Resenha: ‘A Impossível Faca da Memória – Laurie Halse Anderson’

Oiii oi gente, estou de volta. Depois de algum tempo enrolada, eu voltei com o pé direito, trazendo um livro que recebemos em parceria com a Editora Valentina. A Impossível Faca da Memória foi uma leitura bem intensa, mas antes de eu falar mais, confere a sinopse…

“A adolescente Hayley Kincain e o pai, Andy, passaram cinco anos viajando de caminhão, fugindo das lembranças que os assombram.
Agora, estão de volta à cidade natal de Andy para tentar levar uma vida “normal”, mas os horrores que ele testemunhou na guerra ameaçam destruir a existência de pai e filha. De mãos e pés atados, Hayley é obrigada a vê-lo ser lentamente derrotado pela depressão, e se entregar às drogas e à bebida para calar os demônios interiores. É então que seu próprio passado vem à tona, e o presente se estilhaça… anunciando um futuro totalmente incerto.O que você deve fazer para proteger a vida de seu pai quando a morte o está rondando? Que atitude tomar quando os papéis de pai e filha se invertem? E o que acontece quando aquele garoto encantador e divertido entra no seu mundo sem pedir licença e, pela primeira vez, você se vê pensando no futuro?”

O livro começa com Hayley já de volta a sua cidade natal, depois de anos na estrada com o pai. De cara nos deparamos com ela tentando se adaptar em uma vida que ela não gosta, pra agradar seu pai, que quer que ela termine os estudos em uma escola normal. Hayley acredita que esse recomeço, por mais que não seja o que ela queria, possa ser bom para os demônios que assombram o pai desde que ele saiu do exército.

Mas como bem sabemos, não podemos fugir dos problemas, eles nos perseguem por onde vamos, e com o pai de Hayley, Andy, se negando a qualquer tipo de tratamento pós traumático e acompanhamento psicológico, fica mais e mais difícil ele conseguir lidar com tudo o que passou na guerra. Andy, a cada dia, vai se perdendo dentro de sua própria mente, machucado pelos horrores que presenciou em sua missão.

Sobra pra Hayley o peso de lidar com essa situação. Ela não dorme direito com os gritos e pesadelos do pai, se preocupando o tempo todo que ele possa se machucar. A cada dia, Andy se afunda nas drogas e na bebida, deixando-o mais e mais instável. Hayley vive pisando em ovos, com medo de que qualquer ação dela seja um gatilho para ele. Andy nunca tinha sido agressivo antes, mas eu, em vários momentos, me peguei prendendo a respiração pensando que isso poderia mudar.

“Pai, sabe isso que você sente, de querer que eu fique em segurança, de querer que eu fique viva? Pois eu me sinto assim em relação a você o tempo todo.”

Hayley não sabe mais o que fazer para ajudá-lo já que ela percebe, no decorrer dos meses, que voltar para a antiga vida deles pode não ter sido uma boa ideia. Ainda mais com a ex de seu pai, Trish, que parece estar rondando a vida deles outra vez. Hayley apagou uma parte de sua infância da memória e tudo o que temos são alguns fragmentos de lembranças, que aos poucos vão retornando. E é por esses vislumbres de memória que vamos entender quem é Trish, o motivo de Hayley a odiar tanto e de não querer ela de volta em sua vida e na vida de Andy, e também os motivos de Hayley ter se esquecido de muitos detalhes de sua vida, afinal não é só Andy que foge das suas lembranças.

No meio dessa turbulência, Hayley vai conhecer Finn, colega de Gracie – amiga de Hayley desde a infância, antes de ela ter ido embora da cidade. Finn vai entrar na vida de Hayley bem de repente e se fixar ali. Tudo começa com Finn querendo que ela escreva para o jornal da escola, mas vai nascer aí uma amizade bem única e especial, que vai florescendo aos poucos e se tornando algo lindo. Gracie também é de grande importância para que Hayley saia da bolha na qual ela se fechou nos anos na estrada, só ela e o pai, e de tudo o que ela passou e passa com ele. Se não fosse por Gracie e Finn, Hayley com certeza seria como um zumbi apenas existindo e cuidando do pai.

“Estava com os fones de ouvido, mas sem música. Precisava ouvir o mundo, mas não queria que o mundo soubesse que eu estava prestando atenção.”

A Impossível Faca da Memória é uma história incrível, que trata de um tema tão importante, a depressão, de uma forma profunda e muito tocante. É impossível não querer ajudar a Hayley a lidar com tudo o que acontece. Claro que eu também quis que Andy conseguisse superar seu trauma. No decorrer do livro temos alguns flashbacks com um pouco do que aconteceu com ele na guerra e podemos perceber como foi desesperador e doloroso para ele.

Hayley tenta ser forte e destemida, mas ela é apenas uma adolescente que tem que lidar com um peso muito grande desde muito cedo. Ela precisa cuidar e se preocupar com o pai o tempo todo e deveria ser o contrário. Eu quis segurar sua mão muitas vezes e dizer que tudo ficaria bem e que ela poderia confiar nas pessoas que estavam a sua volta para não ter que lidar com tudo sozinha. Finn será essencial para Hayley em vários momentos e a construção desse relacionamento é muito bonito de acompanhar.

“Coloquei a mão na sua nuca, puxei-o para mim e o beijei até toda a dor no coração se derreter num lago de águas tão negras e abissais que era impossível alcançar o fundo. Mas, desde que minhas mãos o sentissem, eu não me afogaria.”

A diagramação segue o padrão dos livros da Valentina, com fonte e tamanho ótimos para uma leitura confortável, além das páginas amareladas. O livro é contado em primeira pessoa pela Hayley, com os pequenos trechos, que eu citei anteriormente, de memórias de Andy na guerra. São breves, mas intensos. Laurie é uma autora super premiada e fica claro em sua escrita que é super merecido esse reconhecimento. Construiu uma trama com humor e sensibilidade, em uma leitura fluida, mesmo tratando de assuntos tão difíceis. Eu nunca tinha lido nada dela antes, mas vou tratar de mudar isso.

Esse é mais um livro da Valentina que não me decepcionou e que eu aprendi muito. É explorado a dor e marcas que a guerra pode deixar em uma pessoa e como cada soldado trabalha com isso, de um jeito emocionante. E como isso afeta as pessoas ao redor, nesse caso, a vida de uma filha. Até onde essa filha pode ir para tentar salvar o pai? Vemos o quanto um amizade verdadeira pode ser um grande pilar para manter a sanidade e como o amor pode salvar uma alma e mantê-la inteira, mesmo quando tudo ao redor parece desabar.

Eu indico essa leitura por tudo o que ela representa. Essa relação de pai e filha que é retratado, é tão crua e sem floreios, mostrando os problemas reais, de modo claro e verdadeiro, que é possível sentir o amor de pai e filha como se fosse nosso. Ao mesmo tempo temos aquele romance apaixonante que te dá um quentinho no coração e esperança de um final feliz. Cinco Angélicas mais que garantidas para A Impossível Faca da Memória. Até a próxima.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s