Resenha ‘Tarde Demais – Colleen Hoover’

Oi ooooi gente! Não é novidade que aqui no Além, nós somos apaixonada pela diva maravilhosa, Colleen Hoover. E a autora, lançou, há uns dois anos uma história inédita na plataforma Wattpad. A versão em inglês, Too Late, ainda está disponível, já a brasileira que, na época, foi traduzida pela equipe do Ugly Love Br, foi retirada após a Record comprar os direitos, afinal, ter esse livro em físico não era só desejo das americanas, mas nosso também. E aqui está. Antes de falar mais alguma coisa, vamos a sinopse…

A autora best-seller do The New York Times está de volta com um romance ainda mais sombrio, intenso e assustadoramente real. Para proteger o irmão, Sloan foi ao inferno e fez dele seu lar. Ela está presa em um relacionamento com Asa Jackson, um perigoso traficante, e quanto mais os dias passam, mais parece impossível enxergar uma saída. Imersa em uma casa incontrolável que mais parece um quartel general, rodeada por homens que ela teme e sem um minuto de silêncio, também parece impossível encontrar qualquer motivo para se sentir bem. Até Carter surgir em sua vida. Sloan é a melhor coisa que já aconteceu a Asa. E se você perguntasse ao rapaz, ele diria que também é a melhor coisa que já aconteceu a Sloan. Apesar de a garota não aprovar seu arriscado estilo de vida, Asa faz o que é preciso para permanecer sempre um passo a frente em seu negócio e proteger sua garota. Até Carter surgir em sua vida. A chegada de Carter pode afetar o frágil equilíbrio que Sloan lutou tanto para conquistar, mas também pode significar sua única saída de uma situação que está ficando insustentável. Colleen Hoover não tem medo de escrever sobre assuntos delicados e Tarde demais prova isso. Perpassando as formas mais cotidianas de machismo até as formas mais intensas e cruéis de abuso, a autora mergulha na espiral atordoante que é um relacionamento abusivo.

A mocinha desse história é Sloan. Ela namora há alguns anos com Asa. O problema que esse relacionamento não tem o amor como base, mas sim o medo e a dependência. Ela tem um irmão doente e que fica em uma clínica, que o namorado que ajuda a bancar. Além disso, ele é um cara perigoso, que comanda um grande esquema de tráfico na faculdade. E, além do envolvimento com drogas, ele é instável e violento.

476.JPG

Ela mora com ele em uma casa que vive agitada. Ele promove festas, é sempre um entra e saí de pessoas e Sloan não consegue ter paz nem ao menos para dormir ou estudar. Acaba cochilando nas aulas, vai estudar nas praças e vive sendo empregada de um monte de gente.

Como posso desejar e trabalhar tanto para ter uma vida normal, e ainda assim continuar caindo bem no meio dessa merda? É uma porcaria de maldição.

Mas, Asa acredita que a namorada está totalmente feliz. Que ela adora a vida ali, que ela sonha em se casar com ele. Ele acha que o período em que eles passaram separados, foi o suficiente para que ela visse que ele era o homem da vida dela e nunca o abandonasse. Ainda que não perceba os pequenos sinais que ela manda.

Tudo começa a trilhar outro caminho com a chegada de Carter. Ele chega na casa como um novo homem de confiança de Asa. Ele conhece Sloan na faculdade, então é uma surpresa quando ele revê a menina naquela casa que ele precisa permanecer infiltrado. Logo se mostra disposto a tirar ela dali, mas sem deixar de lidar com a sua missão.

– Você é uma das pessoas mais fortes que já conheci – sussurro. – Você é tudo o que o Asa não merece. E… – Dou um passo para mais perto e ela ergue a cabeça quando me inclino e murmuro: – E tudo o que eu quero.

O problema é que ele não joga limpo com ela, então, quando ela descobrir que ele é um policial, pode se sentir usada. Mas, ambos ainda irão se apoiar um no outro e no sentimento que começa a surgir entre eles. Só que quanto mais envolvidos eles vão ficando, mais parecem esquecer os perigos que podem enfrentar se o Asa desconfiar de uma mínima faísca entre eles. E quando tudo desmoronar, segredos serão entregues de forma dolorosa, momentos de tensão se farão presentes e a luta pela sobrevivência e justiça estará apenas no começo.

477.JPG

Chega de falar da história, porque ela tem vários plots twists. Mas, quero comentar algumas coisas sobre os personagens e a leitura em si. Sloan não é uma protagonista incrível. Não me entendam mal, ela passa por muita coisa hiper barra pesada, tenho empatia por ela. Mas, algumas coisas não fazem muito sentido. Ela sabe quem Asa é. Ela sabe que ele trafica, que ele usa, que ele é um imbecil abusivo e ela QUER sair da relação. Não é algo que ela fica “aí, eu o amo, ele vai mudar”. Ela não o ama, sabe que ele não vai mudar. Mas decide ficar com ele, porque ele paga o tratamento do irmão dela. Ela se submete as piores situações possíveis! E, o pior, é quando ela descobre uma coisa óbvia, que poderia ter sido vista antes, se ela tivesse ido atrás há tempos.

– O amor não é encontrado. O amor encontra. O amor o encontra no perdão após uma briga. O amor o encontra na empatia que você sente por outra pessoa. O amor o encontra no abraço que vem depois da tragédia. O amor o encontra na celebração depois de derrotar uma doença. O amor o encontra na devastação depois de se render a uma doença. 

Carter, que na verdade é Luke, também não entra no hall de melhores mocinhos da autora. Ele é um policial infiltrado, que precisa descobrir coisas sobre o esquema de Asa, para poder prendê-lo. Até aí, super de boa. O problema é que ele logo se rende aos encantos de Sloan, sem nem saber qual o grau de envolvimento dela no esquema e colocando o pescoço deles a prêmio. Além disso, falta um pouco de esperteza para alguém com a profissão dele, quando caí nas piores armadilhas do caminho.

E Asa. Aí Asa é aquele que vai te embrulhar o estômago, que vai te dar nojo, que vai te deixar em prantos. Apesar de ser o mais odioso personagem do livro e, acredito, que de todos os personagens já criados pela Colleen, ele é o mais desenvolvido. Temos momentos de sua infância horrível até a sua vida adulta, com sua mente puramente má. É assustadoras as atitudes dele, as falas dele sobre mulheres, mas ainda é quem de fato, nos desperta algo.

– Você é tudo o que eu vejo, Sloan. Além do trabalho, além do que é certo e errado. Você é tudo o que eu vejo. 

Por sinal, esse livro deveria vir com um alerta de gatilho GIGANTE! Porque vocês não tem noção das cenas abusivas, de estupro, de violência física e psicológica. Senti necessidade de dar algumas pausas nessa (re)leitura, para poder sentir o impacto dos acontecimentos. Colleen não teve pena dos leitores, como sabemos que é do feitio dela, mas dessa vez, ela foi no fundo. E, diferente de É Assim que Acaba, o livro não nos trás um ensinamento profundo. Não temos uma noção de superação, de ajuda. Principalmente, quando nos deparamos com um certo momento em que Sloan e Luke conseguem uma certa vingança.

478.JPG

Ok, eu to pontuando vários pontos ruins, eu sei. Mas, confesso que eu gosto muito da história. Não sei se é porque vem da minha autora favorita, se são os vários plots twists que acontecem, se é pela adrenalina constante, se é até pelo modo maluco que a história nos é apresentada. Algo me prende a ela, de modo que eu li na época do Wattpad e surtei com a publicação física. Além de desejar que todas as minhas amigas leiam ele, pra gente poder debater, pra saber se sentiram como eu em certas cenas. Acredito que tenha a ver com o fato de ser a história mais pesada da Colleen, onde ela não teve medo de colocar mil assuntos pesados, de um jeito que vai mexer demais com a gente. Ainda que eu veja as problemáticas, indico o livro sim. Até porque, cada experiência é única, não é mesmo?

Acho que essa é a diferença entre ser amada do jeito certo e do jeito errado. Ou você se sente amarrada a uma âncora… ou sente que está voando.

Sobre a diagramação, ela é bem simples e na padronagem dos livros da autora, ainda que dessa vez tenha sido o selo Record a lançar o livro e não a Galera, como é o costume. Os capítulos são assinalados por seus narrados em primeira pessoa, que variam entre Sloan, Carter/Luke e Asa. Vale falar, que a editora manteve o livro com a mesma ordem de publicação que foi feita no Wattpad, a pedido da própria autora, que nos avisa isso logo no início. Então, não estranhem encontrar prólogo lá no fim, epílogo do epílogo, etc etc. As folhas são amarelas, com letras e espaçamento bons para a leitura. Sobre a capa, a nossa é diferente da lá de fora e, confesso, eu gosto muito mais. Acho mais bem feita, mas prazerosa para os olhos.

Com um livro difícil, Colleen chega com mais um sucesso. Dessa vez, mais do que nunca, acredito que ela não vai agradar a todos. E, apesar de gostar dele, não consigo dar mais de três Angélicas, devido as problemáticas e algumas cenas de acabar com a gente, e não naquele sentido que a gente gosta. Mas, leiam e me contem o que acharam!

CLASSIFICAÇÃO 3ANGÉLICAS

 

 

 

7 comentários em “Resenha ‘Tarde Demais – Colleen Hoover’

  1. Nunca li nada dessa autora, mas de tanto ver resenhas maravilhosas sobre É assim que acaba que já fiquei com vontade de conhecer a escrita dela. 🙂

    Curtir

  2. Oiii. Eu já li outras resenhas negativas sobre esse livro, e continuo achando prejudicial a forma como a autora disfarça a violência no relacionamento, ainda mais porque o público alvo dela são adolescentes que estão formando seus pensamentos sobre relacionamentos amorosos, e, infelizmente acabam se deparando com histórias assim. Não digo que a autora seja uma escritora ruim, mas sim que não teve responsabilidade com o assunto, porque ela sabe como suas histórias acabam influenciando os leitores.
    Como você mesma disse, a Colleen só colocou os problemas lá e não deu nem uma solução. A protagonista tem a desculpa ruim de estar aguentando isso tudo porque quer salvar a vida do irmão, mas sabemos que há formas legais e saudáveis de ela fazer isso, mas que, infelizmente, parece que não é apresentada no livro (me corrija se eu estiver errada, ainda não li o livro).

    Fico feliz de você ter notado essas falhas importantes que a história traz, devemos tomar cuidado com as coisas que lemos e indicamos 🙂

    Curtir

  3. Agora já não estou tão ansiosa por essa leitura, uma pena, parecia muito bom, mas gostei da resenha e achei incrível ter sido tão transparente em relação a sua experiencia de leitura.

    Curtir

  4. Um relacionamento baseado em qualquer tipo de dependência ou medo é muito frustante, por que não existe satisfação e nem alegria. Acho que pela maneira de resenhar talvez pudesse dar outra nota rs embora se mostre frustada na sua conclusão, tem um empolgação ao escrever a resenha do livro e da escritora.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s