Resenha ‘O Verão que Mudou Minha Vida – Jenny Han’

Oi ooooi gente! Hoje vou começar a apresentar para vocês a trilogia Verão, da autora Jenny Han. Como vai funcionar essas resenhas? Aproveitando que estamos na dita estação do ano, na maior pegada de calor, a cada mês vou trazer a resenha de um dos livros. Então, vamos começar e entender sobre como a vida da Belly começou a mudar. Mas, antes de qualquer coisa, fiquem com a sinopse…

A vida de Isabel Conklin é marcada pelas férias de verão. As outras estações do ano são como um intervalo, dias que passam lentamente enquanto ela espera que o sol lhe traga de volta o que mais ama: o mar, descanso, diversão e, principalmente, Conrad e Jeremiah Fisher. Os garotos da família Fisher sempre estiveram ao lado de Belly em suas aventuras. Conrad é ousado, sombrio, inteligente. Já Jeremiah, é confiável, engraçado, espontâneo. Mesmo sendo tão diferentes, os três constroem uma amizade que parece inabalável. Apenas parece. Tudo muda quando, em uma dessas férias, Conrad demonstra sentir algo por ela. O problema é que Jeremiah faz o mesmo. À medida que os anos passam, Belly sabe que precisará escolher entre os dois e encarar o inevitável: ela vai partir o coração de um deles. Na trilogia Verão, acompanhamos Belly dos 15 aos 24 anos. Em meio a descobertas e mudanças, ela se apaixona, se envolve em um triângulo amoroso, entra na universidade e descobre que amadurecer também significa tomar decisões difíceis. Primeiros romances jovens de Jenny Han, os três livros são agora relançados pela Intrínseca, com novas capas e traduções inéditas.

Belly Conklin tem uma certeza na sua vida: que suas férias de verão serão passadas junto de sua mãe, seu irmão, Susannah e seus filhos: Conrad e Jeremiah, na casa de praia. Essa viagem acontece desde que as mães eram jovens e foi mantida essa tradição, mesmo depois que elas casaram e tiveram seus filhos. 

695

Vamos ver momentos de verões passados, quando eles eram mais novos, mas o foco é o verão atual, onde tudo vai mudar. Até mesmo as percepções das coisas. A primeira grande mudança é que Steve, seu irmão, não passará o verão todo na praia. Ele vai encontrar com o pai para poder começar a visitar as faculdades. Conrad está mais estranho do que nunca, com seus comportamentos incompreensíveis e até mesmo rebeldes. Só Jeremiah ainda é o melhor amigo que Belly pode ter, mas também tem seus sutis toques de mudança.

E contava os dias para o verão começar. Para mim, era quase como se o inverno nem existisse; só o verão realmente importava. Minha vida era contada em verões. Como se eu não vivesse de verdade até junho, até estar naquela praia, naquela casa.

Depois de anos vendo o trio de meninos curtindo todos os programas de verão, sendo deixada para trás, chegou a hora dela começar a aproveitar as coisas também. Vai ser numa festa da fogueira, que ela encontra Sam. E, com ele, vai viver novas aventuras durante suas férias. Mas, também vai lidar com as implicâncias que os irmãos Fisher vão proporcionar. 

Só que, entre descobrir como lidar com três meninos na sua vida, suas aventuras e lembranças da estação mais quente do ano, ela também vai receber notícias que serão um baque e, aí sim, mudarão mesmo sua vida. Além de mexer com todos os seus sentimentos possíveis. Afinal, além de aprender a lidar com relações amorosos, Belly vai enfrentar a possível perda de uma das pessoas mais importantes de toda sua criação. E isso vai afetar não só a ela, mas a todos ao seu redor.

Foi um verão realmente inesquecível. Foi o verão que mudou minha vida. Porque, pela primeira vez, eu me senti linda. A cada ano, eu sempre achava que o verão seria diferente, que minha vida ia mudar. Naquele, ela finalmente mudou. Porque eu mudei.

Eu não quero me prolongar sobre a trama, porque o livro é bem curtinho, então, vamos aos comentários gerais. Eu gostei da Belly. Ela é uma adolescente, apaixonada por um cara idiota (quem nunca, não é mesmo?!), mas com um mundo de descobertas prontas para aparecerem. Ela passa por algumas imaturidades, normais da idade, só que o conjunto é bem satisfatório e eu me senti como uma amiga mais velha, pronta para dar apoio para a mais nova, que está aprendendo as lições da vida.

696

Jeremiah é adorável. Sem dúvida, é o meu outro personagem querido na trilogia. Ele se tornou cúmplice da menina, quando eram mais novos e ele segue sendo o melhor amigo dela. Mas, os interesses dele por ela são maiores e, agora, ele está disposto a revelar eles e ver o que pode conquistar. Mas, ele tem um grande concorrente, que vem a ser o seu irmão. 

Conrad é o mais velho dos irmãos Fisher, além de ser o primeiro amor de Belly. E ainda não superado. O problema é que ele não é agradável, tem comportamentos bizarros. Tanto com a menina, quanto em relação a família. Tentei achar um ponto positivo nele e foram algumas atitudes, em que ele defendia ela, quando mais nova. Mas, no geral, não é aquele mocinho que me conquistou.

De repente me ocorreu que eu precisava dar tudo de mim naquele verão, precisava que valesse a pena, para o caso de não haver outro. Eu ia fazer dezesseis anos, também estava ficando velha. As coisas não podiam continuar as mesma para sempre.

Temos outros personagens, como Steve, que conhecemos pouco, mas tem aquela pegada irmão mais velho, que apronta com a mais nova. A mãe da Belly, Laurel, e Susannah são aquelas mães que eu gostaria de ter na minha vida. É lindo ver o amor delas pelos próprios filhos e pelos filhos uma da outra. É de dar uma aquecida no coração, a amizade da vida toda entre elas.

No geral, a história é gostosinha. Um livro para ler durante a tarde, que tem aqueles toques de drama adolescente, além de dramas da vida mesmo. Mas, nada que seja extremamente marcante. Principalmente, se formos pensar na outra série de romances adolescente, escrita pela Jenny. Só que, é inegável como a escrita da autora é leve, fluída e que nos envolve naqueles fatos que ela nos apresenta. Com uma escrita em primeira pessoa, narrada pela Belly, nós vamos acompanhar os pensamentos dessa doce menina. 

697

Essa versão que eu trouxe para vocês, é a que foi relançada pela Editora Intrínseca. Antes, os direitos de publicação pertenciam ao Grupo Editorial Record e tinha outra pegada de capa. Mas, é inegável como o trabalho da Intrínseca dá de 10 a 0. A capa é linda, com elementos de praia, cores pastéis fofas e com a textura de areia no título. Acho que isso deu todo um toque todo especial. As folhas são amareladas, com letras e espaçamento bons para a leitura.

Fiquei deitada na cama, pensando que os romances de verão realmente começam e acabam rápido demais.

O Verão que Mudou Minha Vida é o pontapé dessa trilogia, onde poderemos acompanhar a protagonista envelhecendo, amadurecendo e tomando as decisões de sua vida. Mas, apesar de ter gostado da trama, achado ela até mesmo gostosinha, não posso dar mais que três Angélicas. Não entendam mal, a história é boa, eu indicaria para quem quer algo leve e rápido e no clima do Verão, só não é algo espetacular. Agora, vejo vocês em Fevereiro, com a segunda parte.

CLASSIFICAÇÃO 3ANGÉLICAS

 

7 comentários em “Resenha ‘O Verão que Mudou Minha Vida – Jenny Han’

  1. olá Raíssa, tudo bem?
    A história parece se levinha, mas é uma trilogia que não senti vontade de ler, assim como os outros livro da autora. Achei legal os pontos que você levantou sobre os personagens, acredito que Corand também não me agradaria, mas Jeremiah parece ser o tipo que me conquistaria. Acho que Belly vai aprender com o tempo, é um momento delicado essa fase.
    Abraços

    Curtir

  2. Ei Raíssa, tudo bem?
    Antes de falar sobre o livro, gostaria apenas de divulgar uma lista de coisas boas que sempre encontro por aqui:
    1- Nunca li uma resenha ruim;
    2- As fotos sempre são lindas;
    3- As escritoras são muito fofas;
    4- Vcs possuem seu próprio broche;
    5- A menininha lendo livro é uma gracinha.
    Enfim, resolvi falar isso pq, vc sabe, em tempo de quarentena ficamos mais carentes 😛
    Quanto a resenha, achei q parece um livro daqueles que vc vai lendo e pensando: “já vi isso antes… e vou esquecer dele daqui a pouco”.
    Mas, na boa, talvez seja oq estemos precisando hj em dia 🙂

    Curtir

  3. Olá!
    Até inspira ler na praia, né?! Aquela brisa do mar à tardinha… Maravilha! Mas devido ao cenário atual, vamos de varanda ou jardim de casa mesmo rs.
    Leituras leves são boas para distrair a mente em tardes de sol.
    Abraços!

    Curtir

  4. Ao contrário de você, achei se livro ruim. Esperava bastante dele, por conta da Lara Jean hahahah
    Mas achei a Belle chatinha, sem personalidade.
    O que me prendeu mesmo no livor é a relação das mães e tal, eu quero saber exatamente o que acontece de fato, ficou muito superficial.
    To até com medo de ler o seguindo

    Curtir

  5. Esse livro está na minha lista da vida, quero muito conhecer essa nova trilogia da Jenny, gostei muito da anterior e sinto que irei gostar muito desta também!
    Amei a resenha ♥

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s