Melhores do Ano: ‘A Hora do Chá’

Oi gente!! Vocês perceberam que estamos bem festivas né? Então a nossa amada coluna A Hora do Chá também não poderia ficar de fora. Ela está no ar desde março/2018 e foi criada com o intuito de apresentarmos os melhores romances de época. Ao longo do ano a gente resenhou vários e hoje nós estamos aqui para dizer quais foram os melhores.

A nossa escolha foi individual, então vocês saberão quais foram os melhores na opinião de cada uma de nós. O engraçado é que tivemos algumas leituras compartilhadas, então houve um apoio mútuo a cada escolha. Lembrando que tem livros não lançados em 2018, mas que foram resenhados para apresentar a série. Enfim, vamos lá descobrir quais foram os eleitos?

Adriana

“[…] É lindo ver que Irene não mudou seus objetivos por está apaixonada por Henry. Ela nem mesmo aceita se casar com ele quando percebe que ele quer se casar com ela pelos motivos errados. É lindo ver que Henry consegue fazer concessões por saber o quanto as causas que Irene luta são importantes para ela.  É lindo ver que Irene não mudou seus objetivos por está apaixonada por Henry. Ela nem mesmo aceita se casar com ele quando percebe que ele quer se casar com ela pelos motivos errados. É lindo ver que Henry consegue fazer concessões por saber o quanto as causas que Irene luta são importantes para ela. […]”

“[…] Este não é um livro cheio de reviravoltas, mas temos pequenos dilemas quanto ao acordo deles já que ambos vão percebendo que o que eles têm juntos é muito mais do que um casamento de conveniência. O relacionamento deles é baseado na confiança, companheirismo e amizade. Aos poucos o amor vai chegando, pois eles se admiram e querem conquistar a felicidade. Acho lindo como cada um deles busca isso para o outro. Eu poderia passar o dia todo falando de Sophia e Vincent e talvez não contaria nem a metade dos motivos para amá-los. Ela não é a menina mais bonita assim como ele não seria a primeira opção de ninguém devido a sua deficiência, mas mesmo assim são personagens tão ricos e que nos ensinam tanto. Eu terminei de ler e eu só queria mais capítulos de um romance encantador. […]”

“[…] Esse livro, como eu comecei a dizer, não é sobre um amor arrebatador ou à primeira vista, ok, para o Patrick foi, mas sobre como os casamentos podem ser complicados, principalmente quando um ama mais do que o outro. Eles tiveram que lidar com cada dificuldade e acreditar que tudo poderia ser suportado se estivessem juntos e se ambos tivessem confiança no outro. Amei ver esse casal se conhecendo e descobrindo cada camada do outro. Adorei a força que a Hannah passou a ter porque Patrick lhe ajudou a deixar seus medos para trás. Patrick, Patrick, Patrick, meu status de crush perfeito foi atualizado depois de ler a história de amor desse barão.[…]”

Anna

442

“[…] O livro é livre de drama. Na verdade, ele tem bastante alívio cômico, principalmente quando Lovingdon, irmão de Minerva, tenta protegê-la. A narrativa é em terceira pessoa, o que achei essencial para o entendimento do livro. Vemos a relação de Ashe com os amigos/ irmãos e isso é bem importante para entender pontos da vida dele e que moldaram quem ele é. E para dar gancho para os próximos livros da série: que serão de Edward e depois, Locksley. Tem um conto do Marquês de Marsden, mas não sei se será publicado. Codinome Lady V sempre terá um espacinho especial no meu coração, não só por ter sido meu primeiro livro do gênero, mas pela história super amorzinho.[…]” – Por Raíssa Zaneze

corvo

“[…] Anna é determinada e Edward é mal-humorado, juntos eles nos rendem cenas muito românticas e ao mesmo tempo hilárias. O que me fez cair realmente de amores por esse livro é que a Elizabeth não criou um casal perfeito. Edward não é o homem mais bonito que Anna já viu. Ele poderia ser classificado como muito feio devido a suas manchas de varíola, mas o que o torna lindo é o homem que ele é, gentil, inteligente, educado. Anna também não é a mulher perfeita. Tem beleza mediana, não é da nobreza, está completamente falida e mesmo assim é perfeita para Edward. Tem como não amar isso? A leitura é fluída e com um casal que abrilhanta essa história. A trama não tem nada de muito surpreendente, mas não se engane achando que é uma história sem graça. Ela tem uma leveza e te faz suspirar com o romance de um casal mais adulto.[…]” – Por Adriana Cardoso

30073878_1649122605195354_904663580_o

“[…] Eu li esse livro em dois dias. A cada novo capítulo eu me dizia que seria o último e que iria ter uma vida além das páginas, mas me pegava lendo outro e outro até ter que realmente deixar o livro. Esse casal é muito amor. Até quando a gente quer odiar Tristan por ter partido o coração de Georgie, a gente descobre que ele é muito mais do que aparenta ser, que ele é um outro homem na presença da família, que é amoroso e dedicado e esse sim merece o coração de Georgie. Um romance muito divertido que começa com uma mocinha querendo dar uma lição no destruidor de corações e acaba com a gente querendo mais. Super leve, divertido, com boas pitadas de romance e que com certeza vai te conquistar. Para quem gosta de um bom romance de época, Como se vingar de um cretino é livro certo na lista de leitura.[…]” – Por Adriana Cardoso

Letícia

“[…] Quando comecei a ler Mais Forte que o Sol, comecei com o pé atrás porque eu não queria escrever outra resenha daquelas sobre uma obra dela, mas Deus (e a Julia, acredito) ouviram minhas preces e eu me apaixonei por Ellie e por Charles desde a primeira página do livro. Eles formam um casal lindo e leve, que te faz ler o livro como se estivesse vendo um filme de comédia romântica, daqueles que você assiste num fim de domingo, para relaxar e descontrair. E assim, muito feliz e aliviada, deixo minhas 5 Angélicas para esse casal que me cativou tanto e para Julia Quinn que se provou, mais uma vez, uma das melhores escritoras de romance de época que eu já li até hoje.[…]”

504ee9ea-736b-4a4b-bd80-be5f81d0dc09

“[…] Eu simplesmente amei tudo sobre esse livro. O amor começou com a capa e seguiu até a última página. A história é envolvente e te faz viajar para o século XVIII e não querer voltar mais. E para vocês, fãs da família Bridgerton, que esperam referências da série nesse livro, fiquem tranquilos, pois as referências estão garantidas. A maior de todas é que Edmund Bridgerton, pai dos nossos amados protagonistas dos livros da série Bridgertons, é ninguém menos que o irmão mais novo de Billie. Apesar de ele não aparecer em nenhum momento, já nos sentimos em família ao saber que Billie é tia dos nossos queridinhos. Enfim, eu indico esse livro a todos que amam romance de época e para aquele que não amam, é uma boa oportunidade de começar a amar.[…]”

20181219_142430

“[…] Como se Livrar de um Escândalo é um romance divertido, sensual e cheio de investigação. Adorei que a Tessa escreveu uma história para Charlotte com ar de mistério e investigação e assim a habilidade da personalidade dela de tentar descobrir as coisas foi colocada em prática. Desde sempre Charlotte mostrou seu lado investigador, então seu livro tinha que ter um ‘crime’ para ser investigado. Enfim, Como se Livrar de um Escândalo veio para consagrar suas duas séries e ainda nos deixar mais apaixonadas. O livro é divertido do início ao fim, mas tem suas doses de paixão, drama, intriga e mistério. É impossível não se apaixonar pelo relacionamento que Charlotte e Piers vão desenvolvendo. O que parecia ser algo apenas para salvá-la de um novo escândalo se torna muito mais.[…]” – Por Adriana Cardoso

Raíssa

“[…] Preciso dizer que minha primeira experiência com a escrita da Julia Quinn foi maravilhosa! Eu acabei a leitura encantadíssima e, de certa forma, triste por não ter lido nada dela antes. Ela trás uma história de amor, com muitos toques de comédia e outros de investigação, fazendo com que a gente fique preso a trama desde o início. Os personagens tem um humor afiado e personalidade fortes. O livro, ainda que tenha o toque clichê que os romances costumam ter, tem um lado gostoso, que faz com que a gente queria descobrir os fatos que irão acontecer a seguir. Além de torcer para que a investigação dê certo, que os mocinhos consigam se entender e sejam felizes. Com uma narrativa em terceira pessoa, tão costumeira nos livros de época, faz com que a gente consiga entender melhor todos os lados dessa história.[…]”

“[…] Heath, novamente, vem com um livro que nos conquista desde a primeira página. A verdade é que é até difícil falar o quanto eu amei toda essa história, porque foi muito! Entrou na lista de ‘melhores livros do ano’. A sensação é que ela se superou em comparação ao primeiro, que já havia sido muito bom. Ela faz com que a gente se apaixone pelos personagens, que torça por eles. Ela ainda tem uma delicadeza ao retratar Albert, de modo que a gente goste dele, mas que não supere o Edward. Gosto muito das notas que ela faz, porque trás a curiosidade sobre a inspiração que ela teve para o livro. Sinceramente? Essa mulher é a MINHA diva dos romances de época. Acredito que todos devem eleger uma, não é?! haha. A narrativa, assim como na maioria dos livros desse gênero, é feita na terceira pessoa.[…]”

“[…] Preciso dizer que Sarah se superou nesse livro. Eu estava com muita vontade de saber a história desse casal, desde o momento que Sophie empurrou Haven no lago. Ela trás uma história profunda, de um amor bonito, mas com seus lados feios também. Com os erros, as mágoas, as tristes lembranças. Mas o frescor do recomeço, da segunda chance, do amor ser o que nos guia. Ela trás esse lado mais dramático, mas com doses incríveis de comédia. Ela sabe balancear perfeitamente o caso. Nosso coração fica lotado de emoções, inclusive ansiedade para as próximas páginas. Os personagens são maravilhosos, desde os protagonistas, até os coadjuvantes. Eu to numa dúvida gigante se eu amei mais o primeiro ou esse. O terceiro livro de Escândalos e Canalhas vem para nos reconquistar e nos prender com mais força a escrita da Sarah. Entre lágrimas e risos, Perigo para um Inglês arrebatou meu coração. Agora me resta a maior ansiedade do mundo para a mais doida das Irmãs Perigosas, Lady Sesily.[…]”

Aiiii…tantos livros lindos passaram por essa coluna que a vontade é indicar todos novamente. Foi muito difícil filtrar em apenas 12 livros, mas acreditamos que estes são os mais maravilhosos que passaram por aqui. Essa coluna foi gratificante para todas nós e nela pudemos passar todo o nosso amor por romances de época.

Essa é última publicação da coluna e já estamos preparando novas publicações para 2019. Agradecemos muito por todos que prestigiaram a coluna e esperamos vê-los no próximo ano no nosso chá semanal. Feliz Ano Novo lords e ladys!!

13 comentários em “Melhores do Ano: ‘A Hora do Chá’

  1. Que legal! É bom para dar uma relembranda em alguns títulos. Eu ainda não tive oportunidade de ler nenhum desses, então é bom sempre guardar alguns nomes de indicações. Eu curto muito romance de época, principalmente os escritos na época.rs. As vezes me choco com tanta modernidade em alguns textos. 🙂

    Curtir

  2. Quantos títulos incríveis você nos trouxeram, leituras fantásticas ao longo desse ano e tenho certeza de que já traçaram outros tantos como meta para esse 2019 que vem chegando a passos largos. Desejo um ano de muita paz e muito amor.

    Abraços! 😊

    Curtir

  3. Que boa seleção de obras. Perfeito para quem gosta do gênero. A segunda opção é a que eu mais quero ler em breve. Depois da festa do final do ano. Obrigado por compartilhar.

    Curtir

  4. Que seleção legal, todos os livros foram super falados ao longo desse ano, pra quem gosta é uma baita lista! Ainda tô empenhada em tentar ler algum libro do genero, mas ainda não deu…
    Adorei o post!!

    Curtir

  5. Que interessante essas listas separadas… É impressão minha, ou só tem “romances de época” ingleses (ou sobre a Inglaterra vitoriana) nesta lista? 🙂 Talvez por isso, chamar essa seção de “A Hora do Chá” faça ainda mais sentido. rs

    Curtir

  6. Eu não conhecia o site ” além de 50 tons” vim conhecer esse ano algum desses livro com me chamaram atenção, por E gostei bastante. Isso conseguir através do belo trabalhos de vcs obrigado pela resenhas e espero que esse ano de 2019 venha muito mais

    Curtir

  7. Ótima retrospectiva!
    Percebi que tem vários livros da Júlia Quinn que eu ainda não li. E pretendo resolver essa carência o qto antes. Amo romances de época e os dela são maravilhosos!
    Parabéns pelo blog e feliz ano novo!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s