Resenha ‘Jogos Vorazes – Suzanne Collins’

Oi ooooi gente! Depois de uma releitura de Harry Potter, uma série que tanto me marcou, decidi fazer uma releitura e comparação com os filmes da trilogia (livro)/série (filmes) Jogos Vorazes que é a minha favorita de vidaaaa! Foi o primeiro livro de distopia que eu li e que originou o meu amor pelo gênero. Confesso que meu amor pela história de teve uma história no meu noivado e tem lugar permanente na minha casa, sendo presente especial das minhas amigas. Mas, antes que me deixei levar pelo lado emocional, vamos a sinopse do primeiro volume…

Este livro é o primeiro de uma bem-sucedida trilogia comercializada para mais de 20 países A história se passa em uma nação chamada Panem fundada após o fim da América do Norte. Formada por 12 distritos é comandada com mão de ferro pela Capital sede do governo. Uma das formas com que demonstra seu poder sobre o resto do carente país é com os ‘Jogos Vorazes’ uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão em que um garoto e uma garota de 12 a 18 anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte. Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido Distrito 12 ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Caso vença terá fama e fortuna. Se perder morre. Mas para ganhar a competição será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos ‘Jogos Vorazes’?

LIVRO

Anos no futuro, Panem surgiu no local onde fica a nossa atual América do Norte. Até então, comandada por uma Capital e com 13 Distritos. Mas isso, apenas até os Dias Escuros, que foi uma rebelião que os distritos fizeram contra que os comandava, mas acabaram derrotados. O Distrito 13 foi dizimado e, assim, começaram os Jogos Vorazes. Nesse macabro jogo televisionado anualmente, dois tributos – um menino e uma menina – são colhidos em casa distrito, com idades de 12 a 18 anos.

Nossa história começa com Katniss Everdeen caçando na floresta do Distrito 12, junto de seu melhor amigo, Gale Hawthorne, o que é proibido e poderia causar sérias consequências para eles. Mas a distração é necessária, afinal, a colheita vai acontecer naquele dia. Katniss pensa em sua irmãzinha Prim, mas se sente segura, até porque o nome da menininha de 12 anos só aparece uma vez. Mas o destino é traiçoeiro e na hora da colheita, é o nome de Primrose Everdeen. E, vai ser assim, que vamos dar o pontapé na história da nossa mocinha e seu caminho, quando ela se voluntaria para ir aos jogos no lugar da caçula.

Já o tributo masculino é Peeta Mellark, o filho do padeiro. E alguém que ajudou Katniss, no passado, a sobreviver. Ainda que talvez ele não se lembre muito disso. Mas ela lembra e o fato incomoda ela de, sentir que ainda está em divida com ele, ao mesmo tempo que sabe que agora para continuar vivendo, irá precisar matá-lo. Eles vão se despedir da família e embarcar para a Capital, no intuito de se preparar para os jogos. E, vai ser nesse momento, a primeira citação ao famoso Tordo, que Katniss irá levar como seu símbolo.

– Eu me ofereço! – digo eu, arquejando. – Eu me ofereço como tributo!

Ambos ficam sob responsabilidade de Effie Trinket, que é a mulher que vai sortear os nomes no distrito que, ainda que bem avoada, acaba se afeiçoando aos dois e vai tentar ajudá-los; e Haymitch Abernathy, o único vencedor vivo do D12 e que fica responsável por auxiliá-los, guiá-los e arrecadar patrocinadores para poder ajudá-los com dádivas durante os jogos. O problema com ele? Ele vive bêbado e sem ligar muito para terceiros.

Já na Capital, eles vão passar por estilistas, que vão deixá-los de tirar o fôlego para a primeira aparição oficial. E, por causa das chamas que eles estarão envolvidos, Katniss irá ganhar seu apelido de “garota em chamas”, já que Cinna, não brinca em serviço e mostra algo único. Além disso, os dois tributos do D12 mostram um diferencial: se apresentam unidos, de mãos dadas e dando apoio um ao outro, o que ainda não tinha sido visto. Aproveitando disso, Haymitch pede para que eles mantenham essa proximidade o tempo inteiro, o que é bem difícil para Katniss, já que ela não confia muito em Peeta.

480

Depois do desfile, virão treinamentos e uma apresentação para os patrocinadores dos jogos em busca de notas de qualificação. E, vai ser aqui, que teremos a primeira prova de que o gênio da srta. Everdeen é curto e perigoso. Fora isso, ela não consegue se abrir, não consegue se sentir a vontade perto de tanta coisa que ela despreza. Mas, precisa despertar algo no público, se quiser começar a ter chance de sobrevivência. E será Peeta que irá dar essa vantagem a ela, ao criar o meu amado casal Amantes Desafortunados do Distrito 12, já que ele confessa ser apaixonado por ela. Obviamente, ela surta com isso, mas acaba convencida de que pode ser uma boa ideia para ela.

Então, os jogos começam! E então, as coisas começam quentes e deixam Katniss bastante irritadas quando descobre que Peeta se aliou ao terrível bando de Carreiristas, que querem matá-la a qualquer custo. Mas, ela prefere não enfrentar nada ou ninguém no momento. Sua vontade é de ficar longe de briga, se alimentar e beber água. Mas, não é isso que os idealizadores dos jogos querem. Então, logo dão um jeito de criar um confronto entre Katniss e quem quer que ela morra. Com uma ideia genial, ainda que perigosa, ela consegue eliminar uns inimigos e tenta entender ainda mais qual o jogo de Mellark.

– E lembre-se disso: não posso apostar, mas se pudesse, minhas fichas iriam todas para você.

Após isso, nossa protagonista ainda ganhará uma fofa aliada, que irá ajudá-la em vários momentos. Mas, tudo tem prazo nos Jogos Vorazes e Katniss vai aprender isso de forma terrível. E, enquanto sofre, um novo sinal de esperança é dado, quando ela descobre que existe uma chance de, não só ela ganhar, mas Peeta Merllark também. Basta saber quais coisas ela é capaz de fazer e enfrentar para manter os dois vivos. E, se conseguir isso, os idealizadores dos jogos irão permitir esse golpe de sorte.

Eu já falei muuuito da história rs. Quero falar dos personagens! Katniss, é a nossa protagonista e, claramente, é por quem começarei. Apesar de amá-la, isso não é algo fácil. Katniss é muito fechada, mesmo para a gente que está junto dela. O que mais sabemos é de seu amor incondicional por Prim, o quanto sofreu com a morte do pai e o estado que a mãe ficou. Também vimos que ela é incrível com um arco e flecha nas mãos. Mas, fica muito presa dentro de si. Mas, sempre vejo esse primeiro como o início da evolução e descobrimento dela. Ela é determinada, quando enfia uma coisa na cabeça, vai até o fim por ela, o que acaba por colocá-la em problemas. Só que vamos nos apegando e criando um senso de proteção com ela.

Já Peeta… aí! Não dá para não suspirar pelo Garoto do Pão. Ao contrário de Katniss, eu sempre acreditei e confiei muito nas palavras dele. Sabe aquilo que só uma situação extrema te daria forças para falar e fazer? Assim que eu vejo as ações do meu amado Mellark. Ele tira forças até quando está pronto para se entregar, se isso for salvar a menina do perigo. Eu sinto uma pontadinha de tristeza de saber que passamos boa parte do livro sem ele. Também me compadeço muito de algumas atitudes de Katniss em relação a ele. Mas, aprendi a superar isso.

– Feliz Jogos Vorazes! E que a sorte esteja sempre com você!

Se temos outro personagem de destaque na história, é Rue. Sua participação é breve, ainda que linda e é uma das coisas que mais emocionam os Tributos até hoje. Também temos Cinna, que é e vai ser muito importante dentro da construção de quem Katniss é e irá se tornar.

Como disse lá em cima, foi meu primeiro livro do gênero e me deixou muito pirada na época rs. Até hoje, quando releio, sinto aflição, temor, expectativa e um amor gigante pela história. Suzanne tem uma escrita que te envolve e te deixa querendo devorar página atrás de página para saber como esses terríveis Jogos irão terminar. Mas, ele não é para corações muito fracos. Ela não tem pena de nos falar de mortes, de matar personagens, de destroçar nossos corações com meras frases. Escrito em primeira pessoa, vamos nos conectar com tudo o que Katniss terá que enfrentar se quiser sair viva de onde está.

481

A diagramação da Rocco é bem simples. As páginas são amareladas com letras e espaçamento bons para a leitura. O livro é menor dos que estamos acostumados, mas é a estrutura dele, então não se espantem. Ele é divido em três partes, de nove capítulos cad uma.

Jogos Vorazes não é o triângulo amoroso que o povo gosta de brigar por aí. Jogos Vorazes é uma incrível história, com uma incrível crítica social. Que merece ser lida e propagada por muitos anos ainda. E, ainda que esse seja o livro que menos gosto da trilogia, ele vai ganhar cinco Angélicas, porque foi aqui que minha paixão começou.

FILME

Costumo sempre dizer que as adaptações de Jogos Vorazes são umas das mais fiéis que já vi. Mas, isso não quer dizer que “erros” não ocorram. Então, vou falar para vocês algumas mudanças e até cortes que foram feitos. Bom, pode e vai rolar uns spoilers aqui,  já que vou sinalizar a diferença entre filme e livro, então, cuidado!

Falar de corte e não colocar o nome de Madge Undersee no meio é impossível! Se você só viu o filme de Jogos Vorazes, acredita que o broche do tordo surgiu numa compra de Katniss no Prego, como presente para a Prim. Depois disso, a Prim devolve para a irmã. Mas, nos livros ele pertence a Madge, que podemos chamar de amiga da nossa protagonista. Ela que pede que Katniss use o acessório nos jogos para representar o lugar delas. Ela não é uma personagem tãaaaao fundamental como a irmã da dona da história, mas foi um corte que me fez uma faltinha.

O outro grande corte em relação ao livro, vem no final. Quando os Jogos são finalizados e os vencedores são resgatados do lugar, mostra o estado bem crítico que eles se encontravam, principalmente Peeta, ao ponto de Katniss entrar em real desespero. E essa cena não existe no filme, o que me fez muita falta. E, acabava levando a outro importante fato: Peeta Mellark passa a ter uma perna de prótese. Coisa totalmente omitida dos filmes e que acaba atrapalhando uns fatos no próximo filme.

482.JPG

Existem outros cortes mais leves, como mais conversas entre Katniss e Cinna, onde podemos ver o quanto ela gostou de seu estilista e confia nele. Mais momentos entre Everdeen e Mellark, inclusive uma outra entrevista que eles fazem após vencerem os jogos. E até mesmo toda a história envolvendo a Avox, que significou algo no passado da menina.

As mudanças são mais suaves. Um exemplo é como a amizade entre Katniss e Rue se desenvolve ou até mesmo a enorme quantidade de ferimentos que a mocinha sofre. O que também é modificado são as bestantes dos jogos. No filme, ele parecem cachorros gigantes, mas no livro, eles tinham características dos tributos que já haviam sido mortos.

Ainda que com coisas assim, sigo acreditando na fidelidade da adaptação. Algumas coisas, não fazem tanta falta, acabam se tornando mais ágeis e até menos pesadas. Outras, como toda a trama da perna de Peeta, acabam afetando os outros filmes e como as pessoas acabam se posicionando perante ele.

Uma coisa que gosto muito, são os adicionais. Temos flashes de Seneca Crane, o idealizador chefe dos jogos, com Presidente Snow. As conversas deles são esclarecedoras para alguns momentos e renderam frases icônicas. Além da gente ver mais ativamente o que Haymitch foi capaz de fazer pelos seus protegidos.

Preciso dizer que recomendo o filme? Sim? Então.

CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

 

 

 

 

8 comentários em “Resenha ‘Jogos Vorazes – Suzanne Collins’

  1. Gosto muito da premissa desse livro, mas ainda não tive a oportunidade de ler os livros, mas desejo porque as histórias devem ser incríveis. Espero estar realizando as leituras em breve.

    Curtir

  2. Ainda não li o livro mas já vi o filme e gostei muito! Tem um enredo intenso que nos faz viajar na história, imagino que a leitura de toda a trilogia deva ser impactante. É uma ótima opção pra quem gosta do gênero fantasia e distopia.

    Curtir

  3. Jogos vorazes é uma leitura incrível! Tá aí um livro que eu quero reler.
    Adoro distopias e este foi o primeiro livro de distopia que li e me senti presa até o final.
    Sua resenha me fez sentir vontade de ler novamente essa maravilha. Que saudade! ❤

    Curtir

  4. Olá
    Também ando com vontade de reler alguns livros favoritos. Quanto a Jogos Vorazes tive um grande problema com ele, com sou fã de cultura japonesa há muito tempo quando JV foi me apresentado eu falei de cara isso É Battle Royale, e isso me travou de um jeito que não consegui consumir JV de jeito nenhum.

    Curtir

  5. Adorei acompanhar sua resenha e comparação com o filme. Normalmente os filmes perdem muito em relação ao livro, mas realmente em Jogos Vorazes houve uma fidelidade. Adorei os filmes e torci por Katniss em todos! =)

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s