livro. As folhas são amareladas, com letras e espaçamento ótimos para a leitura. Além de uma capa linnnnnda! Sou muito apaixonada por ela.

Não teria como não dar cinco Angélicas para Cilada para um Marquês e sua história com direito a muita diversão, romance e sonhos. Semana que vem eu volto, para falar sobre o segundo livro da série! CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

 

 

 

 

10 comentários em “A Hora do Chá ‘Cilada para um Marquês – Sarah MacLean’

  1. É tão bom quando nos identificamos com os personagens, a história e toda a trama de um livro! A leitura se torna um prazer e acaba por ser inesquecível. Tendo uma mocinha tão carismática e admirável, fica mais fácil ainda de se gostar! Mais uma bela dica dos deliciosos romances de época.

    Curtir

  2. Gosto muito de filmes e livros que retratam essa época mais medieval da história, não costumo ler livros focados em romance, mas sei abrir exceções quando encontro algum bom e esse parece ser o caso. Vou procurar saber mais a respeito dele e espero que possa ler no futuro se tiver tempo. Abraços!

    Curtir

  3. Olá
    Gente que legal esse, adorei ver essas páginas de ‘jornal’ no livro, realmente conseguiu chamar minha atenção para uma história que provavelmente não me chamaria tanto pelo fato de romance não ser muito meu tipo de leitura, já que prefiro mais ação, sua resenha também me trouxe curiosidade com essas Irmãs Perigosas.

    Curtir

  4. Quando a gente se identifica em determinados personagens durante a leitura de uma livro, a leitura caba se tornando cada vez mais agradável e torna-se a nossa favorita ou melhor dizendo fica entre as nossa favoritas e o modo como você descreu este romance de época, com certeza vai influenciar a outras pessoas a lerem esta obra.

    Curtir

  5. Olá!
    Ahh que saudade de ler um romance de época rs
    Já tem um tempinho que não leio esses romances divertidos e que aquecem o coração. Muito boa a sua crítica e fiquei bem animada, pois ainda não li nada da autora, mas está na minha lista e pretendo ler ease ano ainda.

    Beijos

    Curtir

  6. Aaaaaaaaaaaaai acabei de ler esse livro e eu tô muito apaixonada pela escrita da Sarah. Entrou pro meu top 5 de escritoras de época preferidas e só posso dizer que quero maaaaaaaais ❤

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s