A Hora do Chá: ‘Um Romance de Inverno – Jess Michaels’

Oi gente!! Depois de semanas longe do blog, por motivos de saúde, eu estou de volta e aqui na minha amada coluna de romance de época. Hoje eu vou falar de Um Romance de Inverno, da autora Jess Michaels e publicado pela nossa parceira Cherish Books Br. Sabe aquele livro que você mal começou a ler e já tá amando e quando se dá conta já terminou? Estamos falando exatamente dessa história. Ficaram interessados? Confiram a sinopse e já conto porque gostei tanto dele…

“A viúva Rosalind Wilde, está a caminho do casamento da sua amada irmã, quando uma tempestade inesperada a leva a uma pousada superlotada. Lá, ela conhece um estranho tentador que a leva a uma noite de paixão inesquecível. Grayson Danford nunca esperava uma noite com a irresistível Sra. Wilde, mas ela era uma distração bem-vinda do desagradável dever de acabar com as núpcias iminentes de seu irmão. Ele fica chocado quando descobre que sua amante apaixonada não é outra senão a irmã da noiva de seu irmão. Agora Rosalind e Gray estão em guerra, mesmo que o desejo que sentem um pelo outro ameace transbordar. Quem ganhará essa batalha? E quem pode perder tudo?”

Rosalind Wilde ficou viúva ainda muito jovem e acabou tendo que voltar a viver as custas de seu cruel avô, pois se casou por amor e não por um título e riqueza. Ela está a caminho do casamento de sua irmã, Celia, quando precisa parar devido à uma tempestade. Só tem uma estalagem descente por perto e aparentemente está lotada. Sem ter outra opção, ela decide pernoitar e seguir viagem ao amanhecer. Seu avó não ficará nada contente de estar aumentando o valor da viagem, mas o que Rosalind poderia fazer diante de uma verdadeira nevasca?

IMG_20200528_145310 (1)

Felizmente ela consegue um quarto, mas não tem a mesma sorte na hora de encontrar um lugar no salão para jantar. Rosalind é convidada por um estranho para se sentar e fazer sua refeição na mesa dele. Os dois conversam, bebem e comem juntos e a cada minuto se sentem mais atraídos um pelo o outro. Ela se apresenta como Sra. Wilde e ele como Gray, o que Rosalind deduz ser seu sobrenome e passa a chamá-lo de Sr. Gray. Ele é bonito, gentil, misterioso e está encantado pela beleza dela. O destino resolveu dar uma mãozinha unindo os dois naquela noite, então porque não aproveitar, certo? 

Os dois se entregam à uma noite de prazer, sem julgamentos ou promessas. E ainda estão protegidos pelo anonimato e pelo fato de que nunca mais se verão novamente, então eles se entregam ao desejo que estavam sentindo desde o início da noite. Quando o dia chega, cada um segue seu caminho com a única promessa de que essa noite será apenas deles e de mais ninguém. Rosalind apesar ser viúva, nunca soube o que era ser desejada por um homem e mesmo sabendo que nunca mais verá Gray, ela não se sente culpada por ter se permitido viver está noite com ele.  

“Eu quis você desde o primeiro momento em que entrou na estalagem. Desejo é algo que tentei reprimir por um longo tempo. Mas agora nós dois temos finalmente o que precisamos.”

Quando ela finalmente chega na casa da família do noivo de Celia, está cansada, porém feliz pela experiência que teve. Essa felicidade acaba no momento em que é apresenta ao irmão do Conde de Stenfax, único membro da família que não conhecia ainda, o Sr. Grayson Danford. Ambos ficam chocados ao perceber que terão que conviver durante aquele fim de semana sem demonstrar que já se conheciam anteriormente. Sem contar que Gray já deixou bem claro sua antipatia por Célia e que poderia fazer qualquer coisa para evitar o casamento dela com seu irmão. 

Gray é um homem que conseguiu se estabelecer sem o dinheiro da família, até porque o condado está falido e, como segundo filho, precisou criar uma fonte de renda e se deu muito bem nos negócios. Já na vida pessoal, Gray é um solteirão que não acredita no amor e que evita até mesmo relações sexuais sem compromisso. É por esse motivo que não entende o por quê de estar tão atraído por Rosalind, mas agora ele sabe que ela é irmã do inimigo e pode usar isso a seu favor. No amor e na guerra vale tudo, não é mesmo?

Já Rosalind não sabe como fingir que não conhece Gray, que não sente nada por ele e ainda por cima apoiar o casamento da irmã. O casamento não passa de um arranjo financeiro do avô e como ela já fez Celia sofrer demais por ter partido e se casado sem aprovação dele, agora Rosalind quer fazer o certo pela irmã, mas dói o coração saber que Celia poderá nunca sentir o que é ser desejada por um homem. Então quando descobre que Gray quer sabotar o casamento, ela tenta usar a única ligação deles à favor dela e se tiver que travar uma guerra com aquele homem impulsivo, Rosalind está pronta para isso. Quem será que vai ganhar nessa batalha de interesse? 

“Ela não podia tê-lo porque ele poderia usar essa rendição contra ela. Porque esse desejo que ele inspirava era agora uma ferramenta para ele, a ser usada contra ela.”

Vocês já perceberam que estamos falando de um romance que envolve muito mais que desejo, mas seus vínculos familiares, né? Rosalind e Gray se encontraram durante uma tempestade que parecia destinada a acontecer para que eles se conhecem sem saber que seus irmãos estavam envolvidos e assim puderam se entregar ao outro sem nenhum tipo de julgamento ou culpa. Só que a partir do momento que eles souberam quem eles eram, essa relação passou para outro nível. Cada um deles tentou se enganar de que aquilo era somente físico e que poderia ser usado como moeda de troca, mas logo descobriram que significava mais.

Rosalind e Celia viveram sob as garras de um avô abusivo e manipulador, então quando apareceu a primeira demonstração de carinho, ela acreditou que poderia ser amada e fugiu para se casar. Não demorou muito para perceber que seu marido só queria as influências e o dote que viria com ela. Seu avô negou tudo isso, como punição por se casar com qualquer um, então o marido deixou de ser carinhoso e Rosalind ficou viúva pouco tempo depois. Com o passar do tempo, ela nunca mais se permitiu a acreditar que teria uma nova chance no amor, mas isso foi até conhecer Gray.

Gray viu seu irmão sofrer por amor e apesar de ser o mais novo, ele se sente muito protetor com relação à Lucien. O condado está falido e Gray entende que um bom casamento salvaria as finanças da família, mas ele trabalhou muito, se tornou milionário, pode pagar todas as contas e assim Lucien não precisaria se casar com Celia. Porém, Lucien não quer que seu irmão mais novo salve a família e por orgulho de aceitar ajuda entrará num relacionamento sem amor ou expectativas. Gray não aceita isso e vai tentar sabotar o casamento mostrando que Celia é uma interesseira. 

“Mas você não sabe até que ponto estou disposto a ir para impedir que meu irmão comenta o maior erro de sua vida. Eu vou impedir esse casamento. E nem mesmo o seus truques consideráveis ficarão no meu caminho.” 

Um Romance de Inverno é o primeiro livro da série Estações e durante a minha pesquisa, eu fiquei chocada de saber que a Jess Michaels já tinha outro livro publicado no Brasil. Eu fiquei completamente apaixonada pela escrita dela e li esse romance em duas noites. Eu fui devorando porque queria saber até onde os dois iriam em lealdade aos irmãos. Eles erram muito tentando se meter nas decisões dos irmãos, mas a gente vai perdoando ao perceber que estão apenas querendo protegê-los de sofrer. Em vários momentos, colocaram a felicidade de Celia e Lucien em cima da deles e por isso levaram tanto tempo para perceberem o quanto precisavam um do outro. 

A Cherish arrasou em trazer em publicar esse livro e trabalharam pra fazer um edição incrível. Um capa linda e uma diagramação elegante e delicada. A cada início de capítulo tem um detalhe lindo, é confortável para leitura e não encontrei erros. Infelizmente esse livro incrível está disponível apenas em ebook. A escrita da Jess é fluída e eu amei o destaque que ela deu aos personagens secundários. Fiz uma pesquisa rápida e a série toda já foi publicada lá nos EUA, então fiquei feliz por saber que o casal de noivos, Celia e Lucien, terão sua história contada nos próximos livros. 

IMG_20200528_144017

“Eu te amo, Rosalind Wilde. Eu posso ter tentado não amar, mas eu a amo.”

Um Romance de Inverno tem todos os elementos para fazer dele um ótimo romance de época. Temos uma história sensual e instigante. Ficamos ansiosos por cada capítulo e é legal traçar um paralelo entre as duas histórias, enquanto os noivos deveriam estar eufóricos com o casamento iminente, vemos que é uma relação comercial e sem emoção. Já Gray e Rosalind são uma explosão de sentimentos mesmo que levem um tempo para aceitá-los. Enfim, estamos falando de uma história leve, que pode ser taxada como clichê, mas eu amei do início ao fim, apesar de achar que foi um pouco corrido no final. Ainda sim, deixo minhas 5 Angélicas.  

CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s