A Hora do Chá ‘Dez Coisas que eu Amo em Você – Julia Quinn’

Oi ooooi gente! Hoje a nossa amada coluna vem com uma resenha do lançamento de uma das maiores autoras de Romance de Época. Sim, estou falando de Julia Quinn e o seu mais novo livro, Dez coisas que eu amo em você. Ele vem parar encerrar a Trilogia Bevelstoke. Curiosamente, nenhum dos protagonistas é um Bevelstoke de sangue, mas Sebastian é um personagem que conquistou fãs no livro de Olivia. Antes de falar mais alguma coisa, vamos a sinopse.

Annabel Winslow está em uma grande enrascada. Ela acabou de chegar a Londres para participar de sua primeira temporada e já chamou a atenção do conde de Newbury, que está atrás de uma mulher que lhe garanta um herdeiro.
Com seus quadris largos, Annabel parece especialmente fértil, o que faz dela a candidata ideal. O problema é que o conde tem no mínimo 75 anos e ainda por cima é um grosseirão inveterado.
Certamente ela não tem nenhuma vontade de se casar com ele, mas sente que não tem escolha. Seu pai morreu há pouco tempo e deixou a família inteira, incluindo os sete irmãos e a mãe de Annabel, praticamente na miséria.
Então, durante uma festa, ela conhece Sebastian Grey, o charmoso sobrinho do conde. E de repente se vê cortejada não apenas pelo velho assanhado, mas também pelo irresistível e misterioso jovem.
Agora ela precisa decidir entre se casar com um homem que acha repugnante, e com isso garantir o futuro de sua família, e seguir o próprio coração, dando a si mesma a chance de um final feliz.

Sebastian Grey é primo de Harry Valentine – o mocinho de O que Acontece em Londres -, que também serviu ao exército e viu os horrores da Guerra, ainda mais ocupando um posto importante como o de franco atirador. Esse fato acabou criando uma certa consequência em Seb, que adquiriu uma dificuldade em dormir. E, por ter essa falta de sono, acabou de desenvolvendo uma coisa muito incrível e que irá mudar alguns pontos em sua vida. O que seria isso? Bem, faço questão que vocês leiam para descobrir.

O homem é considerado um libertino vagabundo, que não tem título, a não ser o de conquistador. Mas, tudo pode estar para mudar, já que ele acaba se tornando um herdeiro presuntivo do Conde de Newbury, que perdeu seu filho. Mas, o tio realmente odeia o sobrinho e não quer seu título e sua fortuna indo para as mãos dele, então começa a caça de uma nova e fértil candidata a condessa.

– Uma dama com inteligência e bom julgamento – disse ele. – Meu tipo preferido.

Annabel Winslow é neta de um lorde. Um que ainda não perdoou a filha por se casar com um pobretão sem título. Mas, lady Vickers convence o marido a trazer a neta mais velha para uma temporada em Londres e, com todos os seus atributos e histórico de irmãos e tios, ela se torna a candidata perfeita a condessa de Newbury. Mesmo que ele seja muito mais velho que a menina e a trate como um pedaço de carne, assediando a jovem em vários momentos.

31

Será fugindo do seu possível futuro marido que Annabel cruzará o caminho de Sebastian, em um canto escuro do jardim. A atração entre os dois é instantânea, ainda que o homem perceba a inocência que cerca a jovem. Um beijo é trocado, mas quando ele diz seu nome, ela acaba fugindo. Ela sabe muito bem quem é o Sr. Grey e o que está arriscando em ficar na companhia dele. O que vai dar ainda mais burburinho depois de uma ida a ópera, que acaba afastando a corte que o conde anda fazendo a jovem.

Não era a primeira vez que ele se sentia extraordinariamente feliz por não ter nascido mulher, mas era a primeira vez que ele tinha diante de si uma prova tão clara de que os homens realmente levavam uma vida mais fácil.

Claramente, uma fofoca enorme começa a correr por toda Londres e, nossa querida e já conhecida Olivia, que já se tornou amiga de Annabel, através de Louisa, prima da jovem, avisa que Sebastian precisa ajudá-la e demonstrar interesse em fazer a corte. O que era só para ajudar para que Anna não se tornasse uma pária, serve para que o libertino acabe conhecendo e até mesmo se encantando pela jovem. O que resta saber é se esse sentimento que nasce, será o suficiente para que a bela moça deixe de lado um casamento que daria ajuda financeira a sua família, que é tudo o que ela pensa.

Parando de falar sobre a história que, acreditem em mim, ainda omiti muitas coisas e uma senhora revelação sobre algo que ronda o Juliaverso, quero falar sobre os personagens. Annabel é uma mocinha que, ao mesmo tempo que  passa uma super força, ao estar disposta a sacrificar a própria felicidade em prol do bem dos irmãos, também passa uma fragilidade, que nos dá vontade de proteger. Eu gostei demais dela, da doçura que tem, do seu jeito curioso, da esperteza.

Seus lábios se franziram de um jeito adorável, e Seb se viu ponderando todas as maneiras de aquele beicinho ganhar um formato um pouco mais sedutor. Ou seduzível.

Já Sebastian, já tinha me ganhado no livro anterior, com a grande cena de interpretação que ele fez. Me fez rir demais. E foi muito bom poder conhecê-lo melhor também. Seu jeito encantador e charmoso é ainda mais latente, mas ele tem um outro lado, mais escondido, que nos deixa ainda mais apaixonada por ele. Seb realmente se controla e leve a vida de forma leve, mas quando se irrita, é melhor nem cutucar muito. Seu jeito irônico e debochado é outra coisa que nos conquista.

35

Sobre os secundários, vou começar falando do meu casal amorzinho, Olivia e Harry, que estão super presentes. Harry um pouco menos, mas sempre com seu lado engraçado, junto com a esposa. Não tem como não amar esses dois. Já Olivia… a amizade que ela tem com Seb é algo que eu não esperava, que eu não sabia que precisava tanto. Amei, achei muito lindo mesmo. E o jeito que ela se torna protetora com Annabel também. Temos Louisa, prima de Anna, que também nos ganha com seu jeito doce, mas decidido e que quer proteger a prima de um casamento sem amor. Lady Vickers tem seus momentos hilários e um jeito muito doido de mostrar seu amor pela neta. Sobre o conde Newbury, só nojo.

Preciso falar de Edward também, que vem a ser irmão de Harry e primo de Sebastian. No livro anterior, ele já tinha me chamado atenção, mas, agora temos um pouco mais dele e de modo descontraído. Me dá um pouco de tristeza pensar que é apenas Trilogia Bevelstoke, porque, junto com o Winston – irmão de Olivia -, ele é o outro injustiçado sem história. Miranda e Turner, do primeiro livro, não aparecem nesse.

– Posso ser a única mulher em Londres que não se apaixonou por você – anunciou Olivia, apontando o dedo para Sebastian -, mas isso não significa que não sei quão charmoso você é capaz de ser.
– Ora, Olivia – disse ele -, que adoráveis elogios.

A escrita da Julia, depois de tantos livros, já não é mais novidade para mim. Mas, não tem como não dizer o quanto ela escreve de forma bem leve e bem fluida. As páginas passam que a gente nem sente. Nesse, ela também manteve a pegada mais engraçada, como foi o segundo, ainda que também tenha adicionado um pouco um lado mais pesado também. Os personagens foram apresentados daquele modo cativante, que não nos deixa outra opção, além da de nos apaixonar por eles. Temos a sua narrativa em terceira pessoa, já tão clássica e conhecida. Aaaah, falei que vamos – finalmente – saber quem é Sarah Goraley, a autora de Srta. Butterworth e o Barão Louco?! Pois vamos.

33

Sobre a diagramação, a Editora Arqueiro trouxe uma mudança. Agora, a capa do livro não é mais uma foto de época não. A trilogia veio com capas com desenhos aquarelados, que são as coisas mais lindas. Acho que se tornaram as minhas preferidas. E só quero ver se a editora manterá isso, após o lançamento do livros de Os Rokesbys, eles seguirão esse novo padrão. Por dentro, temos simplicidade. Folhas amareladas, letras e espaçamentos confortáveis para a leitura.

Sebastian queria beijá-la. Queria beijá-la mais do que queria respirar. Queria beijá-la além da razão, porque, se estivesse sendo racional, teria se afastado. Teria saído da sala. Teria se enfiado em um banho frio.

Dez Coisas que eu Amo em Você foi um jeito doce e gostoso de terminar uma trilogia. Assim como Harry e Olivia, Sebastian e Annabel me ganharam totalmente e conquistaram o seu espaço no meu coração e no meu hall de personagens queridos. Me fez gritar para minhas amigas que elas PRECISAVAM ler o quanto antes. Já com saudades, me despeço de Os Bevelstoke e deixo minhas cinco Angélicas.

CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

Um comentário em “A Hora do Chá ‘Dez Coisas que eu Amo em Você – Julia Quinn’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s