Especial Halloween ‘A Paciente Silenciosa – Alex Michaelides’

Oi ooooi gente! Chegou outubro, o melhor mês do ano, porque afinal, é meu aniversário haha. Brincadeiras a parte, eu adoro a vibe ‘aterrorizante’ que o mês tem e ainda sinto invejinha do fato de não termos Halloween como lá fora. Mas aqui no Além, a gente faz acontecer e vamos trazer matérias com pegada de algum tipo de thriller. Semanas atrás, a Dri falou sobre A Gaiola de Ouro. E, hoje eu venho falar sobre A Paciente Silenciosa, uma leitura que fez questionar por quê não me joguei nesse livro antes! Primeiro, fiquem com a sinopse…

“Só ela sabe o que aconteceu.
Só ele pode fazê-la falar.”
A paciente silenciosa é um daqueles livros que não saem da cabeça do leitor, quer ele queira, quer não.
Alicia Berenson tinha uma vida perfeita. Ela era uma pintora famosa casada com um fotógrafo bem-sucedido e morava numa área nobre de Londres que dá para o parque de Hampstead Heath. Certa noite, Gabriel, seu marido, voltou tarde para casa depois de um ensaio para a Vogue, e de repente a vida de Alicia mudou completamente…

Alicia tinha 33 anos quando deu cinco tiros no rosto do marido, e ela nunca mais disse uma palavra.
A recusa de Alicia a falar ou a dar qualquer explicação transforma essa tragédia doméstica em algo muito maior ― um mistério que atrai a atenção do público e aumenta ainda mais a fama da pintora. Entretanto, enquanto seus quadros passam a ser mais valorizados que nunca, ela é levada para o Grove, um hospital psiquiátrico judiciário na zona norte de Londres.
Enquanto isso, Theo Faber é um psicoterapeuta forense que espera há muito tempo por uma oportunidade de trabalhar com Alicia. Ele tem certeza de que é a pessoa certa para lidar com o caso. No entanto, sua determinação para fazê-la falar e desvendar o mistério de por que ela atirou no marido o arrasta para um caminho tortuoso que sugere que as raízes do silêncio de Alicia são muito mais profundas do que ele jamais poderia imaginar.
Porém, se ela falar, ele será capaz de ouvir a verdade?

Esse livro vem contar a história de Alicia. Ela era uma pintora com um certo renome e que se casou com um homem que amava demais. Mas sua vida dá uma guinada quando, aos 33 anos, ela assassina o marido, com cinco tiros no rosto. Encontrada na cena do crime, não restou muitas dúvidas de sua culpa. Principalmente quando a mulher não fala uma palavra sequer, nem mesmo para se defender. Seu único ato depois de perder Gabriel, foi pintar o famoso quadro, Alceste. Depois disso, ela foi enviada para um hospital psiquiátrico judiciário e manteve seu voto de silêncio.

Theo Faber é psicoterapeuta forense que acompanhou o caso de Alicia, a ponto de ir ver o seu quadro, quando foi exposto, no auge da audiência. Toda a história sempre o intrigou e fez aflorar a vontade de trabalhar com ela, porque acreditava que seria capaz de ajudá-la a falar e poder descobrir a verdade sobre o que aconteceu naquela noite que mudou tudo. E ele vai ter a oportunidade que tanto espera, quando foi contrato pelo lugar em que a mulher está.

Alicia nunca mais voltou a falar.
Seu silêncio inabalável transformou essa tragédia doméstica banal em algo muito maior: um mistério, um enigma que tomou conta das manchetes e ocupou durante meses a imaginação do público. 

Assim que chega, Theo já faz um terreno para assumir a responsabilidade pela paciente silenciosa e ganhará logo o direito de tratá-la, mas não vai ser tão simples quanto ele imaginou. Alicia vive completamente dopada de remédios, por ordem do psiquiatra que cuida dela, combinado ao fato de a mesma não querer falar, se tornando uma pessoa área. Mas, Theo vai aprender de um jeito bem difícil que deixá-la sem medicamentos também não torna as coisas fáceis.

Sua missão vai ser começar a montar o quebra cabeça da vida de Alicia, desde a infância e com seus familiares, até se tornar a mulher dependente emocionalmente e que acaba matando o marido. Ele vai precisar seguir várias linhas de raciocínio, conversar com várias pessoas, entre família e amigos, para poder começar a descobrir coisas que a própria não conta e ver se ele consegue descobrir o que aconteceu para mudar tudo.

Pensando em retrospecto, vejo que essa foi a minha primeira transgressão profissional ao lidar com Alicia, estabelecendo um infeliz precedente para o que viria depois. Eu devia ter parado ali. Mas àquela altura já era tarde demais. Sob muitos aspectos, meu destino estava decidido – como numa tragédia grega.

E, enquanto Theo vai ultrapassando até mesmo limites éticos para ajudar a Alicia, fazendo com o que os outros achem até mesmo que ele não só está apaixonado, mas como está sendo manipulado pela mulher, o doutor também irá lidar com desagradáveis descobertas sobre seu casamento, que irão mexer com sua cabeça.

Bom, obviamente, vou parando por aqui, afinal, só quero deixar um gostinho para vocês. Então, quero falar sobre meu processo de leitura e um pouco dos personagens. Falar de um thriller psicológico sempre é muito complicado. Afinal, a ideia é que ao mesmo tempo que se desperte a vontade do outro de ler, também é preciso tomar cuidado com o que é dito. Falar sobre esse livro é ainda mais delicado, porque vamos acompanhando, com agonia, as sessões de Theo com Alicia, assim como suas tentativas de fazer com que ela fale. Ao mesmo tempo que vemos ele se arriscando, entrando em contado com diferentes pessoas, para ver se assim consegue algum ponto de começo.

– Se você realmente quer fazer Alicia falar… bote tintas e pincéis na mão dela. Deixe Alicia pintar. Só assim ela vai falar com você. Por meio da arte.

Como a Alicia não fala, não temos um conhecimento tão aprofundado dela. Somente alguns trechos de seu casamento, narrativas de seu diário e seu comportamento atual. Então, isso é confrontado com o caminho que Theo tem traçado, afinal, quando chega em certas pessoas, histórias diferentes são contadas em um primeiro momento. E, então, cabe a ele descobrir quem está falando a verdade e como descobrir tudo isso, pode ajudá-la. Porque, uma coisa é inegável, a vida dela não foi fácil e algo aconteceu que desengatilhou muita coisa para que ela tenha se tornando uma pessoa não só dependente emocionalmente, mas que tem seus rompantes.

Theo rende uma outra história dentro do livro, quando o seu próprio problema explode na trama,. Vamos vê-lo se dividir entre tentar acertar a sua vida e cuidar do caso que sempre sonhou. É notório que ele sente muita vontade de ajudar a paciente e acaba extrapolando alguns pontos. E, mesmo assim, não fui capaz de de julgá-lo. Só queria que ele pudesse nos oferecer a verdade sobre Alicia, sobre o que aconteceu com ela durante seus anos e, principalmente, no que se refere a morte do marido.

Lembro que pensei: agora não há mais volta. Estávamos derrubando as últimas barreiras entre terapeuta e paciente. Logo seria impossível dizer quem era quem.

Esse é o livro de estreia de Michaelides e começou com pé direito. Preciso dizer que ele me prendeu em suas palavras e na forma como trouxe a sua narrativa. Costumo dizer que em um thriller, principalmente psicológico, quanto mais o autor me surpreende e mais segura o plot, mais eu tendo a gostar. E, de verdade, eu não esperava diversas coisas que acontecem nesse livro. A forma como tudo vai sendo construído é feita para nos surpreender, mas não de uma forma forçada. Como foi trabalhando os pontos e aguçando a nossa curiosidade para descobrir mais sobre os dois personagens centrais. Achei incrível como Alex montou a sua história e, sem dúvidas, leria outro livro dele o mais rápido possível.

Quanto a diagramação, a Editora Record já começou arrasando na capa, que segue a original, sendo texturizada. Por dentro, temos as partes do livro bem divididas e começando com alguma frase pontual. Os capítulos são numerados, recomeçando cada vez que troca de parte. As páginas são amareladas, com espaçamento e letras confortáveis para a leitura.

Como vão ver, é uma história incrível – quanto a isso não resta a menor dúvida.
Quanto a acreditar ou não nela, a decisão cabe a vocês.

A Paciente Silenciosa é uma grande pedida para os fãs de um bom thriller psicológico. Enquanto deixo as minhas cinco Angélicas para o livro, fico imaginando como vai ser feita a adaptação dessa história, que já foi garantida por uma produtora de Hollywood.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s