A Hora do Chá: ‘Alguém Para Amar – Judith McNaught’

Oi gente!! Hoje eu vim falar do último livro da trilogia Sequels da Judith McNaught. Alguém Para Amar é um lançamento do final de agosto que eu comprei na pré-venda por causa do meu amor pelo segundo livro, Algo Maravilhoso. Eu estava louca para saber se ele superava seu antecessor e caraca, eu só tenho uma coisa para dizer: leiam a resenha até o final. Ela é livre de spoilers, mas cheia de amor rs Antes disso, confiram a sinopse…

“Nova edição de um dos clássicos de Judith McNaught. Com orelha assinada por Carina Rissi. Em toda a Inglaterra, não há beleza que se compare à de Elizabeth Cameron, a Condessa de Havenhurst. Criada longe dos salões londrinos, ela não sabia que ligações afetivas e financeiras frequentemente se entrelaçam em sutis arranjos de interesses. Quando Ian Thornton, um homem atraente, de origem misteriosa e perigosamente hábil nos jogos sociais aparece, a ingenuidade de Elizabeth a impede de suspeitar de seu comportamento. Os dois embarcam numa relação permeada de intrigas, escândalos e irrefreável sensualidade… mas será amor verdadeiro? “Judith McNaught consegue dosar irreverência e sensualidade de maneira magistral em seus romances. Em Alguém para amar, ela cria personagens encantadores, intrigantes, e os envolve ― e ao leitor ― em uma inesquecível história de amor, sobre duas pessoas muito diferentes, mas com o mesmo desejo de encontrar seu lugar no mundo.” – Carina Rissi.”

Lady Elizabeth Cameron debutou aos 17 anos e logo se tornou a mais requisitada da temporada. Até o debut dela, nenhuma moça tinha recebido tantos pedidos de casamento, mas a beleza e a graciosidade da jovem Condessa de Havenhurst fez todos os bons partidos querem se casar com ela. Seu irmão, Robert, acredita que precisa escolher o melhor entre eles já que opções é o que não lhe faltam, então Elizabeth continua passeando pelos bailes e conquistando mais cavalheiros a cada dia.

Com um pedido de casamento praticamente selado, Elizabeth parte para uma recepção no campo. Ela só não contava que toda a reputação que conquistara na temporada seria arruinada assim que conhecesse o misterioso Ian Thornton. Até então, Elizabeth poderia se casar com quem quisesse, mas ao começar se vista com Ian na festa, os mexericos logo se espalham. O fim para nossa pequena debutante é quando um encontro entre eles é marcado e Robert os encontra sozinhos na estufa.

Um duelo é marcado, palavras duras são trocadas entre Elizabeth e Ian e dois anos se passam após o terrível escândalo. Quando Robert fez os arranjos para que Elizabeth se casasse com o melhor partido, ele estava fazendo uma negociação muito vantajosa para si mesmo, pois pagaria tudo que estava devendo aos credores. Com o rompimento do compromisso, Elizabeth não só virou uma pária social como também ficou praticamente na miséria. E para completar Robert desaparece logo depois deixando sua irmã sozinha para enfrentar todo o escândalo.

“Ela quebrara suas regras e, com isso, tornou-se foco de um escândalo que se alastrou pela cidade como um incêndio descontrolado.”

Dois anos depois, Elizabeth tem 19 anos, se tornou mais bela do nunca, mas vive da mesada do tio e de pechinchar melhores preços. Ela acredita que poderá continuar assim até os 21 anos quando receberá uma grande herança. Elizabeth só não esperava que seu tio Julius estivesse planejando casá-la mesmo com a honra manchada e assim poder se livrar dos gastos que tem com ela e com a propriedade familiar: Havenhurst. Sendo assim ele toma a decisão, sem consultá-la, de enviar cartas para todos os seus antigos pretendentes, todos aqueles que um dia a pediram em casamento, independente de ter sido rejeitada anteriormente pela sociedade.

É assim que os caminhos de Elizabeth e Ian se cruzaram novamente. Apenas três dos antigos pretendentes respondem a carta de Julius e assim ele arranja que Elizabeth vá passar um fim de semana com cada um deles. Ela afugenta os dois primeiros pretendentes e agora só falta espantar o último e voltar para Havenhurst. O problema é que ela não está preparada para reencontrar Ian e tinha toda razão para estar apreensiva. Quando ela chega ao chalé dele na Escócia, após vários contratempos, Elizabeth descobre que Ian não queria que ela estivesse ali. O secretário dele respondeu positivamente ao convite, mas Ian nunca teve a intenção de rever Elizabeth.

“Ian possuía a calma arrogância de seus nobres ancestrais britânicos, além do temperamento explosivo e a orgulhosa intolerância dos escoceses.”

Digamos apenas que a temporada de Elizabeth na Escócia será tensa e ao mesmo tempo, eles terão tempo para entender o que realmente aconteceu na última noite que estiveram juntos. Ambos estão cheios de mágoas, mas aquele sentimento incontrolável ainda está lá. Aquela paixão fulminante que sentiram quando se conheceram ainda existe, mas eles ainda não estão preparados para esquecerem o passado e mais uma vez serão separados. Apesar de Elizabeth não ter revelado nenhum dos muitos desgostos que teve nos últimos anos, Ian fica sabendo e agora está decidido a fazer as coisas certas para eles.

Eu não vou me estender mais porque não quero revelar mais do que deveria, mas estevam preparados para uma história maravilhosa. Elizabeth, mesmo com a pouca idade, se mostrou uma mocinha incrível. Ela é durona, não deixou de lutar por Havenhurst e pelos poucos empregados que ainda consegue pagar. E apesar de todas as dificuldades, se tornou uma mulher forte, inteligente, mas carente de afeto já que todos que amava, a abandonaram ou morreram. Depois do escândalo, Elizabeth percebeu como a sociedade era maldosa e se manteve afastada deles o quanto pode. Com seu tio Julius mandando convites para todos os seus antigos pretendentes, só reabriu uma ferida que ela acreditava estar curada.

“Alguma vez você quis muito uma coisa… algo que estivesse ao seu alcance, mas, que ainda assim, tivesse medo de pegar?”

Ian tem origem misteriosa, já que todos dizem que ele é herdeiro de um duque, é viril e todas as mulheres querem passar por sua cama pelo menos uma vez. Além disso é muito inteligente e apesar de ser um apostador, Ian tem um intuição muito boa para os negócios. Apesar de ser muito rico, ele não é um cavalheiro, então raramente é convidado para os bailes da aristocracia. Quando ele descobre que Elizabeth é uma condessa e que resumiu o que sentiam como um flerte de fim de semana, Ian fica desapontado por ter acreditado que ela era uma mulher rara e naquela noite promete nunca mais acreditar em suas mentiras.

Os personagens principais são apaixonantes, mas eu não estava preparada para que o MEU CASAL de Algo Maravilhoso fosse tão participativo nesta história. Alex sempre foi uma das melhores amigas de Elizabeth e Jordan, não só é um primo distante, como sempre foi o melhor amigo e é parceiro em vários negócios de Ian. Eles aparecem bastante em Alguém Para Amar, então se vocês já gostavam deles, preparem-se para amá-los mais ainda aqui. Além deles, eu preciso destacar os empregados de Elizabeth. Assim como os criados de Alex, eles não são a família da nossa mocinha e a defendem como podem. Outros personagens destaquem de Algo Maravilhoso transitam por aqui, pois estamos na mesma linha temporal e por causa da ligação deles com Alex e Jordan.

“Eu o magoei demais, meu amor, e vou continuar a magoá-lo nos próximos cinquenta anos. E você também vai me ferir, lan, embora eu espere que nunca mais seja tanto quanto está me ferindo agora. Mas se é assim que tem de ser, vou suportar tudo pois minha única alternativa seria viver sem você, e isso é o mesmo que a morte. A diferença é que eu sei disso, e você… ainda não sabe.”

Eu sou completamente apaixonada pelas edições dessa trilogia. Cada capa é tão bonita, que difícil de dizer qual delas é mais bonita. O nome da autora vem em auto relevo e apesar de não ter gostado tanto assim de Agora e Sempre, os três livros ficam lindíssimos juntos. Esse é o maior livro da trilogia e eu fui me apaixonando completamente a cada página. A diagramação é simples, mas tem fonte e espaçamentos confortáveis para leitura. Não achei erros de revisão, então só posso dizer que estamos falando de edições perfeitas.

Alguém Para Amar tem várias reviravoltas, umas mais devastadoras do que as outras, e quando a gente vai se aproximando do final vai ficando cada vez mais difícil se despedir de personagens tão queridos. Até de quem eu achava que já tinha me despedido, voltaram pra que eu amasse mais e dissesse adeus novamente. É um romance cativante, regado há um bom drama e com pitadas de humor. Um livro encantador que nos tirar tantas reações. Eu ri, eu chorei e eu passei raiva, mas super vale a pena se jogar nessa história. Deixo minhas 5 Angélicas para esse romance de época que me fez suspirar.

CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s