Crítica da Série: ‘Chesapeake Shores – 3ª Temporada’

Oi gente!! Hoje é um bom dia para começar a maratonar uma nova série. Eu venho falando de Chesapeake Shores desde 2017 e essa publicação é para falar da terceira temporada. E como estamos bem adiantadas na série é possível que tenha alguns spoilers nessa crítica, ok? Antes de mais nada, confirma sinopse e trailer…

“Nesta temporada, Trace (Jesse Metcalfe) volta da turnê e Abby (Meghan Ory) fica sob os holofotes, mesmo sem querer. O novo manuscrito de Bree (Emilie Ullerup) incomoda a família.”

Vamos falar um pouco de tudo que rolou nessa temporada. Se você está completamente boiando, eu sugiro dar uma lida rápida nas temporadas anteriores. A série é baseada na série de livros de mesmo nome da autora Sherryl Woods e é transmitida aos domingos pelo canal Hallmark Channel. Aqui no Brasil a transmissão ficou sob a responsabilidade da Netflix. Semanalmente, o serviço de streaming disponibilizava um episódio e no dia 25 de outubro tivemos a season finale. Foram 10 episódios de cerca de 45 min cada um e que nos deixaram querendo a 4ª Temporada pra ontem.

Na temporada anterior os O’Brien tentaram resolver todos os problemas familiares que os rondam há muito tempo, mas o que parecia ter se resolvido vem abaixo com o novo livro de Bree (Emilie Ullerup). Ela escreveu um novo romance, mas aparentemente ela escreveu a história dos O’Brien, sem pedir a permissão dos pais e irmãos. Quando Simon Atwater (Oliver Rice) lê o manuscrito, ele envia sem o consentimento de Bree para sua editora. É claro que o relacionamento que poderia acontecer entre eles fica balando e teremos uma grande confusão iniciada na família por causa do livro.

A primeira a ler o livro e perceber que pode ser uma das personagens é Jess (Laci J. Mailey). É claro que ela não vai receber essa história muito bem, pois se sente traída por Bree. As duas acabam brigando porque Bree não consegue explicar que o livro não é sobre a família. Além do problema com o livro, Jess tem que lidar com a família super rica de David (Carlo Marks). Ele é o grande herdeiro dos Pecks e é claro que eles tem o futuro dele todo planejado, mas David sonha em seguir sua vida trabalhando na pousada de Jess. Não vai ser nada fácil para eles terem que enfrentar uma família tão rica como os Pecks. Teremos outro momento emocionante para a caçula dos O’Brien que foi de partir o coração.

Em paralelo à isso, temos Abby (Meghan Ory) tendo que administrar a carreira, a vida de mãe solteira e ainda por cima namorada de um cara famoso. Trace (Jesse Metcalfe) está em turnê e Abby até vai passar uns dias com ele, já que as filhas estão com o pai, mas ela sabe que namorar um Trace famoso será complicado, principalmente por não querer expor suas filhas. O relacionamento deles fica balançado quando Abby vê suas fotos numa revista. O caminho de Trace e Abby será longo, mas eles terão que aprender a ignorar a impressa e as fãs que estão no pé dele após a banda ficar famosa.

Bree terá que enfrentar toda a família, mas ela não sabe como fazer isso. A sábia matriarca dos O’Brien (Diane Ladd) é que aconselha a neta a mostrar o manuscrito para os pais. Bree sempre acreditou que sabia tudo sobre o que aconteceu com sua família, mas ela não esperava que os pais se sentissem tão ofendidos e magoados por se verem naquelas páginas. E pior, parte daquilo não é verdade, mas Bree era uma criança quando tudo aconteceu, então ela escreveu sob a sua perspectiva.

Cada um tem os seus próprios dramas e por isso nunca enfrentaram o passado doloroso da família. Eles sempre jogaram para baixo do tapete e nunca pararam realmente para conversar e entender porque Megan (Barbara Niven) foi embora quando eles eram tão pequenos, mas com o livro da Bree vindo à tona, a conversa terá que acontecer e será um dos momentos mais importantes dessa temporada. Será que erros do passado podem ser perdoados? Será que essa família vai superar tudo em nome do amor que os une?

Nessa temporada nós tivemos um pouco mais sobre a relação conturbada dos irmãos Mick (Treat Williams) e Thomas (Gregory Harrison). Eles cresceram numa competição sem fim e mesmo depois de tantos anos é difícil conversar e acertar os ponteiros. Ao que tudo indica, eles estão num longo caminho para reconstituir seu relacionamento como irmãos, mas eles já estão conversando sobre o assunto e isso é um passo muito na frente no que eles tinham antes.

chesapeake-shores-season-2-e1-12

Chesapeake Shores é uma série familiar. Eu gosto de dizer que ela foi vendida como uma série para falar da volta de Abby à cidade, mas a cada temporada vemos que tem muito mais. Eu vejo como uma série que trabalha os problemas que várias famílias tem: divórcio, novos relacionamentos, problemas com os pais, o amor entre irmãos, as desavenças e competições. Me diz se isso tudo não pode acontecer as nossas famílias? O ponto aqui é como eles vão resolvendo cada grande problema que aparece. Daí mais uma vez eu pergunto, não é assim na vida real?

Acho essa série tão injustiçada, pois não vejo nenhum blog indicando. Ela é maravilhosa e acaba ficando fora do radar do grande público. Se você gosta de histórias no estilo Nicholas Sparks vai curtir Chesapeake Shores, pois é daquelas séries que a gente assisti rapidinho e fica com o coração aquecido. Temos romances, relações conflituosas e tudo isso com muita música. A trilha de todas as temporadas trás muita música country muitas delas são cantadas pelo ator Jesse Metcalfe já que seu personagem é músico. É impossível não se apaixonar pelos personagens, por suas histórias, pelo lugar lido onde a série é gravada e pela música boa.

Até a data de publicação dessa matéria, eu não vi nada sobre a renovação da série. Pelo o que eu andei pesquisando, essa temporada recebeu média de visualização parecida com a anterior, então tem grandes chances de renovação. Eu não sei como é a propaganda da série no canal de origem, mas aqui no Brasil não tem marketing algum para ela. Como eu disse antes, eu não vejo nenhum blog escrevendo uma linha sobre a série, então isso prejudica muito nas renovações. A única propaganda que vejo a Netflix fazendo e colocar a tag ‘Novos Episódios’ quando abrimos nosso perfil no serviço e começamos buscar o que assistir. Precisamos mudar isso.

Enfim, indico Chesapeake Shores para as românticas de plantão ou para quem quer dar uma aliviada de séries mais dramáticas. Ela é um bom entretimento e merece a renovação para que tenhamos, pelo menos, um encerramento do que ficou em aberto nessa temporada. Eu fico por aqui, mas em breve trago mais dicas de boas séries. ❤

17 comentários em “Crítica da Série: ‘Chesapeake Shores – 3ª Temporada’

  1. Oie!

    Não conhecia a série, o que realmente é uma pena porque por causa dessa pouca divulgação, a gente não conhece e acaba mão assistindo e fica com baixa audiência, ne? Achei ela bem interessante, vou procurar pra assistir e fico aqui na torcida para que não seja cancelada.

    Beijos

    Curtir

  2. Uma resenha super completa! Eu não conhecia a série, mas pelo teu post, deu pra ver que ela tem um roteiro bem interessante. Conflitos familiares são um ótimo pano de fundo para qualquer história. Gostei!

    Curtir

  3. Dri, toda vez que eu vejo suas resenhas sobre essa série, fico querendo me bater, por ainda não ter visto. Como conversamos, falei que o que me deixa muito curiosa também é sobre a Abby, porque eu adoro a atriz. Além disso, acho mt sacanagem a Netflix não investir na divulgação decente da série, já que detém os direitos de exibição dela. E nem vamos entrar no mérito dos livros rs. Amei! Beijos
    https://almde50tons.wordpress.com/

    Curtir

  4. Olá!menina, eu anda tão desanimada com séries, ando percebendo que ta tudo muito igual, e isso vem me desanimando, gosto mesmo de história investigativas rs’ mas, eu não conhecia essa série e parece ser bem interessante e mostra como uma família tem problemas, como todas em geral. Fiquei curiosa com a série, quem sabe eu não de uma conferida. ótima resenha!

    Curtir

  5. Então você tem razão, eu também não tinha ouvido falar dela. Mas adoro dicas de série para ver na Netflix. As vezes só olhando o catálogo a gente não se anima a começar uma série.
    Adoro estas séries que tem uma pegada familiar. A gente acaba por se sentir parte da história rsrs. Beijos

    Curtir

  6. Esta série e perfeita! Adoro… e concordo plenamente que falta divulgação. E uma serie pouco conhecida e diferente das que estamos vendo fazer sucesso… posso dizer que melhor que algumas famosas. Espero mesmo que continuem produzindo ou que pelo menos coloquem um fim na historia.

    Curtir

  7. Assisti a série é maravilhosa, o ideal é que tenha ao menos a 5 temporada para fechar com romance de Abby e Trace. Lindos ele é super apaixonado por ela é ela também.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s