Crítica Cinematográfica ‘Aquaman’

Oi ooooi gente! Hoje (16) eu trouxe a crítica – sem spoilers – da grande estreia da semana, Aquaman. A DC trouxe o filme do solo do super herói que foi apresentado ao público lá em Liga da Justiça e vamos entender melhor a relação de Arthur Curry com o mar, Atlântida e a Terra. Como começo de conversa, já adianto que o filme se passa após a reunião dos heróis e Aquaman já é falado por aí. Mas, vamos conferir a sinopse e o trailer antes de continuar…

Filho do humano Tom Curry (Temuera Morrison) com a atlante Atlanna (Nicole Kidman), Arthur Curry (Jason Momoa) cresce com a vivência de um humano e as capacidades metahumanas de um atlante. Quando seu irmão Orm (Patrick Wilson) deseja se tornar o Mestre dos Oceanos, subjugando os demais reinos aquáticos para que possa atacar a superfície, cabe a Arthur a tarefa de impedir a guerra iminente. Para tanto, ele recebe a ajuda de Mera (Amber Heard), princesa de um dos reinos, e o apoio de Vulko (Willem Dafoe), que o treinou secretamente desde a adolescência.

A trama começa com uma narrativa de Arthur (Jason Momoa) nos contando como seus pais, Tom (Temuera Morrison) e Atlanna (Nicole Kidman), se conheceram, se apaixonaram e acabaram tendo que se separar. A Rainha de Atântida resolve voltar para o seu Reino Aquático com o intuito de proteger o homem que ama e seu filho.

Anos se passam e já vemos o Aquaman salvando a tripulação de um submarino que está sendo atacado por piratas. O chefe deles é David Kane, que se tornará o Arraia Negra (Yahya Abdul-Mateen II) e, logo ficará claro o que causará o maior embate entre os dois.

Quando volta para visitar seu pai e curtir momentos com ele, Arthur receberá a visita da Princesa Meera (Amber Heard), avisando que seu meio irmão Rei Orm (Patrick Wilson) está planejando um ataque a superfície, ao qual ele não dá muita importância em um primeiro momento, mas quando vê uma amostra do que o outro planeja, decide ajudá-la. E logo descobre que o seu treinador da infância e adolescência, Vulko (Willem Dafoe), também está envolvido nesse plano. Que é encontrar o tridente do Rei Atlan e se tornar o Rei inquestionável.

Mas Orm logo descobrirá que seu irmão está na cidade subaquática e o induzirá a um duelo. Também vamos vendo ele, junto do Rei Nereus (Dolph Lundgren), visitar e intimar os outros Reinos a participação da grande guerra contra a superfície, fazendo com que Orm se torno o Mestre dos Oceanos. Já em terra, Arthur e Meera começam uma corrida contra o tempo para achar o que pode mudar o destino dessa guerra, de uma vez por todas.

Vou parar de falar da história por aqui, pra não estragar nenhuma surpresa que possamos ter, mas preciso dizer: Amém DC, você acertou redondinho, dessa vez! Ainda que eu seja uma das únicas pessoas que conheço que curte BvS e LJ, é inegável que ambos os filmes tem diversos problemas, que acabam roubando a cena, mais do que qualquer coisa. Depois da Maravilha que foi Mulher Maravilha – sim, é pra fazer graça mesmo rs -, esperávamos outro bom filme solo. E TEMOS!

Aquaman trás algo que, talvez, tenha sido um elemento que faltava nos outros filmes: leveza. A história tem seus momentos sérios, mas temos tantos outros de diversão. Mas que não tornam a trama fraca. Dito isso, enquanto passamos anos vendo o Rei dos Mares sendo feito de piada, aqui a coisa vai mudar e muito de figura.

Incorporado em Jason Momoa de respeito, ele se torna quase um brutamontes, que consegue colocar medo apenas em uma encarada, ainda que também tenha ideias inspiradas em histórias infantis, por exemplo. Além disso, não sabe se por ser mestiço, é digno de algo, principalmente algo pelo qual ele tem resistência. É inegável o carisma que exala do ator durante todo o filme, além de suas incríveis cenas de ação. Amber Heard vem completar a dupla de protagonistas, como uma Princesa poderosa, que quem impedir a guerra entre dois mundo, ainda que isso a coloque como traidora. Ela vai ser importante para ajudar Arthur a entender o seu caminho, não como Rei, mas como um herói necessário. E, ainda que o clima de romance esteja ali, não espere uma mocinha em perigo, mas sim uma incrível power girl. As cenas onde temos noção de seus poderes são incríveis, ainda que o CGI possa pecar um tiquinho em alguns momentos. O romance entre os dois é construído durante todo o filme, então não espere um amor avassalador de cara.

Inegável que Patrick Wilson é um ator incrível e que sempre acaba comigo – no melhor dos sentidos – quando interpreta um vilão. O pior de tudo é que cheguei a me questionar se ele estava errado. Talvez os meios que ele utilize estejam, de fato. Mas sua vontade de combater a superfície depois de séculos despejando tanto lixo nas águas e acabando com vidas marinhas, é totalmente compreensível. O segundo vilão do filme, Arraia Negra, feito Yahya Abdul-Mateen II tem muito pouco tempo de tela e mais raso que o primeiro, mas acredito que tenha sido mais um gancho para uma possível – ou seria provável? – sequência. Os vilões são bem construídos, com ideias reais. Ainda temos Nicole Kidman e Willem Dafoe para completar esse super elenco, com atuações que nos encantam.

É inegável o trabalho que James Wan faz para nos apresentar o mundo subaquático. É uma paleta gigantesca de cores que nos enchem os nossos olhos e nos maravilham. Sem dúvida, é um dos pontos fortes do filme que, com certeza, divergem dos outros filmes do DCU, e se torna memorável. Também é necessário elogiar as cenas de ação e o ritmo intenso do filme, que passa rápido.

Preciso dizer que tenho uma crítica, que me fez sair do cinema comentando com meu marido e companheiro de sessões rs. Temos, mais um filme, onde certo ponto chave da trama nos é revelado pelos trailers. Durante um bom tempo, questionamos se o traje clássico do personagem seria utilizado e um trailer nos mostrou que sim. Mas, se esse momento tivesse sido oculto das peças de divulgação, quando chegasse o filme, a cena em questão teria muito mais impacto.

Sem dúvidas, Aquaman veio dar o suspiro de alívio que o DCU precisava e os fãs tanto queriam. Veio encerrar mais um ano de super heróis com chave de ouro, me deixando com vontade de correr de volta para o cinema e, com uma pergunta: será que a Warner teria coragem de rebootar esse Universo, como apontam os rumores? É inegável que Mulher Maravilha e Aquaman deixaram uma boa marca, assim como Superman fez quando foi apresentado com Henry Cavill. Fica necessário o estúdio pensar em corrigir os erros nos outros ao invés de jogar tudo abaixo de novo.

11 comentários em “Crítica Cinematográfica ‘Aquaman’

  1. Cara, eu quero muito ver esse filme! Além de amar o Momoa, achei que a fotografia do filme ficou linda e foi muito bem produzido, quero muito assistir! Fiquei feliz que você gostou, me deu ainda mais vontade de assistir!

    Curtir

  2. Olá Raíssa, tudo bem?

    Confesso que não sou muito ligada ao mundo dos super-heróis e preciso conhecer mais desse universo. sou daquelas que assiste a um filme quando não tem outro para ver rs. Mas, fico super feliz em saber que finalmente a DC acertou em um filme solo de super-herói. É bom ver que eles finalmente entenderam os errros dos outros e corrigiram, entregando aos fãs, um bom filme. Também gostei de saber que não temos uma mocinha indefesa e que temos leza na dose certa, isso é sempre importante. Uma pena que o trailer ainda revele demais, isso sempre me incomoda nos filmes, ter detalhes importantes expostos nos trailers. Adorei conhecer sua opinião, me deixou querendo ir assistir!

    Beijos!

    Curtir

  3. Oi Raí!!
    Muito bom saber que Aquaman não decepcionou. Ainda não vi críticas negativas e isso é só mais um ponto pra me fazer querer ver o filme. E concordo com você, apenas Mulher Maravilha salvou a DC, então é bom saber que temos outro filme positivo deles.
    Ótima crítica!!
    Bjs
    almde50tons.wordpress.com

    Curtir

  4. Adoro a história do Aquaman e sempre sonhei com uma grande produção de cinema para esse super herói. Pela sua resenha positiva já vi que posso esperar um filme e tanto, os efeitos os especiais devem estar incríveis! Infelizmente os trailers contam muita coisa e podem tirar mesmo o fator surpresa, mas mesmo assim a aparição do herói com seu traje icônico deve ser um grande momento!

    Curtir

  5. Menina,
    q saudade estava deste site. Como ele me faz bem (e sempre inspira).
    Poxa, concordo com vc plenamente: finalmente a DC acertou! Tb achei q a paleta de cores e q a direção do James são as melhores coisa, além, é claro, do Momoa – um cara de 2m de altura que tem 100% de força e 110% de carisma na constituição. Agora, pra mim, gostei muito do power girl, mas não achei que aquela “traminha” amorosa fez bem ao filme. Sei lá, cada um pro seu lado e já ta bom… Não é pq vc vai trabalhar com alguém q vai se apaixonar por ele (apesar de ser difícil nãos e apaixonar por aquela princesa).
    Como sempre, ótimo artigo.
    Beijo.

    Curtir

  6. Olá, pela sua resneha o filme me pareceu interessante, muita gente não curte a DC, e até uma certa rivalidade com a Marvel, para mim, é mais um filme de herói, que segue o roteiro clássico que intercala momentos sérios com momentos engraçados, esse ator ganhou bastante notoridade nos últimos anos, e esse é um filme que eu assistiria!

    Curtir

  7. Toda vez que ouço falar algo de “Aquaman” me vem aquele loirinho dos desenhos,que as vezes até classificado como desnecessário,mas até que eu gostava
    Acho que esse papel foi perfeito para o Momoa tanto na aparência como também na personalidade incorporada,quero mt assistir a esse filme

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s