A hora do Chá: ‘Agora e Sempre – Judith McNaught’

Oi gente!! Hoje é dia de trazer uma das maiores escritoras de romance de época do mundo. Eu nunca tinha lido nada da Judith McNaught, então quando recebi um de seus livros na minha caixinha do Clube da Carina, decidi que era hora de conhecer a escrita da autora. Agora e Sempre não foi o livro que veio na caixa, mas como é o primeiro da trilogia, eu decidi começar a leitura por ele. Antes de falar mais, leiam a sinopse…

“O premiado romance histórico da autora best-seller Judith McNaught com orelha assinada por Carina Rissi. Após perder os pais em um trágico acidente, Victoria Elizabeth Seaton é enviada para a Inglaterra, onde se espera que reivindique seu lugar de direito na sociedade inglesa. Assim que chega à suntuosa propriedade de Jason Fielding, ela é vista por seu tio Charles como a mulher perfeita para o sobrinho. Assustada com a má fama do marquês de Wakefield, Tory jamais pensaria que sob a frieza e a amargura de Jason haveria lembranças de um passado doloroso a atormentá-lo. Ele, por sua vez, acredita ser incapaz de amar de verdade, quem quer que seja. Juntos, Victoria e Jason descobrirão até que ponto se pode conter um coração que quer se entregar e todos os obstáculos que só um amor verdadeiro é capaz de vencer.” 

20190718_144300

Victoria Seaton ou Tory para os íntimos vivia em Nova York com a família, mas após uma tragédia, as irmãs Seatons ficaram órfãs e os únicos parentes estavam do outro lado do oceano, em Londres. Elas são enviadas para a Inglaterra, mas serão separadas quando chegarem lá já que a bisavó das duas, a Duquesa de Claremont, não quer receber Victoria. Sendo assim, Tory é enviada para viver com o primo de sua mãe, Charles Fielding, o Duque de Atherton. Ela não sabe nada sobre essa família, pois a mãe nunca mencionou nada sobre eles, mas Tory precisará se adaptar a sua nova vida.

Ao chegar à Londres, Tory tem sua primeira decepção: não tem ninguém esperando por ela. A irmã Dorothy segue para a residência da bisavó enquanto Tory fica esperando que Charles mande alguém para buscá-la. Após alguns dias, Tory decide pegar uma carona para Wakerfield Park. Ela acaba sendo recepcionada pelo mau-humorado Jason Fielding, o Marquês de Wakefield, que é pego de surpresa ao saber que Charles pretende se hospedar em sua casa e ainda com convidada.

Jason não está nada contente de ter sua rotina mudada por causa de hospedes e deixa isso muito claro para Charles e Victoria, mas Charles tem seus planos. Ele deseja casá-la com o sobrinho e assim fazer um dos maiores casamentos na sociedade londrina. Jason não quer saber desse casamento, pois ele já foi casado e agora passou a não confiar nas mulheres. Tory acredita que passará uma temporada em Londres até o seu querido, Andrew vir buscá-la. Ela só não sabia que o tio estava armando um plano para casá-la com o Jason.

“Talvez por trás daquela fachada de frieza, Jason se sentisse tão solitário e vazio quanto ela. Talvez ele precisasse dela, mas não fosse capaz de admitir isso.”

Nenhum dos dois faz questão nesse casamento. Tory está esperando Andrew, seu amor de infância, vir buscá-la e finalmente se casarem na América. Enquanto isso, Jason voltará para sua vida de reclusão. Charles não vai aceitar que esses dois não se apaixonem, então ele move os pauzinhos para que pelo menos haja um compromisso entre eles. Eles serão obrigados a viverem sob o mesmo teto, então Charles acredita que a bondade e espontaneidade de Tory vá derretendo o coração gelado de Jason.

Victoria é apresentada a sociedade e logo conquista uma multidão de pretendentes, mas Charles já anunciou um noivado falso entre ela e Jason. Os homens estão sempre tentando conquistá-la, mas nunca dão um passo a frente na corte por causa de Jason. Ela é encantadora, espirituosa e a cada dia conquista mais amigos pelos bailes que anda. Só que esse encantamento não está passando despercebido por Jason. Ele percebe a personalidade forte dela, mas jamais vai admitir que ela mexe com ele.

“Jason era frio, cínico e amargo, além de ser dono de um temperamento completamente desequilibrado! Nenhum homem em sã consciência seria capaz de beijar uma mulher com ternura e paixão, para se tornar frio e cruel alguns instantes depois.”

Charles vê uma grande oportunidade quando a mãe de Andrew envia uma carta para Tory avisando que ele se casou. Ela fica sem chão, pois sempre achou que seria a esposa de Andrew. Charles finge uma doença e usa o momento para pedir que Jason cuide de Victoria na sua ausência, ou seja, que se case com ela. Ambos ficam em choque, mas Jason promete protegê-la e não abandoná-la. Tory não queria se casar dessa maneira, quando se casasse seria por amor, mas acaba prometendo se casar com Jason para realizar o último desejo de Charles. Ciente de que conseguiu o queria, Charles enfim pode comemorar a união entre eles.

Apesar de Jason já ter sido casado antes e de não ter uma boa reputação na alta sociedade, ele ainda é um dos partidos mais disputados entre as mães casamenteiras. Victoria se sente atraída pela personalidade dele, mas ao mesmo tempo tem medo do homem bruto que ele pode ser. Ele sempre mostra para Tory que não deseja o amor e que isso é uma fraqueza. Já ela sempre se imaginou num casamento feliz onde fosse amada por seu parceiro. Será que essa união dará certo com duas personalidades tão diferentes?

“Centenas de vezes tentei me convencer de que não a quero, Victoria, todas em vão.”

Como eu disse no início, esse foi o primeiro livro da Judith que eu li e eu comecei com o relançamento de Agora e Sempre. Essa história já tinha sido publicada há algum tempo, mas foi republicado numa edição super bonita. Esse livro tinha tudo para ser maravilhoso, pois tem tudo que eu amo: uma mocinha forte e determinada e um mocinho sombrio e misterioso. Só que tem algo sobre ele que me ‘brochou’ completamente para essa história. Eu vou tentar explicar os motivos para ter gostado e ao mesmo tempo desgostado, mas sem dar spoilers graves.

Vou começar pelo o que eu mais gostei: Victoria. Ela é uma mocinha adorável e que não tem medo de dizer o que pensa. Ela realmente teve que ser forte e construir uma nova vida longe da irmã e do homem que ela acreditou que seria seu marido. Quando ela finalmente se casou, não foi com o amor da sua vida, mas com um homem cruel e egoísta. O tempo todo Charles acreditava que Victoria estava lá para salvar Jason. Sabe a história da mocinha ser salva? Aqui é o contrário. É Victoria quem precisa salvar Jason de um passado sombrio e que marcou toda a sua personalidade na vida adulta.

Jason realmente sofreu. Apesar de ser um marquês, ele é filho bastardo e teve que conviver com isso durante toda a infância. Ele foi criado na Índia pelos tios e digamos apenas que a tia não foi a mais amorosa das mães. Ele fez riqueza sozinho e conseguiu se casar com uma mulher belíssima, o problema é que a mulher se mostrou uma interesseira e Jason não foi feliz no casamento. Um trágico acidente o deixou viúvo e mais uma vezes, ele se fechou para qualquer tipo de felicidade. Então, Victoria aparece para salvá-lo de um destino de dor e escuridão.

20190718_144231

Até aí tudo bem, a gente já viu vários enredos onde os mocinhos são frios devido à passados ruins, mas Jason ultrapassa os limites em vários momentos. Pra mim teve uma cena que foi a gota d’água, pois ele sabe que ultrapassou todos os limites do perdoável e mesmo tendo consciência, ele nunca pediu desculpas pelo o que fez. O assunto foi esquecido completamente por ambos. Eu esperava pelo menos por uma nota da autora falando sobre o assunto. Eu não sou inocente de não saber que existia os comportamentos aceitáveis para uma esposa e um deles era ser submissa ao marido. Mas ainda sim, é muito ruim ler isso em 2019 e não ter nenhuma nota de justificativa.

Enfim, para não adentrar mais no assunto, deixa eu falar dessa edição de Agora e Sempre. A capa está muito bonita com detalhes em alto relevo e tem a orelha escrita por ninguém menos que Carina Rissi. Esse é o primeiro livro da trilogia Sequel. O segundo livro, Algo Maravilhoso, veio como livro inédito na segunda caixa do Clube da Carina e foi por isso que comprei Agora e Sempre. Apesar de ser livros únicos, eles fazem parte de uma trilogia e pra mim precisam ser lidos em ordem. A diagramação está bem simples, mas a fonte e espaçamentos são confortáveis para a leitura. A narrativa é em terceira pessoa, mas flui super bem.

20190718_144336

Agora e Sempre é um romance de época com uma narrativa super gostosa e envolvente. É daqueles livros que a gente senta pra ler e só levanta quando acaba, mas a Judith resolveu retratar uma época onde os casamentos arranjados nem sempre acabavam em casais super apaixonados e que a mulher era vista como propriedade do marido. É um livro que faz o leitor oscila de amor e ódio muito rápido, mas infelizmente a personalidade abusiva de Jason não fez ser completamente feliz ao ler esse livro. Ele tem um passado doloroso, ele muda por amor, mas aquela cena, aquela cena que Victoria perdoa facilmente, pra mim é imperdoável. Por isso, deixo 3 Angélicas para a minha experiência ao ler Judith McNaught.

CLASSIFICAÇÃO 3ANGÉLICAS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s