Cinco Motivos para Assistir: ‘The OA’

Oi gente!! A coluna Cinco Motivos Para Assistir está de volta e hoje eu vim falar da série mais louca, mas que você não consegue largar: The OA. Para quem não conhece, a primeira temporada estreou lá em dezembro de 2016 e desde então quem assistiu vinha pedindo por uma nova temporada. Finalmente no último dia 22, a Netflix entregou novos episódios e o alvoroço recomeçou. Eu confesso que tive rever a primeira temporada porque eu realmente tinha esquecido de muitas coisas e em The OA, tudo é importante e está conectado. Antes de continuar, confiram sinopse e trailer da primeira temporada…

“Sete anos depois de desaparecer, uma garota volta para casa, mas com novos sentidos. Ela só tem um desejo: voltar ao mundo onde estava.”

The OA é uma série norte-americana criada e produzida por Brit Marling (também é a atriz principal) e Zal Batmanglij e distribuída mundialmente pela Netflix. Inicialmente a série era produzida pelos estúdios Plan B e Anonymous Content, mas desde que a Netflix confirmou a segunda temporada que a série se tornou uma série Original do serviço de streaming. Cada temporada conta com oito episódios e o tempo de cada um deles é bem diferente, pois temos episódios de 42 minutos e outros de 70. 

A série estreou em 16 de dezembro de 2016 e deixou várias pessoas criando teorias para o enredo. Logo, os fãs começaram a pedir uma continuação e a Netflix confirmou que teria uma segunda temporada, mas isso aconteceu em 08 de fevereiro de 2017. Desde então, os fãs esperavam sem muita expectativas pela continuação da história de Prairie Johnson/ OA. Eu confesso que quando vi o trailer da segunda temporada, eu achava que estava em outra dimensão assim como o enredo trabalhado na série, pois já estava sem esperanças de teria realmente a continuação.

Prairie Johnson/ OA viveu por sete anos num porão junto com outras quatro pessoas. Cada uma delas era importante para o experimento que o Dr. ‘Hap’ Percy (Jason Isaacs) estava desenvolvendo. Ele acreditava que poderíamos ‘saltar’ para outras dimensões e para isso bastava que o indivíduo passasse por uma EQM, ou seja, uma experiência de quase-morte, e assim poderiam descobrir movimentos transcendentais como se fosse um ritual e assim terem acesso a novas dimensões. Por muitos anos, ele fez experimentos com cada uma das cinco pessoas que havia sequestrado, sendo uma delas, Prairie, uma menina que ficou cega num acidente quando ainda era criança.

Quando Prairie reaparece, sete anos depois, ela não quer contar nada ao FBI e muito menos explicar onde esteve e como voltou a enxergar. Para muitos pode ser um milagre, mas os mistérios envolta de Prairie são enormes. A única coisa que Prairie quer é voltar para o momento que conseguiu deixar seus companheiros de cela para trás e saber se todos conseguiram se salvar. Depois que ela volta, OA reúne cinco pessoas (BBA, Steve, French, Buck e Jesse) para contar sua história e quem sabe pode ‘saltar’ para uma nova dimensão e buscar seus amigos.

The-OA2

The OA é uma série que mistura ficção científica com drama, suspense e fantasia. Tudo pode ser real, mas também pode não ser. Um termo que eles usam muito é ‘Acredite no desconhecido’ e realmente nos pegamos criando as teorias mais loucas para resolver os enigmas da série. Nas duas temporadas o tema vida após a morte é trabalhado de todas as formas possíveis. Enfim, antes de sair soltando spoilers sobre a série, eu vou te dar 5 bons motivos para tirar um tempinho e conferir The OA. Vem comigo…

1 – Narrativa Diferenciada

The OA é diferente de tudo que já vimos. Ao longo dos episódios, nós vamos descobrindo os fatos junto com os personagens, pois em vários momentos temos acontecimentos que misturam o passado, o presente e as dimensões. É como se fossemos o sexto personagem no grupo. A Prairie vai contando a sua história, ao mesmo tempo que vamos acompanhando a vida de cada uma das cinco pessoas que ela escolheu. Tanto a primeira quanto a segunda trás poucos personagens, mas eles são importantíssimos para estabelecer o equilibro nas dimensões. 

1176353-0-q80

2 – Representatividade

The OA tem um elenco muito representativo, a gente pode ser ver em mais de um personagem, seja por aparência física ou pela personalidade. Eu vou dar destaque para dois personagens que se destacam no tema representatividade: Michelle/ Buck Vu (Ian Alexander) e Alfonso ‘French’ (Brandon Perea). Buck é um garoto trans assim como o ator que o interpreta. Além disso, Buck é um personagem asiático, então sai ainda mais do padrão de personagens brancos. Alfonso também se inclui fora do padrão não-branco e na segunda temporada descobrimos mais sobre a sua sexualidade. É maravilhoso ver que a Netflix tem prezado pela diversidade e a cada nova série podemos ver cada um de nós sendo representado no elenco principal e não como suporte. 

the-oa-ep-6.w600.h400

3 – Multiverso

The OA é uma série de ficção científica, pois ao longo das duas temporadas, Hap faz diversos experimentos para provar que existem mundos paralelos e que algumas pessoas podem ‘saltar’ pelas dimensões. Na primeira temporada, o maior experimento de Hap eram as EQMs, mas na segunda temporada temos um elemento sendo inserido na história e deixando mais misteriosa. Um jogo que pode te mostrar a verdade sobre o multiverso ou você pode enlouquecer tentando desvendar. Confesso que nessas horas até mesmo o telespectador se pega criando bilhões de teorias. 

4 – Produção

Um dos pontos altos dessa série é a qualidade da produção. Tudo é muito trabalhado e a fotografia é sensacional. Na segunda temporada percebemos a paleta de cores usadas mudar de uma dimensão para outra assim como foi feito na primeira temporada quando víamos flashbacks de Prairie em cativeiro. Além disso temos ótimos efeitos visuais mostrando para onde cada um foi durante sua EQM. A trilha sonora também não decepciona. 

the-oa-netflix-dest-1-1000x563-853x480

5 – Filosofia e Crença

Nas duas temporadas temos muitas reflexões sobre a vida e a morte, e principalmente sobre ter fé. Prairie vai contando tudo que passou e tudo que descobriu enquanto estava em cativeiro, parte da gente, assim como do grupo que ela reuniu, precisa ter fé no que ela conta, pois a princípio parece absurdo que alguém possa sair ‘saltando’ por outras dimensões. Tudo é muito filosófico, então os diálogos convidam o telespectador a refletir se aquilo é possível ou não. Ou seja, The OA é uma série que exige do telespectador um pouquinho de fé e reflexão. Em todos os episódios somos testados a acreditar e refletir sobre a complexidade da vida e sobre para onde vamos depois da morte. 

prairie-johnson-brit-marling-e-hap-jason-isaacs-em-cena-da-primeira-temporada-de-the-oa-da-netflix-1482525279606_v2_900x506

The OA testa muitas teorias sobre o universo, vida e morte e a possibilidade de viver vidas diferentes em cada dimensão. Ela é enigmática, mas se torna interessante ir descobrindo cada uma de suas facetas. A Segunda Temporada chegou para expandir o multiverso e trazer novos personagens além dos já conhecidos. A espera foi longa, mas não decepcionou e com tanto de comentários positivos que tenho visto desde a estreia da segunda temporada, eu estou esperançosa que a terceira seja confirmada.

E aí, já viram The OA? Não? Então corre para assistir e vem contar suas teorias. Pra quem já viu, o que acharam da continuação? Valeu a pena esperar? Eu fico por aqui e já vou criando teorias para a Terceira Temporada dessa série muito louca, mas que todos deveriam ver. 

 

 

7 comentários em “Cinco Motivos para Assistir: ‘The OA’

  1. Já tinha ouvido falar da série, mas nada assim tão explicadinho. Eu gostei muito…adoro ficção científica. Estou querendo selecionar algumas para ver esse ano, acho que pode ser uma boa.
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    Curtir

  2. Olá Adriana, tudo bem?

    Eu faço parte do time de pessoas que assitiu a primeira temporada e esperou ansiosa por todos esses anos, mas que até hoje não parei para assistir a segunda. Estou com receio do que vou encontrar na segunsa temporada, mesmo sabendo que será uma temporada espetacular. Preciso reassistir também a primeira temporada, pois como tudo está entrelaçado, creio que se torne importante.
    Adorei os motivos que você trouxe para assistir, teria me convencido se não tivesse visto ainda. Acho importante a questão da representatividade, das teorias abordadas e das crenças. Post incrível!

    Beijos!

    Curtir

  3. Olá 🙂
    Eu já ouvi falar muito bem dessa série, mas ainda não assisti(se não me engano está até na minha lista da Netflix), depois de ler seu post já vou correndo lá começar a assistir, e já emendar uma temporada na outra kkkkk…
    Adorei o post
    ótima segunda
    bjo

    Curtir

  4. Oi, devo admitir que gostei do enredo. Eu não tive a possibilidade de acompanhar alguma temporada da série. Mas vou corrigi-lo e depois descobri-lo no seu blog. Já passei mais tempo dedicado às minhas atividades diárias. Atenciosamente 🙂

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s