Resenha ‘Os Sete Maridos de Evelyn Hugo – Taylor Jenkins Reid’

Oi ooooi gente! Hoje eu vim trazer a resenha de um livro que eu esperei demaaais para ter em mãos e que estava com a expectativa lá no alto! Se trata de Os Sete Maridos de Evelyn Hugo, da Taylor Jenkins Reid. Ele ganhou primeiro uma edição exclusiva para a TAG Livros, para depois chegar a todos através da Editora Paralela. Antes de qualquer coisa, vamos a sinopse…

Com todo o esplendor que só a Hollywood do século passado pode oferecer, esta é uma narrativa inesquecível sobre os sacrifícios que fazemos por amor, o perigo dos segredos e o preço da fama.
Lendária estrela de Hollywood, Evelyn Hugo sempre esteve sob os holofotes ― seja estrelando uma produção vencedora do Oscar, protagonizando algum escândalo ou aparecendo com um novo marido… pela sétima vez. Agora, prestes a completar oitenta anos e reclusa em seu apartamento no Upper East Side, a famigerada atriz decide contar a própria história ― ou sua “verdadeira história” ―, mas com uma condição: que Monique Grant, jornalista iniciante e até então desconhecida, seja a entrevistadora. Ao embarcar nessa misteriosa empreitada, a jovem repórter começa a se dar conta de que nada é por acaso ― e que suas trajetórias podem estar profunda e irreversivelmente conectadas.

O livro começa contando que a lendária estrela do cinema, Evelyn Hugo, aos 79 anos, decide leiloar seus vestidos mais famosos para ajudar uma instituição que combate o câncer de mama. Mas, não só isso. Ela resolveu dar uma entrevista, depois de anos e anos sem se comunicar com a mídia, o que deixa todos em polvorosa. Só que a dama tem uma condição. Aceita falar somente com Monique Grant, uma jornalista novata na revista Vivant, ou então, nada feito.

74

Depois do susto inicial dessa novidade, Monique se prepara para encontrar a atriz. Qual não é a sua surpresa ao chegar no apartamento e descobrir que Evelyn quer muito mais do que ceder poucas palavras a revista que ela trabalha. Na verdade, está disposta a contar tudo sobre sua vida, carreira, maridos e amores, além de deixar a jovem publicar a sua biografia autorizada, depois que morrer. Isso a deixa chocada e preocupada, principalmente em relação ao seu trabalho, mas ela aceitará o desafio. E, desse modo, ela e todos nós iremos ouvir as lembranças da estrela.

Então, vamos fazer uma viagem no tempo e descobrir como foi seu primeiro casamento e o quanto ele colaborou para que ela pudesse começar a sua carreira de atriz, o quanto batalhou e lutou por isso, não importando muito o que teve que fazer. Seguindo assim até seu primeiro divórcio e o casamento com o galã mais famoso da época. Mais filmes, mais fama, novos amigos e, por quê não dizer, novos amores. Talvez o amor de sua vida, mas que lhe causou um baque e não poderia ser revelado.

“Você entendeu o que estou dizendo? Quando surge uma oportunidade para mudar sua vida, esteja pronta para fazer o que for preciso. O mundo não dá nada de graça para ninguém, só tira de você. Se conseguir aprender alguma coisa comigo, provavelmente será isso.”

Vamos ver como ela vai sofrer as consequências ao se divorciar do segundo marido, ver sua carreira correr risco, precisar descobrir modos de se reinventar e dar a volta por cima. No seu relato, ouviremos diversas coisas que ela fez para proteger a sua carreira ou aqueles que ama, sem medir muito as consequências. Poderemos descobrir suas felicidades e suas derrotas, seus sucessos e obrigações, seus amores e dissabores. Tudo isso, enquanto ouvimos dela que não era tão boa pessoa, mas não mudaria nada do que fez.

Serão anos e mais anos revelados, todos os seus sete maridos e as histórias por trás de cada casamento, seja por interesse, por amor e, até mesmo, por amizade. Além disso, também é revelado como cada um de seus passos era estudado e pensado, como reagiu a premiações, a filmes que estrelou e momentos que vivenciou. Evelyn não quer mais esconder nada do que fez nos seus anos de auge. Quer que absolutamente tudo seja de conhecimento público e que as pessoas saibam o seu lado verdadeiro. O que resta saber é o que pretende com tudo isso e o por quê de, entre tantas pessoas experientes, escolher Monique Grant para revelar todos os seus lados e suas camadas.

76

Além disso, enquanto Evelyn nos conta a sua história do passado, também vamos acompanhar o presente de Monique, como está a sua vida, especialmente nesse momento, em que ela lida com o seu divórcio recente, a novidade que é ser notada por uma grande estrela premiada do cinema, o desejo de ser alguém de destaque na sua carreira e entender mais sobre si mesma. E também descobrir como ela irá lidar com os segredos que lhe serão revelados.

“[…] Mas eu gosto de você como é. Gosto do fato de ser impura, competitiva, dura na queda. Gosto da Evelyn Hugo que vê o mundo do jeito que o mundo é, e parte para a briga para conseguir o que quer. Então, pode pôr o rótulo que quiser nisso, só não mude, certo? Isso, sim, seria uma tragédia.”

Eu não quero falar muito sobre a trama em si, porque assim como eu pude ter as diversas surpresas que essa leitura me trouxe, desejo o mesmo para vocês. Então, vamos falar dos personagens! Começando com a lendária e maravilhosa Evelyn Hugo. Eu não sei bem nem como começar a mensurar o tamanho do meu amor por essa mulher. Me deixe te dizer que Evie não é uma mulher sem defeitos. Muito pelo contrário. Mas, isso é o que a torna tão maravilhosa. Ela não esconde o que fez, ao contar sua história, e tem orgulho de tudo, porque tudo a moldou para ser quem é. Ao decidir contar sobre sua vida e saciar a curiosidade de muitas pessoas, ela quer dar luz àquela parte dela que ninguém sabe e ela precisa que as pessoas conheçam.

75

Os ouvidos do outro lado pertencem a Monique Grant. A verdade é que não a conhecemos tão profundamente como conhecemos a personagem título do livro, mas, acredito que essa seja a intenção. Só sabemos o momento difícil que ela está passando com o seu divórcio e o quanto mexe com ela toda a história da biografia da senhora Hugo. E, como ela vai aprendendo com o que ela está ouvindo e usando como forma de entender e descobrir mais de si própria.

“Harry, eu sou cínica e mandona, e a maioria das pessoa me acha ligeiramente imoral.”
“Você é forte, durona e talentosa. Excepcional por dentro e por fora.”

Tem outros dois personagens que eu gostaria de destacar e eles são importantes demais na vida de Evelyn Hugo. O primeiro é Harry Cameron. Ele é um dos primeiros amigos que ela faz em sua carreira e eles seguem amigos até o fim de tudo. É um doce de pessoa, que ser humano maravilhoso. Quem tem alguém como o Harry em sua vida, tirou a sorte grande. A outra é Celia St. James. Ela é uma atriz importantíssima de Hollywood, bem temperamental e que tem um ponto importante na vida de Evie. Até seu jeito de começar a amizade com a estrela foi demais. Ao contrário de Harry, que achei sem defeitos, Celia passa dos pontos em alguns momentos. Mas, assim como compreendi as motivações de Evelyn, pude entender as dela.

77

Preciso dizer que o livro é muito mais do que uma mera narrativa para a biografia de uma personagem fictícia. O livro trás lições que me atingiram pessoalmente. Evelyn não só atinge Monique com seu jeito de olhar a vida e as situações, mas os leitores também. Ela é sincera e não se esconde atrás de moldes de perfeição, é prática em comentar sobre cada aspecto da vida, mesmo os que são feios. É impossível não nos envolver totalmente com a linha do tempo de sua vida, os seus feitos como atriz, os feitos como mulher e como alguém que tem a vida amorosa agitada.

É uma mulher espetacular – e o que eu quero dizer com isso é que ela faz de si mesma um espetáculo. Mas também é profundamente humana. 

Esse foi o meu primeiro contato com a escrita da Taylor Jenkis Reid e o que posso dizer, além de que já estou rendida aos pés dela e com outros livros para ler?! Ela acerta em cada ponto que nos apresenta. Inclusive sobre o grande amor de Evelyn Hugo e em como isso foi tratado dentro da trama. Além disso, ela parece ter uma magia, que faz com que a gente fique absurdamente presa na história, tão imersos na vida da personagem título, que só queremos mais, querendo respostas para tantas perguntas. Ela tem um jeito muito fluído de apresentar as coisas e optou por alternar as narrativas entre Monique lidando com o presente e Evelyn com o passado e, também, com manchetes de fofocas de certos pontos da vida da estrela. A autora ainda aborda questões de representatividade muito importantes, tanto pelo lado sexual, quanto o racial, além de uma mulher empoderada, principalmente na década de 1950. Nós temos uma protagonista que sabe o que quer e não vai exitar em buscar. E, não tenho vergonha em admitir, eu finalizei esse livro totalmente acabada, toda borrada da maquiagem, com as lágrimas escorrendo e com o coração numa mistura de amor, favoritismo e tristeza. Vou te antecipar algo: esse foi um dos melhores livros do ano. Quiçá, da vida!

78

Sobre a diagramação, temos uma capa linda e com cores para chamar atenção, com esse verde e rosa tão fortes. E, como verde é a cor da senhora Hugo, eu acho que casou bem, apesar de também achar que algo próximo da original iria funcionar bem. Por dentro simplicidade, com as páginas amareladas, letras e espaçamento confortáveis para a leitura. As partes são divididas e marcadas de acordo com os maridos de Evelyn, mas os capítulos não são numerados.

“Isso não te incomoda? […] Que aquilo que todo mundo menciona quando fala de você são os sete maridos de Evelyn Hugo?”.
E a resposta foi pura Evelyn Hugo.
“Não”, ela me disse. “Porque eles são só maridos. A Evelyn Hugo sou eu […]”.

Ah, deixo a notícia de que, segundo a Deadline a adaptação de Os Sete Maridos de Evelyn Hugo está a caminho, encomendada pela Freeform. Confesso que já estou na torcida para que tudo dê certo e essa história ganhe as telonas.

De um jeito mais louco do que já é comum na minha vida de leitora, me peguei desejando que Evelyn fosse real, que Evelyn fosse minha amiga. Alguém para admirar. Alguém com quem eu pudesse sentar para conversar, para aprender. Evelyn me arrasou! No momento que fechei esse livro, só quis abrir e recomeçar tudo. Então, nem preciso dizer muito que darei cinco Angélicas, todo meu amor e exaltação. Se te falta mais algum incentivo, eu te imploro, vá ler esse livro!

CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

Um comentário em “Resenha ‘Os Sete Maridos de Evelyn Hugo – Taylor Jenkins Reid’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s