A Hora do Chá: ‘Uma Herdeira Apaixonada – Lisa Kleypas’

Oi gente!! Voltamos com a nova temporada da coluna A Hora do Chá e voltamos em alto estilo com Lisa Kleypas. A resenha de hoje é do último lançamento da série Os Ravenels, Uma Herdeira Apaixonada. Eu li ano passado, mas não deu tempo de incluir na coluna, então estamos aqui para falar do mocinho que tem roubado meu coração desde o primeiro livro da série. Ok, talvez não no primeiro livro, mas ao longo da série, eu fiquei esperando ansiosamente pelo livro dele. Leiam a sinopse e depois vamos falar de West Ravenel…

“Embora a bela jovem viúva Phoebe, Lady Clare, nunca tenha conhecido West Ravenel, ela sabe uma coisa com certeza: ele é mau e um valentão podre. Quando estava no colégio interno, ele fez da vida de seu falecido marido uma desgraça, e ela nunca o perdoará por isso. Mas quando Phoebe participa de um casamento de família, encontra um estranho arrojado e impossivelmente charmoso, que a abala com um choque de atração de fogo e gelo. E então ele se apresenta … como ninguém menos que West Ravenel. West é um homem com um passado manchado. Sem perdão, sem desculpas. No entanto, a partir do momento em que conhece Phoebe, West é consumido por um desejo irresistível … sem mencionar a amarga consciência de que uma mulher como ela está fora de seu alcance. O que West não negocia é que Phoebe não é uma dama aristocrática. Ela é filha de uma Wallflower obstinada que há muito tempo fugiu com Sebastian, lorde St. Vincent – o libertino mais diabolicamente perverso da Inglaterra. Em pouco tempo, Phoebe começa a seduzir o homem que despertou sua natureza ardente e demonstrou um prazer inimaginável. Sua paixão avassaladora será suficiente para superar os obstáculos do passado? Só a filha do diabo sabe …A autora de best-sellers do New York Times, Lisa Kleypas, conta uma história brilhante de uma linda e jovem viúva que encontra paixão pelo homem que ela não deveria.”

Desde que seu irmão Devon assumiu o título de lorde Trenear, que West Ravenel começou a mudar. Antes, tanto ele quanto o irmão, se entregavam a vida de devassidão e bebedeira, mas precisaram mudar esses hábitos para não perderem uma herança que nem sonhavam em receber. Devon é o herdeiro, mas logo que ele assume o título, West mostra seus dons para administrar o Priorado Eversby. Ele se tornou um homem do campo, um ótimo administrador e conhecedor de técnicas agrícolas. Ao lado do irmão, eles não só tiraram a família da falência, como recuperaram a fortuna da família, ao ponto de poder apresentar suas primas na sociedade.

Somente por elas terem sido apresentadas à sociedade é que Pandora Ravenel conheceu Gabriel, lorde St. Vincent, e se casou com ele. Daí temos a família Challon chegando nessa série a partir do terceiro livro, Um Acordo Pecaminoso, mas os patriarcas da família são velhos conhecidos dos fãs da autora, já que são do livro Pecados no Inverno. Com o casamento de Pandora com Gabriel, as famílias foram apresentadas e assim Phoebe, lady Clare, finalmente conhecerá o famoso West, o homem que atormentou seu falecido marido, Henry, quando ambos eram crianças e que ela passou a odiar. Só que seu primeiro contato com o malvado West não foi nada ruim e Phoebe se sente mal por ter tido uma boa impressão sobre ele.

“Henry, pensou ela, com tristeza, nosso inimigo está se mostrando terrivelmente difícil de odiar.”

West ainda continua o canalha que ela suspeitava, mas a vida de depravação está longe de ser vista. É óbvio que ele nunca deixa de provocá-la, mas ela está conhecendo um homem diferente do descrito por Henry. Ele está disposto a ajudá-la a entender como funciona a administração da propriedade da família e assim Phoebe não precisará de nenhum homem para responder por ela. Sem contar que West tem muita paciência e carinho com seus filhos. Ela nunca pensou que acharia divertido discutir com aquele homem sobre novas técnicas agrícolas, mas com West tudo parece mais fácil e leve.

Ambos se sentem atraídos um pelo outro, mas Phoebe tem suas ressalvas quanto à West e acredita que o melhor seria casar com o primo de Henry. Só que Sebastian, seu pai, tem outros planos. Ele acredita que ninguém seria melhor para criar seus netos e trazer paixão para vida de Phoebe do que West e ele, basicamente se sente o casamenteiro, sempre ressaltando suas qualidades como administrador e de como poderia ser um bom marido e pai. É obvio que Phoebe não vai receber essa ideia tão facilmente, pois, por mais tenha se interessado pelo homem que West se tornou, no fundo, ela ainda se lembra do homem que ele já foi.

“Você não é perfeito – nós dois concordamos com isso. Mas eu vi e ouvi o suficiente para ter certeza de que você fornecerá o tipo de companhia que minha filha quer e precisa.”

Mesmo sabendo que seu passado de devassidão ficou para trás, West ainda não se acha bom o suficiente para Phoebe. Ele sabe que nada que fizer pela propriedade ou que conquiste o respeito dos fazendeiros, apagará sua fama de devasso, canalha e beberão e por isso não pode sonhar com mulheres como Phoebe, a filha de um duque e mãe de um futuro lorde. Ele seria uma má influência para os filhos pequenos dela e futuramente para os seus próprios filhos. E o que ele poderia oferecer a ela? Só que durante as celebrações do casamento de Pandora e Gabriel, West não consegue deixar de pensar que poderia seduzi-lá.

Como eu amo essa série. Os Ravenels conquistaram meu coração desde o primeiro livro e cada um deles vai nos cativando de tal maneira, que não conseguimos ler o livro devagar. Eu não queria ter lido tão rapidamente, mas com essa série sempre será assim. Lisa tem uma maneira muita fluida de nos apresentar os personagens, além de trazer diversão para quem está lendo. A série toda é recheada de diálogos divertidos entre os personagens e de uma família que vai se construindo e crescendo a cada novo livro. A trama desse livro e da maioria da série se passa num cenário mais rural, pois começamos na propriedade dos Ravenels e depois temos uma parte da história na casa de Phoebe, mas isso não perde em nada para as histórias marradas nos grandes salões de baile.

Eu sempre vou ressaltar que o melhor, tanto em Uma Herdeira Apaixonada quanto em todos os outros livros da série, são os personagens. Aqui pudemos conhecer um pouco mais de Phoebe, que só tinha aparecido brevemente no terceiro livro da série. Conhecemos a mulher que ela sempre foi e aquela que foi surgindo com a presença de West. Ela sempre foi uma mulher calma e que não pensou duas vezes quando decidiu se casar com seu melhor amigo de infância, mesmo que Henry sempre tivesse sido frágil e doente. Ela se casou por amor e com ele teve seus dois filhos, mas Henry acabou falecendo ainda muito jovem. Agora que está viúva, ela precisa ser forte e independente para criar seus filhos e administrar as propriedades.

West é aquele mocinho clichê que teve um passado horrível, mas além de ter mudado, ele luta para se perdoar pelo caminho de más escolhas que trilhou até ali. Ele cresceu muito dentro da série e com sua gentileza e bom humor é impossível não se apaixonar por ele assim como aconteceu com Phoebe. West se encanta por ela logo de cara e vê em Phoebe, uma mulher teimosa, mas que não tem medo de pedir ajuda. Ele a incentiva na busca por sua independência já que desde que Henry faleceu, toda a herança ficou nas mãos do primo dele e, digamos apenas, que ele tem pensamentos arcaicos sobre administração e principalmente sobre Phoebe querer administrar seus bens. Logo ela vai conquistando sua força e independência e tudo graças a confiança que depositou em West e ele só se apaixonou mais ainda por quem ela foi se tornando. Achei incrível quando ela finalmente resolveu lutar por ele, já que fica muito claro que a decisão sempre esteve nas mãos dela.

“- Se o herói não apareceu, talvez você tenha que se contentar com o vilão.
– Se foi o vilão que apareceu, então ele é o herói.”

Uma Herdeira Apaixonada é o quinto livro da série Os Ravenels e que vem sendo publicada pela Editora Arqueiro. As edições seguem uma padronização, o que ficam super bonitas lado a lado na estante. A diagramação é bem simples, mas não encontrei erros no texto e a fonte e espaçamento são confortáveis para leitura. As páginas tem aquela cor amarelada, que eu amo. Essa capa não é a minha preferida, mas segue o estilo das demais capas. A narrativa é em terceira pessoa, como a maioria dos romances de época.

Uma Herdeira Apaixonada nos proporcionou mais um crossover entre as séries da Lisa Kleypas e o meu amor pelo trabalho da autora só aumentou. Mais uma história divertida e que reuniu todos os meus amados personagens. Essa série só vai melhorando a cada novo livro, mas eu nunca vou superar não ter tido um epilogo. Lisa, cadê o epilogo? Achei bem ruim a forma abrupta que o livro terminou. Enfim, epilogo à parte, eu amei esse livro. São dois opostos, mas que combinam muito. Ambos tinham partes que o outro precisava e assim com certeza se tornarão um casal maravilhoso. Deixo minhas 5 Angélicas e já estou aqui eufórica pelo próximo livro que será sobre a Cassandra, gêmea da Pandora, com Tom Severin. Já quero!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s