Resenha: ‘E Se Acontece? – Melanie Harlow e David Romanov’

Oooooi oi pessoas. Estou de volta e trazendo um livro bem especial. ‘E se Acontece?’ foi publicado pela Hoo Editora no semestre passado. Ele é o primeiro romance homoerótico que eu leio e já adianto que gostei muito mais do que esperava. Mas antes de mais detalhes, confere a sinopse:

“Maxim não planejava se envolver com Derek Wolfe. Na verdade, ele não queria se envolver com ninguém. Seu único objetivo era começar uma nova vida na América. Porém o destino o empurra para os braços desse homem misterioso quando Maxim perde todos os seus documentos e dinheiro. Derek vem em seu socorro e oferece um lugar para ficar. Sua inteligência, suas estranhas manias fofas e seu corpo sexy só adiciona combustível à química que existe entre eles. E cada dia se torna mais fácil negar que existe algo real entre os dois. Mas Derek nega. Diz que estava bêbado. Diz que não voltará a acontecer. Diz que não quer esse tipo de relação e eles não podem ficar juntos. Ele está mentindo. Porque acontece novamente, e novamente, e novamente. E é melhor sempre do que a última vez. Maxim acredita que eles podem ser bons juntos e quer ter a chance de tentar. Ele está cada dia mais certo de que não pode viver sem o Derek nem com esse questionamento pendente entre eles: E se Acontece?”

Maxim partiu da Rússia por impulso e sem nenhum planejamento, só com a promessa de seu amigo Jake lhe buscar no aeroporto e um deposito de aluguel para um mês de um apartamento que ele nem sabe como ou onde é. Assim que Maxim pisa nos Estados Unidos as coisas não acontecem do jeito que ele esperava. Muito pelo contrário, vão de mal a pior. Primeiro, Jake não aparece e ele se vê sem saber pra onde ir. Decidindo pegar um táxi e ir para o centro onde espera achar um lugar para comer e carregar seu celular, acaba sendo roubado. Agora além de não ter onde ficar, ele está sem sua mala e nenhum dinheiro.

Mas o azar não dura muito tempo, pois Ellen, dona do bar e uma moça super simpática que se solidariza de imediato com a situação de Maxim, resolve ajudá-lo. Ela acaba ligando para seu irmão Derek, que em um primeiro momento não fica nada feliz com sua irmãzinha pedindo para ele abrigar uma pessoa que ele nem conhece. Até que ele chega no bar e conhece Maxim. Ele não é nada do que Derek esperava e ele se surpreende por gostar do cara e acaba levando Maxim para sua casa.

Desde que se viram ficou óbvio toda a atração que um sente pelo outro. É algo imediato. Mas a principio os dois tentam mascarar isso como gratidão e compaixão. Maxim está extremamente grato por toda a ajuda de Derek e tenta disfarçar a atração deduzindo que Derek seja hétero, enquanto Derek diz para si mesmo que só está ajudando alguém que realmente está precisando e isso será por pouco tempo e a atração que sente é coisa de sua cabeça. Mas com os dois convivendo na mesma casa o tempo todo não demora muito para a atração falar mais alto, e a partir do primeiro beijo, nada será como antes.

“Ele estava tão perto que dava pra ver seu peito subindo e descendo, ouvir a respiração, perto o suficiente para que eu me pegasse pensando em duas palavrinhas perigosas – e se ?

Depois do beijo ardente e intenso que logo se transformou em uma liberação de tensão sexual desenfreada, Derek se recusa a reconhecer o que realmente está sentindo. Ele diz para si mesmo que não é gay, que isso não passa de um loucura e que não vai se repetir. Derek sonha em casar e ter filhos. Ele já tem 36 anos e acha que já passou da hora de ter uma família e não vai aceitar que nada mude seus planos. Além do mais, o que as pessoas irão dizer se descobrirem sobre ele e Maxim ? E seus pais ? Ele não quer manchar sua reputação.

“Negação era um jogo no qual eu era mestre. Estava familiarizado com o campo, tinha todas as estratégias memorizadas e o uniforme servia em mim como uma luva.”

Maxim se chateia com a atitude de Derek mas por fim, aceita. Derek está sendo muito importante nesta fase complicada de Maxim e ele sente que só tem que agradecer e não cobrar algo. Mas depois que eles dormem juntos de novo e de novo, os sentimentos vão entrar no meio e como um cara bem resolvido que é, Maxim está super bem com isso e começa a desejar mais de Derek, que mesmo depois de admitir que sente algo por Maxim e iniciar um caso em segredo, ainda se recusa a assumir para o mundo.

Temos nesta história os dois lados na moeda. O de Maxin que sempre soube que era atraído por homens, mas nunca pôde se assumir publicamente pois na Russia isso é totalmente inaceitável. Se vocês acompanharam a Copa do Mundo deste ano puderam ter uma ideia de como as coisas são por lá. Nos EUA as coisas são diferentes e apesar de estar focado em sua prioridade, que é estudar para se tornar um grande roteirista de Hollywood, e não estar em busca de um relacionamento, ele aprecia muito a liberdade que tem de ser o que realmente é. Isso só se intensifica quando seus sentimentos por Derek começam a evoluir.

Já Derek foi educado dentro de um seio familiar muito católico e convicto de suas crenças. Seus pais, principalmente o pai, são intolerantes e sempre ensinaram seus filhos, Derek, Ellen e David, de que ser gay era errado, um grande pecado. Para Derek, que desde os 12 anos se viu sentindo algo a mais por meninos, virou um homem em negação. Ele reprimi todos os sentimentos e pensamentos em relação a isso achando que algo não está certo com ele. Ao longo dos anos isso virou algo natural e ele conseguiu esconder muito bem. Até Maxin aparecer. Só que essa educação que teve desde cedo está tão enraizado em seu ser que vai ser muito difícil para ele lidar com esta situação.

“Ele queria ser aceito. O problema é que o que ele buscava não era a minha aceitação. Era a sua própria.”

Eu amei este livro em um grau que sei nem dizer rs. Que relação mais linda, mesmo com todos os obstáculos pelo caminho. Os degraus construídos ao longo da trama é tão envolvente e eu me peguei fazendo figa para tudo dar certo. Principalmente, eu quis abraçar o Derek e dizer a ele que tudo bem ser quem ele é de verdade e que ninguém tem nada a ver com sua vida e suas escolhas.

Maxim eu simplesmente quis colocar em um potinho. Que personagem mais apaixonante. Mesmo nas horas mais difíceis, estando perdido um um país desconhecido e sendo roubado, ele manteve sua positividade e bom humor, encarando as coisas com tranquilidade. Além de todos os momentos em que ele foi fofo ao extremo e eu sempre estava com um sorrisinho bobo no rosto lendo essas cenas.

Outros personagens foram muito importantes para a história. De cara já devo citar Ellen, irmã de Derek. Ela é tão pra cima, adora ajudar quem precisa, e apoia o irmão cem por cento. Mas ela vai ser de grande apoio mesmo é para Maxim. Gage é o melhor amigo de Derek e sempre que aparecia me fazia sorrir. Carolyn a princípio é só uma mulher com quem Derek teve vários encontros frustrados mas que no fim vai ser uma peça chave para o dilema de Derek.

A diagramação está simples, mas nos proporciona uma leitura agradável, com páginas amareladas e fonte de um ótimo tamanho e espaçamento. Temos o ponto de vista dos protagonistas e eu gosto muito deste tipo de narrativa e neste livro foi perfeito para conseguir acompanhar o que os dois estavam sentindo de fato. Devo acrescentar que, pra mim, essa capa não casa em nada com a história. No fim do livro temos uma entrevista com os autores. Melanie Harlow e David Romanov são amigos próximos e a história surgiu por conta de David que apresentou a ideia para Melanie. Muito do que David escreveu foi inspirado em sua própria vida. Várias outras curiosidades são reveladas nesta entrevista e descobrimos vários detalhes interessantes e eu adorei este adendo.

received_313399219208937.jpeg

‘E se Acontece?’ tem a dose certa de tudo que eu gosto em um romance. Por ser hot, vamos sim ter algumas cenas beem quentes entre esses protagonistas. Eu quase peguei algo para me abanar rs. A forma como essas cenas são sensuais, intensas e passam uma verdade, só me fez amar este livro ainda mais. É a pura descoberta de que o que te faz feliz é o que realmente vale a pena no final. É se perguntar se quer viver como os outros esperam que você viva e ser infeliz, ou encontrar a felicidade ligando o dane-se para o que vão pensar. Derek vai acabar tendo que colocar na balança todos os prós e contras e só podemos ficar ali, torcendo para que ele escolha amar e ser feliz.

Mesmo com alguns detalhezinhos que, na minha opinião, poderiam ter sido mais explorados, não vou citar quais para não dar spoilers, eu estou apaixonada por Maxim e Derek e muito mais aberta para ler mais livros com esta temática. Minhas 5 Angélicas garantidíssimas para esta história.

CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

7 comentários em “Resenha: ‘E Se Acontece? – Melanie Harlow e David Romanov’

  1. Oi, Anna!
    Tudo bem?

    Que linda sua resenha. Recentemente li um livro chamado “Ele”, da Elle Kenedy, um romance erótico gay também, e detestei. Isso porque só havia sexo e temas abordados com superficialidade, além de muitos equívocos em relação ao homossexual.

    Mas desde já percebi que “É se acontece” provavelmente me trará uma satisfação maior ao fazer a leitura. Vi esse livro na Bienal e fiquei chateado por não ter comprado. Em breve farei isso é vou ler com carinho.

    Linda resenha.
    Bjão,
    ~ Diego França |
    Blog Vida & Letras | ~
    http://www.vidaeletras.com.br

    Curtir

  2. Romance não é a minha preferencia de leitura, mas um romance picante… Que não gosta né?! Eu me interessei pelo livro, quero muito conhecer. Li um recentemente chamado “Fruto Proibido” e ameeeei! Parabéns pela resenha!

    Curtir

  3. Olá
    Tenho uma certa dificuldade com o romance, mas já li um com esse foco homoafetivo e até que gostei, também já li muito mangá shonen ai (amor entre garotos) e gosto de vários então acho que posso gostar muito dessa dica

    Curtir

  4. Oi Anna, tudo bem?

    Li recentemente um livro com a mesma temática e também acabei a leitura como você, completamente encantada. Adoro ler obras que me tiram da zona de conforto e esta com certeza faria isso, então já me deixou bem curiosa. Acompanhei a Copa do Mundo e imagino como para o Maxim era difícil manter escondido quem ele era, por causa de um país retrogrado. Essa reclusa do Derek em assumir quem ele é e seus próprios desejos, é compreensível, visto o seio familiar no qual foi criado. Muitas pessoas não conseguem se abrir e se permitirem viver por causa da família e sociedade. Esse livro vai para a minha listinha. Adorei sua resenha!

    beijos!

    Curtir

  5. Olá!
    Também nunca li nenhum livro homoerótico rs’ e confesso que não tenho muito interesse, nada contra, mas não me desperta o interesse no momento. A história parece ser boa, pela sua resenha que prende o leitor. Que bom que gostou da leitura mesmo com algumas coisas que poderiam ser exploradas.

    beijos!

    Curtir

  6. Eu não leio com frequência romances homossexuais. Mas a história me pareceu bem envolvente. Sou uma apaixonada por romance e acho que quando se trata de amor e difícil rotular apenas pelo gênero. Deu vontade de ler. Espero ter oportunidade. Beijos

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s