Resenha: ‘Um Beijo Inesquecível – Julia Quinn’

Oiiii pessoas. Estou de volta com mais um livro da serie Os Bridgertons, da diva dos romances de época, Julia Quinn. Ah, como esses meses passaram rápido e já estamos quase no fim dessa série tão amada ~snif snif~. Tem resenha dos livros anteriores aqui no blog para conferirem, se quiserem. Antes de saber o que eu achei de Um Beijo Inesquecível, confere a sinopse:

“Toda a alta sociedade concorda que não existe ninguém parecido com Hyacinth Bridgerton. Cruelmente inteligente e inesperadamente franca, ela já está em sua quarta temporada na vida social da elite, mas não consegue se impressionar com nenhum pretendente.  Num recital, Hyacinth conhece o belo e atraente Gareth St. Clair, neto de sua amiga Lady Danbury. Para sua surpresa, apesar da fama de libertino, ele é capaz de manter uma conversa adequada com ela e, às vezes, até deixá-la sem fala e com um frio na barriga. Porém Hyacinth resiste à sedução do famoso conquistador. Para ela, cada palavra pronunciada por Gareth é um desafio que deve ser respondido à altura. Por isso, quando ele aparece na casa de Lady Danbury com um misterioso diário da avó italiana, ela resolve traduzir o texto, que pode conter segredos decisivos para o futuro dele. Nessa tarefa, primeiro os dois se veem debatendo traduções, depois trocando confidências, até, por fim, quebrarem as regras sociais. E, ao passar o tempo juntos, eles vão descobrir que as respostas que buscam se encontram um no outro… e que não há nada de tão simples – e de tão complicado – quanto um beijo.”

O livro começa com nosso mocinho, Gareth, em seus 18 anos tendo uma conversa reveladora com o pai, o lorde St. Clair. Quem ele pensava ser seu pai, na verdade. Desde que se lembra, Gareth nunca se deu bem com o pai. Sempre tentou agradá-lo em vão e, enfim, ele descobre o motivo. Ele não é filho do barão. Isso não é nenhum spoiler pois descobrimos isso logo no epílogo e a história não gira em torno disso, e sim, em como isso terá consequências na vida de Gareth daqui pra frente.

Dez anos se passam e esse segredo fica só entre Gareth e o ‘pai’. Após a conversa esclarecedora a tantos anos atras, Gareth saiu de casa e foi morar com sua avó materna, Lady Danbury. Alguém aí se lembra dessa senhora simpática? rs. Lady Danbury tem a fama de ser intrometida e a sabe tudo da sociedade londrina, já tendo dado o ar de sua graça nos demais livros da série, em especial no livro Os Segredos de Colin Bridgerton, pois ela se torna grande amiga de Penelope.

Mas descobrimos neste livro que Lady D. é bem mais próxima de Hyacinth Bridgerton, nossa protagonista neste romance e também caçula dessa família querida. Hyacinth a anos tem uma rotina semanal de toda a terça feira se reunir a Lady Danbury para lerem o romance da vez. Eu preciso adiantar que AMO a relação dessas duas. Hyacinth é a versão mais nova de Lady Danbury e ela vive dizendo que quando crescer quer ser igualzinha a Lady D., sempre agradecendo quem a compare a ela.

“– Mãe – interrompeu Hyacinth, pousando a xícara firmemente sobre o pires –, não importa. Eu não ligo de não ser unanimidade. Se eu quisesse que todo mundo gostasse de mim, teria que ser boazinha e encantadora, sem graça e enfadonha o tempo todo, e isso não seria nada divertido, certo?”

E é por meio da respeitável senhora intrometida, que Hyacinth conhece Gareth. Ela sabe que ele é o neto mais amado de sua amiga e que também é um dos maiores libertinos de Londres. Apesar disso, ela se surpreende com sua personalidade hipnótica e encontra em Gareth uma pessoa a altura de sua espiritualidade. Os dois acabam se aproximando, ficando juntos nos eventos sociais, já que Lady Danbury e Lady Bridgerton não faziam a menor questão de esconder que estavam tentando juntar neto e filha.

Os dois se tornam, de fato, amigos quando Gareth acaba recebendo um diário de sua avó paterna, já falecida, e precisará da ajuda de Hyacinth para traduzi-lo, pois está em italiano e Hyacinth aprendeu um pouco do idioma com a governanta de sua antiga casa. Pra quem não se lembra, Lady Bridgerton comprou a casa nomeada como Número Cinco, após o filho visconde, Anthony, se mudar com a esposa para a Casa principal Bridgerton.

É aí que as coisas vão começar a evoluir entre nossos protagonistas. Hyacinth se vê cada vez mais envolvida por Gareth mas tenta se lembrar de sua reputação e também de que ele provavelmente nunca poderia se apaixonar por ela. Hyacinth sabe que não é uma pessoa fácil de lidar e é o motivo de não ter tantos pretendentes, apesar de suas boas relações. Ela indo para a quarta temporada e apenas algumas propostas é a prova disso. Seu irmão até aumentou o valor de seu dote. Com seus 22 anos, ela está ficando cada vez mais preocupada de que pode se tornar uma solteirona.

Gareth se encanta por Hyacinth. Ela o surpreende toda vez, seja com uma frase espertinha ou seu humor pra lá de cativante. Ele sabe que ela é deveras irritante as vezes, mas isso só faz com que seja única e um sopro de ar fresco em cada evento social entediante. Conforme o tempo passa, ele se pergunta como seria tê-la como esposa. Ele tem certeza que sua vida nunca seria monótona.

“Gareth não conteve o sorriso. Jamais conhecera alguém como Hyacinth Bridgerton. Era vagamente divertida, vagamente irritante, mas não se podia deixar de admirar o quanto era espirituosa.”

Quando Hyacinth descobre no diário que a avó de Gareth escondeu suas jóias em algum lugar da mansão St. Clair e deixou várias pistas em alguns lugares diversos, ela e Gareth começam uma verdadeira caça ao tesouro. Hyacinth movida a vontade de entregar essas jóias a Gareth, pois sabe que o lorde St. Clair não merece nenhum pouco, e Gareth movido ao prazer de saber que o homem que ele chamou de pai a vida inteira, e que ele não tem dúvidas que deixará uma montanha de dívidas como herança para Gareth, não tem nem ideia que essas jóias existem.

Essa jornada só vai aproximá-los ainda mais até que um beijo inesquecível acaba acontecendo e esses dois se darão conta de que a felicidade pode estar bem debaixo do nariz deles. Tudo seria perfeito, pois tanto a família de Hyacinth, como Lady Dunbury aprovam esse romance e os dois se completam de uma forma surreal, se não fosse todas as questões não resolvidas pelo caminho. E estou falando aqui de Gareth e lorde St. Clair. O homem nunca amou o menino que criou por pura aparência perante a sociedade e não vai perder uma oportunidade de azucrinar Gareth e lhe jogar qualquer tipo de ofensa que ele sabe que atinge Gareth. Caberá a Gareth repensar o que mais importa em sua vida. Correr atras de uma aprovação que ele sabe que nunca terá do pai, ou ir atrás da própria felicidade.

“E, pelo resto da noite, não conseguia esquecer o perfume dela. Ou, talvez, o som suave da sua risada. Ou, talvez, nenhuma das duas coisas. Talvez ela, apenas ela.”

O livro segue o padrão dos anteriores, com paginas amareladas e fonte com tamanho e espaçamento confortáveis. Como sabemos, não temos mais os espirituosos textos de Lady Winstledown abrindo cada capítulo, e eu vou lamentar isso pra sempre rs, mas Quinn sempre acha uma forma de dar um detalhe a mais a seu livro, e nesse temos pequenos trechos narrando o que nos espera mo capítulo que está por vir. São pequenos, mas maravilhosos e me arrancou risadas diversas vezes.

Eu não esperava gostar tanto desse livro como gostei. Temos vislumbres de Hyacinth ao longo dos livros anteriores, mas nada substancial ao ponto de me apegar por ela. Pelo contrário, eu a via como uma criança bem irritante rs. Mas me apaixonei por ela de uma forma! Ela é uma miniatura de Lady Danbury, de fato, mas isso só a faz ser mais especial do que suas irmãs. Uma personalidade forte, um humor sagaz e uma inteligência fora do comum. Definitivamente ela se tornou minha irmã Bridgerton preferida. Preciso comentar que tem uma cena dela com Violet, sua mãe, que me pegou despreparada e me levou as lágrimas.

“- Diga o que estiver no seu coração – respondeu Violet. Os lábios se torceram com ironia e ela acrescentou: – Se isso não funcionar, sugiro que leve um livro e que o golpeie na cabeça.”

Gareth é encantador. Sentimos como ele sofre com a relação que tem com o pai e o quanto isso o machuca. Mas isso não afetou seu modo espirituoso de levar a vida e se relacionar com as pessoas. Por isso que ele e Hyacinth se dão tão bem. Ele nos rende váaaarias cenas maravilhosas, seja com Hyacinth ou com sua avó, Lady Danbury.

Falando em Lady Danbury, ela está em sua forma master neste livro. Cada nuance de sua personalidade que vislumbramos no decorrer da série, está em máxima. Temos a presença da condessa na maior parte da trama e eu simplesmente amei ver mais dela. Cada momento com Hyacinth e Gareth é cativante e me fez entender o motivo de Hyancinth amar tanto Lady D. Eu mesmo queria uma pessoa assim em minha vida. Ia rir horrores, com toda a certeza rs.

received_562621174174713.jpeg

O que posso dizer mais, além de tudo o que tentei passar pra vocês ? Acho que ficou claro o quanto eu adorei essa história. Eu estou com o coração apertadinho que estou quase me despedindo dessa serie maravilhosa que me conquistou desde o primeiro livro! Mas não vou pensar no fim, pois ainda tenho mais dois livros pela frente. No mais só posso pedir para se ainda não leu, se entregue de vez a escrita de Julia Quinn e venha amar essa enorme família também. Minhas 5 Angélicas mais que garantidas.CLASSIFICAÇÃO 5 ANGÉLICAS

11 comentários em “Resenha: ‘Um Beijo Inesquecível – Julia Quinn’

  1. Ufa moça que resenha! Rs
    Mesmo não sendo meu gênero preferido é uma saga de tirar o fôlego, pois com personagens marcantes tudo fica melhor (tenho uma quedinha por personagens e me apego muito fácil, é bom e doloroso kkk).
    Amei tua escrita e da pra ver o quanto você ta gostando dessa familia rs

    Beijinhos ❤

    Curtir

  2. Ola!
    Que saudade de ler essa série, estava pensa em voltar a ler esse mês, mas nem peguei aibda. Essa família é maravilhosa né, amo demais!

    Beijos

    Curtir

  3. Oi Anna, tudo bem?

    Comecei a ler esta série ano passado e vou para o quinto livro, pois estava esperando o sétimo chegar para poder prosseguir. Por tudo que você narrou já fiquei encantada pelos personagens, gosto do fato dela ser mais decidida e ser vista como uma futura solteirona, já que tem pensamentos muito bem formados. O fato do personagem não ter uma boa relação com o pai, também me desperta curiosidade e quero ver como isto será tratado. Estou louca para chegar nesse volume, creio que vou amar. Adorei a sua resenha, muito boa!

    Beijos!

    Curtir

  4. Ainda não li nenhum livro dessa autora, acebei ficando um pouco enjoada de romance de época, mas quando a vontade voltar já guardei a indicação desse livro.

    Curtir

  5. Olá!
    Nunca li este livro, mas amo romances de época. Fiquei com vontade de ler e conhecer melhor as personagens que você descreveu e claro , saber o desfecho.
    Parabéns pela resenha.
    Abraços.

    Curtir

  6. Mais uma ótima resenha, pontuando os trechos e partes mais importantes. Essa autora é um arraso mesmo, cada livro dela é melhor que o outro, sem falar que tô começando a me apaixonar por essas capas estilo mais “medieval.” af acho que usei a palavra errada.

    Curtir

  7. Olá!
    Meu Deus, eu não aguento mais ler resenhas dessa série e ficar com vontade de comprar, mas sempre deixo pro lado a vontade de ler só aumenta kkk
    Adorei tua resenha, e acho que irei gostar da protagonista. Tenho uma quedinha por personalidades sagazes huahua

    Abraço.

    Curtir

  8. O poste tem uma linguagem bem fácil de se compreendido. Poderia ter tbm outros tipos de contos por exemplo, contos de terror ou suspense. Mais fora isso seu poste e legal e bem interessantes. Boa sorte em seu blog e suas resenhas.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s