Resenha ‘Egomaníaco – Vi Keeland’

Oi ooooi gente! Hoje eu trouxe a resenha de Egomaníaco da Vi Keeland, livro recém lançado pela Editora Charme. Eu já tinha lido outro livro dela, O Jogador, e fiquei super ansiosa quando esse foi anunciado. E, se da outra vez tivemos um jogador de futebol americano e uma jornalista, dessa vez, temos um advogado e uma psicóloga. Antes de falar mais alguma coisa, vamos a sinopse…

Na noite em que conheci Drew Jagger, ele tinha acabado de invadir meu novo escritório na Park Avenue. Liguei para a polícia antes de atacá-lo com minhas novas habilidades de Krav Maga. Ele me conteve com rapidez e depois riu, achando graça da minha tentativa de agressão. Claro que meu invasor tinha que ser arrogante. Mas, no fim, ele não era um invasor. Drew era o proprietário legítimo do meu novo escritório. Ele estava de férias enquanto seu elegante espaço era reformado. E foi assim que um golpista conseguiu me enganar alugando para mim o escritório que não estava realmente disponível para aluguel. Perdi dez mil dólares. No dia seguinte, depois de horas na delegacia, Drew ficou com pena e me fez uma oferta que não pude recusar: em troca de atender seus telefonemas enquanto sua secretária estivesse fora, ele me deixaria ficar até encontrar um lugar novo. Provavelmente, eu deveria ter ficado agradecida e mantido a boca fechada quando ouvia o conselho que ele dava aos seus clientes. Mas não conseguia deixar de expressar minha opinião. Nunca esperei que meu corpo reagisse toda vez que discutíamos. Principalmente quando parecia que era só isso que conseguíamos fazer. Nós dois éramos totalmente diferentes. Drew era amargo, bravo, lindo pra caramba e destruidor de relacionamentos. E meu trabalho era ajudar as pessoas a salvar seus casamentos. A única coisa que tínhamos em comum era o espaço que estávamos compartilhando. E uma atração que estava sendo difícil de negar a cada dia que passava.

Drew Jagger estava chegando em casa, na véspera de ano novo, depois de passar duas semanas de férias. Não sendo muito fã dessa data, ele só quer chegar no seu prédio, dar uma passadinha no escritório para ver como está o andamento da obra e ir para sua cobertura. O que ele não esperava é dar de cara com uma mulher ocupando o seu local de trabalho.

Emerie Rose caiu em um golpe. Ela alugou um escritório na Park Avenue, por dez mil dólares, pagos a vista, por quatro meses. O problema? Se trata de um golpe. Enquanto ela está arrumando algumas coisas, o verdadeiro proprietário chega e o susto toma conta dela. Ela, de primeira, acredita que um homem invadiu o local onde ela está. E, no meio de uma discussão muito maluca entre os dois, Drew consegue explicar a Emerie o golpe que ela sofreu e se oferece para ir até a delegacia depois, para prestar queixa, afinal, ele é advogado. Já ela, é psicóloga.

– Você disse alguma coisa para mim? – perguntei dando-lhe o benefício da dúvida.
– Não. Meu pai sempre me ensinou que, se eu não tenho nada de bom a dizer para uma mulher, eu deveria guardar para mim. 

Quando Drew leva Emerie a delegacia, mais uma confusão se forma. Eles descobrem que ela tem um mandado de prisão de anos atrás, por desacato e precisam resolver esse problema, antes de mais nada. E vai ser no meio desse rolo, que a amizade entre os dois vai começar a crescer. Claro que, como o bom cafajeste que é, o nosso querido advogado já reparou na beleza de sua atual cliente, mas tenta deixar passar. Ele só quer ajudá-la.

473.JPG

Com isso, decide oferecer para ela ser locatária do espaço também. Assim, cada um deles fica com uma sala. Emerie topa, com a condição de ajudar Drew, já que ele está sem secretária. Então, enquanto ela atende alguns clientes pessoalmente e outros por vídeo conferência, ela vai atender as ligações e anotar os recados. E vai ser assim, que ambos irão descobrir suas especializações. Ele, é um advogado de divórcio, defendendo os homens. Ela, é uma psicólogo de casais, que tenta recuperar casamentos. Dois opostos, que irão se atrair.

– Sim, trabalho para salvar casamentos problemáticos.
– Definitivamente não falamos sobre isso. Eu teria me lembrado, considerando que também trabalho com casamentos problemáticos… Para acabar com eles permanentemente.  

Emerie foi apaixonada durante anos por Baldwin e ele é um dos motivos para que ela tenha decidido ir para Nova York. Mas, ele sempre manteve ela distante, amorosamente, sempre se envolvendo com outras mulheres. E, Drew percebe logo isso. E, ainda sim, ainda ajuda Emerie fazer ciúmes no cara, dando um beijo nela. E, vai ser aí, que a relação deles irá mudar. E eles vão começar a se envolver.

O problema é que o Drew é meio cético pro amor. Não só porque ele vê casamentos se desfazendo todos os dois. Mas porque ele é filho de uma mulher que abandonou o lar e sofreu um baque enorme com o seu casamento desfeito, que vamos vendo em alguns capítulos. Todos esses problemas fizeram quem ele é hoje. E vai ser Emerie que irá derrubar as paredes do coração dele. Basta saber até quando a queda dos muros é o suficiente. Além disso, na vida de Drew existe um filho, e o amor que ele sente pelo garoto, pode ser maior do que a sua própria felicidade. E para ficar perto dele, o homem é capaz de abdicar de tudo, desde carreira, até amor. Só nos resta torcer para que ambos possam recuperar o caminho que os mantenha juntos.

– Você é um egomaníaco.
– Talvez. Mas um atraente. 

Não quero mais me estender na história, mas vamos aos personagens. Drew é o mocinho que não nos dá outra alternativa se não amá-lo. Ele tem um jeito todo sedutor, cafajeste, mas sem sem mau caráter. Ele só gosta de mulheres, mas não as desrespeita. Ele é um super profissional, um super pai e amigo. Fora que se torna um bom namorado, ainda que cometa erros, principalmente, por falta de diálogo. Mas Drew é fiel. Fiel a si mesmo e as pessoas que ama, ele só quer o melhor para elas. Seu humor é algo de outro mundo, assim como a sua auto estima. Bem, ele é mesmo um egomaníaco, mas é incrível!

Emerie é uma doçura. Ela tem uma história de vida, que trás a tona para confortar Drew e que rende um dos momentos mais emocionantes. Ela acredita muito no que faz, que os casais que se amam, podem se acertar e ficar juntos. Ela também tem um senso de humor maravilhoso e seus embates com Drew tem tiradas maravilhosas. Ela não foge da raia na hora do flerte, mas sente vontade de matá-lo quando ele mexe em seu quadro de bilhetes.

– Você é meio pé no saco. Sabe disso, certo?
– E você é meio babaca amargurado, então estou curiosa pelo o que te deixou assim. 

Vi Keeland trás mais um livro incrível. Ela nos apresenta um romance contemporâneo super gostoso de ler, com uma leitura fluída, lições de amor e várias risadas garantidas. Fora que os personagens são reais, incríveis e que te cativam a cada linha. Eu gosto muito do fato de que os personagens dela, poderiam ser nossos amigos, vizinhos… Eles tem dramas reais, mas nada exagerado, e sim, os perrengues da vida. Gosto que eles valorizem as amizades que têm em suas vidas, os amores. A narrativa é em primeira pessoa, alternando entre Emerie e Drew, com direito a capítulos dedicados ao passado do nosso egomaníaco.

474.JPG

Quanto a diagramação da Charme, não tem como não elogiar. Elas sempre trazem detalhes fofos, tem todo um cuidado com as letras e o espaçamento, com folhas amareladas. E ainda tem marcadores da história. Além disso, precisamos elogiar a editora por ser a única a manter as capas originais das histórias da autora. Existem outras que publicam obras da Vi, mas sempre rola um estressezinho por causa de capa. Mas não com a Charme. Elas mantém o modelo e fonte. Só soma pontos, não é?

– E presumo que todas as suas mulheres durmam rápido depois que você cuida delas.
– Com certeza. Sou como um super-herói. O Prolactinador. 

Egomaníaco é aquela leitura que vem nos fazer bem. Que trás suavidade, perfeita para ser aquela leitura para nos tirar da ressaca. Com toque de amor, uma pitada de incerteza e boa dose de amor, vem para nos ganhar e ganhar as cinco Angélicas!

CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

 

6 comentários em “Resenha ‘Egomaníaco – Vi Keeland’

  1. Caramba, só de ler a resenha já fiquei animada! Sabe, quando começa a ler muito rápido querendo saber o que vai acontecer? (hahaha) vou incluir o livro na minha lista!

    Curtir

  2. Também li “O jogador” e adorei. Esse ainda não consegui comprar mas adoro leituras que nos trazem leveza e suavidade e principalmente que falam de amor. Adorei sua resenha.

    Curtir

  3. Esse não é o gênero que eu particularmente leio, acho difícil encontrar personagens originais, na verdade, é difícil encontrar personagens originais hoje em dia. Entretanto, eu curti a forma como você relatou e descreveu a história.

    Curtir

  4. Oi Raíssa, tudo bem?

    Uau, que enredo é esse?! Fiquei aqui babando nesta história e já querendo ler a obra. Li recentemente um livro com enredo parecido, mas nesse caso o golpe foi de um apartamento. Sou fissurada por dois opostos que se atraem, acho muito bacana trabalhar dois distintos se atraindo por situações do dia a dia. Ainda n]ao li nada da autora, mas é bem provável que adore. Sua resenha como sempre está maravilhosa, daquelas que desperta nossa vontade de ir ler agora mesmo. Parabéns!

    Beijos!

    Curtir

  5. Olá, oq mais eu gostei desse relacionamento citado no livro, foi a profissão dos dois. Uma bela historia, com dois opostos, com experiencia vividas em romance anteriores, é sempre uma boa leitura e não fica muito clichê, por isso, que achei um livro bom de se ler. Abraço!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s