Resenha ‘Casamento para Um – Ella Maise’

Oi ooooi gente! Hoje eu vim trazer a resenha de um livro que eu estava muito ansiosa para ler. Dessa vez, estou falando de Casamento para Um, da Ella Maise. Eu me apaixonei pela escrita dela quando li a duologia Amor & Ódio. Então, é claro que estava pronta para o próximo livro dela, ainda mais envolvendo o delicioso clichê de um casamento por conveniência. O livro foi publicado ano passado pela Editora Charme, que já tem outros livros da autora para trazer também. Mas, antes de falar sobre essa história, vamos a sinopse…

Eu e Jack fizemos tudo ao contrário. No dia que me atraiu para seu escritório – e que também foi o dia que nos conhecemos –, ele me propôs casamento. Qualquer um pensaria que um cara como ele – talvez um pouco frio, mas de uma beleza impressionante e muito inatingível – só faria esse tipo de proposta ao amor da sua vida, certo? Qualquer um pensaria que ele deveria estar loucamente apaixonado.
Não. A proposta foi feita a mim. Uma completa estranha, que nunca tinha ouvido falar dele. Uma estranha que fora dispensada pelo noivo algumas semanas antes. Qualquer um pensaria que eu iria rir na cara dele, chamá-lo de louco – e alguns outros nomes – depois ir embora o mais rápido possível. Bem… eu fiz todas essas coisas, exceto a parte de ir embora.
Demorou apenas alguns minutos para me convencer a aceitar o negócio… Bem, quero dizer, casamento, e apenas alguns dias para oficialmente nos enlaçarmos. O dia mais feliz da minha vida. Mágico. Regado a champanhe… Não. Foi o pior dia. Jack Hawthorne não era nada do que eu queria para mim.
Eu o culpei pelo meu lapso de julgamento. Culpei seus olhos, em um tom de oceano, que olhavam diretamente para os meus sem desculpas, e aquela carranca em seu rosto pela qual eu não tinha ideia de que ficaria tão fascinada com o tempo.
Pouco depois de ele dizer que eu era o maior erro da sua vida, as coisas começaram a mudar. Não, ele ainda não falava muito, mas qualquer um é capaz de proferir algumas palavras. Suas ações falaram mais alto para mim. E, dia após dia, meu coração começou a ter vontade própria.
Em um segundo, ele não era ninguém. No próximo, ele se tornou tudo.
Em um segundo, ele era inatingível. No outro, parecia ser completamente meu.
Em um segundo, pensei que estávamos apaixonados. No outro, não passava de uma mentira.
Afinal, eu era Rose, e ele era Jack. Estávamos condenados desde o início com esses nomes. Quem poderia esperar mais alguma coisa?

Nossa história já começa com Rose e Jack embarcando em um barco prestes a afundar. Epa, esse é o casal de outra história. Mas, aqui também temos um Jack e uma Rose que podem estar entrando em uma grande furada, quando eles decidem se casar. O livro já começa no casamento deles, onde notamos toda a tensão que ambos sentem com a situação. Assim como vamos descobrir que eles mal se conhecem e, mesmo assim, assumem esse compromisso. E que tudo pode ser um grande erro.

Essa grande ideia partiu de Jack. Ele é um advogado que sabe sobre o testamento do tio de Rose, sendo assim, ele conhece a absurda clausula que está preocupando a jovem. Ela é locatária de uma espaço o que o tio tinha e ele acabou colocando no testamento que o local seria do marido de Rose, assim que ela se casasse. O problema é que o noivo terminou com ela sem mais nem menos, os primos não ligam tanto para ela, principalmente o primo. Que não vai deixar nem ela ficar com o espaço alugado por dois anos, como planejado e ela já comprou tudo para abrir a cafeteria dos seus sonhos.

Afinal, eu era a Rose, e ele era Jack. Estávamos condenados desde o início com esses nomes. Você sabe… o Titanic e tudo mais.

Então, Jack faz a indecente proposta de casamento de conveniência e logo eles começam um plano para enganar a todos. Assim começa a real convivência deles, com Rose arrumando sua tão sonhada cafeteria, Jack trabalhando e passando por lá para ajudá-la, enquanto eles vão tentando aprender um pouco sobre o outro, ainda que ele seja mais difícil e fechado, a ponto de fazer com que ela conte quantos sorrisos recebeu. De uma certa forma, eles vão se aproximando, ainda que lentamente. Jack não vai medir esforços, ou ameaças, para proteger Rose e poder oferecer formas dela realizar o que deseja.

E, enquanto eles vão se apaixonando, mas coisas vão acontecendo em suas vidas, que vão conectá-los ainda mais. Uma delas, é o fato de Rose descobrir que está passando por um problema de saúde e receber todo o apoio, não só de seu marido, como de seus amigos. Já Jack, vai sendo transformado pelo jeito doce e cativante de sua esposa, que o ensina que dinheiro não é tudo e ele precisa se relacionar melhor com as outras pessoas. Só que, quando eles vão, finalmente, se render a tudo o que sentem e oficializar o casamento, uma bomba cairá sobre eles. Resta saber se eles vão conseguir superar tudo isso ou o casamento de conveniência terá um fim.

– Elas acham que você é grande e fofo, e Sierra acho que sou bonita.
– Você é bonita. Mas fofo? Estou ofendido.
– Ah, não fique. Você é fofo, de um jeito mal-humorado.

Deixando um pouco a trama de lado, preciso falar sobre os personagens. Rose é uma protagonista de peso e que mulher maravilhosa. Desde pequena, acabou ficando sozinha, mesmo sendo deixada sob a responsabilidade do tio e sua família, que não lhe dava muita atenção. Mas isso não tirou o sentimento de gratidão e até mesmo afeto que ela tinha pelo homem que cuidou dela quando o pai faleceu. Quando adulta, batalha muito para realizar o seu sonho de abri sua própria cafeteria e gosto como ela quer fazer tudo com as próprias mãos, até mesmo pintar as paredes. Tem um lado engraçado, principalmente quando fica criando seu diálogo com o Jack, já que ele não é muito do tipo que conversa. Ela cativa desde o seu próprio marido ao porteiro do prédio, porque ele trata todos com preocupação e um sorriso. Acho que deu para perceber o quanto gostei dela, não é mesmo?! Haha

Jack também me deixou apaixonada. Taciturno e fechado, seu ponto fraco será Rose. Ainda que queira se manter mais distante daquela que será sua esposa, afinal, as coisas tem um prazo de validade, ele não consegue resistir a paixão que sente. Ele não hesita em agir para proteger Rose daqueles que podem ameaçar sua felicidade, como o primo e o ex noivo, e durante a história, vamos entender o quanto ele foi capaz de fazer. Ainda que não queira admitir, ele gosta de fazer coisas que a farão felizes, como ajudar com os detalhes da cafeteria ou até mesmo oferecer lindas rosas as segundas. Em um determinado momento, ele diz que ela o mudou e isso fica perceptível para nós. E, não posso deixar de dizer, ele com ciúmes é muito fofo. Jack comete erros, ele faz uma coisa que, ainda que justificável, é dolorosa. Mas, estou com quilômetros de panos para passar para esse homem.

– Eu quero ser essa pessoa para você, Rose. Quero ser a pessoa em quem você irá se apoiar. Você e eu somos iguais. Não temos ninguém além de um ao outro. Você vai se apoiar em mim, e eu farei o mesmo. Vamos aprender como. Estamos nisso juntos.

Eles são personagens maravilhosos individualmente, mas como casal, eles conseguem ficar ainda melhor. São vários momentos construindo uma relação, entre as horas passadas no Café da Esquina, seja criando as tradições que um apaixonados devem ter. O momento em que eles mais crescem como casal, é em uma adversidade, quando Rose descobre que está doente e Jack vai estar com ela em todo o processo, mesmo que seja segurando seu tornozelo, como uma forma de dizer “estou aqui por vocês”. Meu Deus, eles me fizeram suspirar! Não tem outra forma de resumir isso. Ah!, existe sim uma referência bem direta a Titanic, afinal, não poderia deixar isso passar. Mas, Rose lista outros filmes também.

Nós não temos tantos personagens secundários, mas vale citar que Rose tem dois funcionários que são seus amigos, Sally e Owen. Os dois rendem risadas, afinal, Sally está determinada a conquistar Owen. Além disso, temos o motorista, Raymond, que logo construirá uma relação com nossa protagonista também. Entre as pessoas do escritório de Jack, temos Samantha. Um ex caso do nosso protagonista, mas que surpreende com a condução que a autora deu a ela. Amei que fugiu do estereótipo de ex psicótica, que precisa descobrir o podre no novo relacionamento, para poder fazer alguma chantagem.

Não é de admirar que eu tenha pensado que ele era um bloco de cimento no começo – ele não apenas não demonstrava emoções, como também não as compreendia nem quando elas o esbofeteavam na cara.

Eu sou completamente apaixonada pela escrita da Ella Maise. Como disse na introdução, a conheci através da duologia Amor & Ódio e fiquei completamente em suas mãos, apenas aguardando a próxima história. Ela tem um jeito que me deixa completamente vidrada em suas palavras, sedenta pelos próximos acontecimentos. Vou tirar minha cartola em como ela pegou o clichê do casamento por conveniência e elevou o nível. Não me sinto capaz de expressar o suficiente o quanto amei esse livro. Como já tinha visto em seus outros livros, ela tem partes super engraçadas, mas acrescenta o drama em pontos importantes e emocionantes. Devido a doença que Rose apresenta, se percebe que ela também teve um trabalho de pesquisa muito bom, ao menos para mim, como leiga, passou total credibilidade. Sua narrativa continua sendo leve, absurdamente envolvente e muito fluida. Ella vem com mais um livro para reafirmar o seu lugar no meu coração e na minha estante. Com ela, já fico na vibe do “próximo livro, por favor”.

Na parte da diagramação, eu amo real o trabalho da editora. Elas sempre vem com detalhes tão fofos por dentro, que dão um toque especial. Os capítulos são abertos com os arcos de flores que imagino no Café na Esquina, assim como vem nos rodapés das páginas. Os capítulos são numerados e também sinalizados com o nome de quem irá narrar. As folhas são amareladas, com espaçamento e letras confortáveis para a leitura. Quanto a capa, preciso ser honesta e dizer que não me agradou. Não posso mentir sobre isso, e nem é pelo fato de não ser a original. Como disse para as meninas aqui do Além, eu não consigo ver nenhuma das duas representando a história para MIM, quero deixar isso bem frisado. Não me encantou como tantas outras capas da editora, mas não me impediu de desejar loucamente esse livro.

– Eu dividiria minha porta com você a qualquer momento, Jack Hawthorne.
– Do que você está falando?
– Se você nunca viu Titanic, não posso me casar com você – eu disse seriamente.
– Acho que é um pouco tarde para isso.
– Você não viu. Jack e Rose… o Titanic…
– Conheço o filme, mas acho que não o vi.

Casamento para Um conseguiu me surpreender, justamente por esperar algo e a autora me oferecer muito mais! Fiquei completamente rendida a esse casal e a essa maravilhosa autora que Ella Maise já me mostrou que é. Não tem como não dar as cinco Angélicas e torcer para que todos leiam esse livro, e se apaixonem como eu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s