Resenha: ‘Deixada Para Trás – Charlie Donlea’

Olá pessoal! Já faz um tempo que estou de olho nos lançamentos do autor Charlie Donlea aqui no Brasil. As capas e sinopses dos seus livros sempre despertaram meu interesse, então decidi começar a embarcar nas obras do autor pelo livro Deixada Para Trás, que foi lançado em 2017 pela Faro Editorial e já adianto que foi uma ótima primeira impressão. Chega mais e vem saber tudo que eu achei sobre esse livro, mas antes, confere a sinopse:

“Duas colegas são raptadas. Megan foge e, um ano depois, escreve um livro que se torna um sucesso. Um detalhe inconveniente: Nicole continua desaparecida. Nicole e Megan são alunas do último ano da high school de Emerson Bay, uma cidadezinha na Carolina do Norte. Certa noite de verão, elas desaparecem de uma festa à beira do lago. A polícia realiza uma busca intensa, mas não encontra nenhuma pista. Quando já haviam perdido as esperanças de encontrá-las com vida, Megan aparece, milagrosamente, ao conseguir escapar do cativeiro escondido nas profundezas da mata. Um ano depois, Megan lança um livro contando o seu martírio naquelas duas semanas, e, imediatamente, ele se torna um best-seller e a converte de uma heroína local em celebridade nacional. Trata-se de um relato triunfante e inspirador, exceto por um detalhe inconveniente: Nicole continua desaparecida. Livia, irmã mais velha de Nicole, aluna de patologia forense, espera que um dia, em breve, o corpo de Nicole seja encontrado, e caberá a alguém como ela analisar a evidência e determinar finalmente a causa da morte de sua irmã. Em vez disso, a primeira pista do desaparecimento de Nicole surge de outro corpo que chega ao necrotério onde ela trabalha. É de alguém ligado ao passado de Nicole. Então, Livia entra em contato com Megan para contar a descoberta, e pedir mais detalhes da noite em que as duas foram sequestradas. Como outras garotas também desapareceram, Livia começa a acreditar que existe uma forte ligação entre todos aqueles casos. No entanto, Megan sabe mais do que revelou em seu livro. Lampejos de memória surgem, apontando para algo mais sombrio e monstruoso do que o descrito em suas arrepiantes memórias. Quanto mais ela e Livia se aprofundam, mais se dão conta de que, às vezes, o terror verdadeiro está em encontrar exatamente o que estávamos procurando.”

Lívia Cutty é uma médica que está se especializando na área de Patologia Forense no Instituto Médico Legal de Raleigh. O motivo de ela ter escolhido essa especialização? Sua irmã mais nova, Nicole, está desaparecida desde o ano anterior e Lívia quer que, quando o corpo de Nicole for encontrado, ela consiga ter todas as respostas sobre o que aconteceu com a sua irmãzinha enquanto estava desaparecida e tudo que seu algoz fez com ela. Enquanto o corpo de Nicole não é encontrado, Lívia segue dando essas respostas tão necessárias para outras famílias. Se importando e respeitando a dor deles, desvendando o que aconteceu com compaixão, cuidado e competência… o tratamento que ela espera ter  no dia em que Nicole for encontrada.

Já a sua escolha para trabalhar no IML de Raleigh, que é tão perto de Emerson Bay, local onde ela e sua irmã cresceram é óbvio: um dia, o corpo da sua irmã seria descoberto e seria levado para lá. Toda vez que o corpo de uma mulher desconhecida entrava no necrotério, Lívia verificava se não poderia ser sua irmã. Até o momento, todos os corpos femininos que chegaram foram identificados e nem um era de Nicole, mas Lívia esperava que um dia isso aconteceria… mas algo aconteceu antes.

Mais um dia de trabalho, mais um corpo em sua mesa, dessa vez de um rapaz jovem que foi encontrado na baía. Os peritos disseram que provavelmente ele saltou da ponte, mas conforme Lívia vai avançando na autopsia, tudo indica que aquele é um caso de homicídio e que esse rapaz, identificado como Casey Delevan de 25 anos, morreu há um ano, no mínimo. Até aí, nada de anormal, mas os jornais divulgam a identidade do rapaz e Lívia recebe uma ligação de Jéssica, melhor amiga da sua irmã, dizendo que aquele era o cara com quem Nicole estava namorando na época em que desapareceu. Somando dois mais dois, Lívia percebe que aquele homicídio, que aconteceu na mesma época em que sua irmã desapareceu, tem uma grande ligação com o caso de Nicole.

“Os últimos três meses lhe ensinaram que cada vida merece o devido respeito da descoberta das respostas que deixaram para trás.”

71646534_430482070923800_2453522607828369408_n

Assim, Lívia começa sua própria investigação sobre esse tal Casey que ela nunca tinha ouvido falar antes mas que, de alguma forma, estava em um relacionamento com a sua irmã. Em busca da ligação dele com Nicole, Lívia começa a perceber que sua irmãzinha estava muito mudada nos meses anteriores ao seu desaparecimento e que, talvez, ela tenha se tornado alguém que Lívia não conseguiria reconhecer mais.

Em paralelo a essas descobertas de Lívia, temos a trajetória de Megan McDonald, uma sobrevivente. Megan desapareceu na mesma época de Nicole. Ambas estudavam juntas e, durante uma festa na praia para comemorar o fim do verão com os colegas da escola, elas desapareceram. Duas semanas depois, Megan foi encontrada vagando desorientada por uma rodovia, sem se lembrar de nada que tinha acontecido com ela nos últimos dias. Agora, um ano depois, ela ainda segue fazendo terapia e tentando se recordar de tudo o que aconteceu através da hipnose, mas as sequelas dos seus dias de cativeiro são gritantes. A garota prodígio da cidade, que tinha todo seu futuro na medicina planejado, agora tem que lidar com um trauma da melhor forma possível e com a fama de sobrevivente: dando entrevistas, escrevendo livro e fingindo que está tudo bem, só porque ela conseguiu escapar.

Mas a ânsia de descobrir tudo o que aconteceu é grande e ela não vai parar até conseguir lembrar de tudo, principalmente com a consciência de que ela deixou Nicole para trás. Como conseguir seguir em frente quando você sabe que outra pessoa pode estar na mesma situação na qual você estava? Um situação tão ruim que seu subconsciente te deixou com um trauma que não permite que você lembre das coisas?

“O impressionante retorno de Megan para casa e a fuga heroica eclipsaram todo o resto. Eclipsou o fato de que Nicole continuava desaparecida.”

72314965_2451380198244636_6049467329111130112_n

Então, um dia, Megan recebe uma ligação de Lívia dizendo que gostaria de se encontrar com ela. No encontro, Lívia mostra todas as provas e fala sobre suas hipóteses sobre o desaparecimento de Nicole, o sequestro de Megan e o assassinato do antigo namorado de Nicole. Juntas, elas começam uma investigação própria para descobrir o que de fato aconteceu um ano atrás e em busca do paradeiro de Nicole, esteja ela viva ou morta. O que elas não sabem é que toda essa verdade as fará conhecer um lado nada agradável das pessoas que elas mais amam na vida.

Esse livro me deixou grudada nas suas páginas do começo ao fim. A cada capítulo, eu me vi mergulhada mais e mais em todo o mistério e suspense sobre o desaparecimento das duas jovens. Charlie Donlea nos dá informações aos poucos, peça por peça e a gente vai montado todo o quebra-cabeça por conta própria, mas nunca na vida imaginaria a imagem final desse jogo. Nos últimos capítulos, quando você sabe que está prestes desvendar toda a história,  o ritmo frenético da leitura faz parecer que você está lá com as personagens, vivendo aqueles momentos com elas e prestes a ficar cara a cara com o grande vilão da história. Foi uma experiencia incrível!!!!!! Não tenho nem como explicar. Charlie Donlea se tornou meu novo escritor preferido.

71497628_429580457698305_4521602133115535360_n

A narração é em terceira pessoa e tem duas linhas temporais: passado e presente. Essas linhas são bem sinalizadas e têm a coloração da página diferente: quando estamos no passado as páginas são cinzas e quando estamos no presente as páginas são amareladas. As folhas são bem grossas e a fonte e o espaçamento são ótimas para uma leitura confortável. A diagramação é perfeita, os capítulos são bem sinalizados, assim como as linhas temporais. Eu me apaixonei pela obra que estive em minhas mãos. A Faro Editorial arrasou completamente na edição. A única coisa que me deixou triste foi que, quando estava terminando de ler, o último conjuntos de folhas do livro soltou, acho que não estava preso direito.

“Uma vida pode acabar, mas às vezes seu caso vive para sempre.”

Deixada Para Trás é um romance policial que prende nossa atenção. Impossível é largar depois de começar a leitura. Charlie Donlea nos sequestra e nos insere na história, parece que estamos investigando e descobrindo junto com os personagens. Sentimos suas emoções, seus medos, seus traumas, suas preocupações… a escrita dele fez essa mágica comigo e eu não poderia dar menos do que minhas 5 Angélicas pra essa obra incrível. Já pretendo ler outros livros do autor em breve. Alguma sugestão para o próximo?

CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

 

 

Um comentário em “Resenha: ‘Deixada Para Trás – Charlie Donlea’

  1. Uiaa…que resenha bafônica! Ouço sempre falar dos livros do autor, mas ainda não li nenhum. Eu amo romance policial e pelo o que falou da trama, eu vou amar! Achei sensacional a criatividade da editora em diagramar as páginas cinzas na parte do passado e amareladas no presente! Quero ler…ainda mais que o final é surpreendente!
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s